2018 A Caminho De 2019

Não me levem a mal – ou levem, só vos vai fazer sentir mal – mas vou desligar o dumbphone como no Natal e não vou conseguir retribuir toda a simpatia dos votos recebidos, porque tenho mesmo, mas mesmo, uma série de livros para ler e daqui a uns dias o tempo vai escassear. Portanto, considerem-se tod@s objecto de votos de um 2019 que não corresponda às expectativas que tenho dele.

NovoAno

22 thoughts on “2018 A Caminho De 2019

  1. Cá estaremos, companheiro! Xiii, que termo … Siga. É parecido com as expectativas que partilhamos. Retribuo os votos de feliz 2019. Por extenso, sem clique. Obrigada por existires 🙂

  2. Paulo, desejo um feliz Ano Novo para si e para a sua família! Que o ano de 2019 seja capaz de o surpreender! 😉
    Votos alargados a todos quantos passam por este espaço! 🍾🥂✨

    “Para você ganhar belíssimo Ano Novo (…)

    Não precisa
    fazer lista de boas intenções
    para arquivá-las na gaveta.
    Não precisa chorar arrependido
    pelas besteiras consumadas
    nem parvamente acreditar
    que por decreto de esperança
    a partir de janeiro as coisas mudem
    e seja tudo claridade, recompensa,
    justiça entre os homens e as nações,
    liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
    direitos respeitados, começando
    pelo direito augusto de viver.

    Para ganhar um Ano Novo
    que mereça este nome,
    você, meu caro, tem de merecê-lo,
    tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
    mas tente, experimente, consciente.
    É dentro de você que o Ano Novo
    cochila e espera desde sempre.”
    Drummond de Andrade

    Abraço,
    Ana

  3. Paulo,
    Bom Ano Novo para toda a Família Guinote !!!
    Extensível a tantos outros colegas frequentadores deste Grande Quintal !
    Só nos resta alguma esperança.Melhores dias virão !
    🎆🎆🎆

  4. Bom ano novo para si e para a sua família. Obrigada por tudo o que escreve. Para todos os que frequentam este quintal, que o 2019 nos surpreenda pela positiva!

  5. Como o meu desejo de saltar directamente para 2020 é irrealizável, resta-me esperar (e desejar) que 2019 passe sem deixar mais feridas e, de preferência, seja estancando o sangue de algumas bem antigas e profundas…

  6. Bom Ano Paulo. Obrigada por tudo o que escreveu em 2018.
    Se quiser fazer uma lista dos livros que leu e de que gostou muito, agradeço.
    Bom Anos a todos os “comentadores” deste blogue.

  7. Paz, muita Saúde e Alegria para o Paulo e toda a família!
    Para os umbiguistas desejo os mesmos presentes, mas embrulhados em força extraordinária e com laços de coragem e cumplicidade para vencer! Eles que venham… =^.^=

  8. Um “testamento” que procura mostrar como é importante olhar o passado para perceber que nada mudará e a mudar será para pior…

    Ainda assim e já dizia Santo Agistinho: Enquanto houver vontade de lutar haverá esperança de vencer.”

    “Vivemos e tempos muito perigosos…

    – A administração pública está tomada de assalto e, consolidadamente, dominada pelas maçonarias;

    – A democracia é uma palavra cada vez mais vã, servido 2 objectivos: internamente quando dá jeito ao poder, externamente pois sempre vivemos de aparências…

    – A Justiça e a Constituição deixaram de servir a protecção dos mais frágeis e indefesos perante poderes gigantescos e infiscalizáveis que, para além de controlarem a decisão, dominam a feitura das leis que o parlamento aprova;

    – A promiscuidade entre as entidades públicas, desde o parlamento, e entidades privadas é crescente, ausente de controle e quando tal existe (tribunal de contas, por exemplo) NADA acontece e, claro, nós pagamos!

    – As descentralizações não só servem a duplicação dos caciques locais e dos interesses e clientelas político- partidárias (e muito pouco os verdadeiros interesses das populações), com a INTENCIONAL desorçamentação e impune desresponsabilização do estado central;

    – A defesa dos mais elementares direitos dos cidadãos deixou de ser uma questão Constitucional, de Valores de Justiça/ Equidade e Honestidade…

    A DEFESA dos PORTUGUESES e dos seus DIREITOS que APENAS TERIAM a LEI PARA OS PROTEGER… AGORA, NEM ISSO… passou a estar apenas submetida:
    ✓à dívida pela qual não são nem foram, sequer nem de longe, os principais responsáveis;
    ✓ao défice onde não tiveram qualquer decisão;
    ✓aos contratos blindados prejudiciais ao estado;
    ✓ aos swap e às PPP que continuamos e continuaremos a pagar;
    ✓às contratações públicas – aos vários níveis da decisão (central/regional e local) e pela diversidade de entidades públicas,…, que constituem verdadeiras negociatas, e muitas avenças com privados;
    ✓às inúmeras empresas e instituições públicas ou público-privadas com regalias de que não se falam e que asseguram a vidinha dos políticos, descendência /ascendência e amigos;
    ✓aos sucessivos perdões fiscais de quem contribuiu para a especulação e para a dívida;
    ✓aos paraísos fiscais onde ninguém se preocupa em ir procurar os milhões que deveriam estar no país;
    ✓às reformas mais ou menos principescas de alguns (muitos da banca) e quantas vezes à custa de poucos anos de trabalho ;
    ✓ às inúmeras derrapagens nas obras públicas de quem ninguém quis saber;
    ✓aos vários empréstimos vultuosos – favores- sem garantias e sem retorno do banco público;
    ✓ às várias opções de investimento público que se revelam secundárias/ inúteis e mesmo “elefantes brancos” mas nós pagamos enquanto faltam, em crescendo, serviços sociais/ equipamentos e recursos humanos que possam dar respostas minimamente satisfatórias às populações;
    ✓ às nomeações políticas para importantes órgãos de gestão e decisão financeira;
    ✓aos contínuos milhões e milhões e milhões para a banca falida;
    ✓ agora, e convenientemente, com a história da privacidade, já haverão mãos que se esfregam de contentamento e mais “bolsinhos” para onde distribuir – que nós, o povo, trabalhamos para os servir;
    ✓…; aos critérios de convergência que nem as economias mais fortes cumprem (sem penalização)… a convergência é a do norte que o sul (o “portugalinho subserviente e servil com mania que é alguma coisa) continua a divergir.

    Pense-se, agora, em trabalho:
    – Qual é o trabalhador português (público ou privado) que recebe senhas por presença no trabalho? ;

    – qual é o trabalhador português ( público ou privado) que tem uma cantina onde se alimenta das melhores iguarias e vinhos por menos de 10€?

    – Qual é o trabalhador português que recebe subsídios para se deslocar para e do local de trabalho (diferente de pagamento de deslocações feitas em serviço)?

    – qual é o trabalhador português que recebe subsídios de residência? ( Não tem o estado dinheiro, como fazem os nórdicos, para comprar um edifício de apartamentos para alojar deputados sem “residência próxima” – ficava bem mais barato);

    -qual o trabalhador português que utiliza os veículos do estado para ir às compras, buscar as crianças à escola, passear, e todas outras coisas que não no desempenho de funções?

    – qual o trabalhador português a quem basta a palavra (que se pressuporá, por diferenciação de actuação, de má fé) para justificar ausência ao trabalho?

    – qual o trabalhador português que recebe valor de viagens que não faz?

    – qual o trabalhador português que recebe em ajudas de custo e similares um 2.º ordenado que, no mínimo, é maior que o ordenado mínimo nacional?

    – qual o trabalhador português que apanhado a marcar presenças por terceiros não teria processo disciplinar à perna?

    – qual o trabalhador português que não tenha tido sucessivos SIMULACROS de avaliação (uma das grandes falácias do séc.XXI)??? Qual a última avaliação dos deputados X, Y e Z ? Pois…o que é bom para os outros… não o é para quem o propõe e aprova fazendo valer nas relações trabalho o pior que as pessoas têm em si (a sacanagem aliada à mania que é melhor que o outro), minando e corroendo os bons ambientes que iam sobrevivendo ..;

    – qual o trabalhador português que se dá ao desplante de no horário de trabalho e sabendo-se controlado, joga às cartas, lê os jornais ou pinta as unhas?
    – …
    Obviamente aparecem com ar ofendido mas nada fazem para mudar um estatuto de mordomias… – nós pagamos!

    – Mas… Será apenas na assembleia da república??? – Claro que não! Multipliquem isto por empresas, institutos e outras entidades públicas empresariais com administradores executivos, não executivos, conselhos de administração e todo uma parafernália de inutilidades que gastam muito dinheiro (ordenados, ajudas de custos, cartões de crédito, subsídios, carros e motorista,…)…
    É que isto de passar a empresa pública/ instituto público/ entidade pública e todo um conjunto de similares sempre serviu mais outros interesses que os da boa gestão da causa e coisa pública… Só enfia o barrete quem quer …
    – mas ainda podem juntar uma série de mordomias ao nível das câmaras municipais (claro que não é para o vulgar trabalhador… normalmente é para uns outros…coisas de hierarquias… e, quanto a hierarquias creio estarmos todos conversados)

    Como é possível que jornalistas e/ou cidadãos e, nomeadamente inspectores e juristas, aceitem despudoradamente, e sem mais, a contínua referência (nos média que chegam a todos os portugueses) sem qualquer pudor e vergonha – por parte de gente com responsabilidade política/ decisória e de influência na sociedade – a que todos os portugueses trabalham mais horas que o seu horário (afirmações que apontam, no mínimo ilegalidade – o que num país europeu a sério punha a máquina da fiscalização a actuar – coisa que nesses até é eficaz ) numa evidente desinformação e manipulação dos cidadãos e alimento de invejas e divisonismos???

    O despudor com que se afirma a necessidade de cumprir compromissos com a má gestão, com os negócios ruinosos para o Estado, com contratos que servem privados… sendo que os únicos compromissos que não são para cumprir são, apenas, os contratos com os cidadãos e profissionais deste país!!!

    Somos um país feudal disfarçado de democracia.

    Percebe-se assim, e bem, o que estão a fazer na escola pública (onde não há um qualquer responsável que seja a exigir saber/ a exigir estudos/a exigir provas e resultados) através de exemplos que terão ido buscar ao Chile, aos Estados Unidos rural, à Índia pobre,…: semear o sucesso medíocre e a ignorância petulante, semear um país de gente sem Conhecimento, sem história e sem memória, sem passado e sem direitos que formará a mão-de-obra barata (mas satisfeita com o vizinho que está pior) com que a “Europa” concorrerá com a China…
    Mas os papás de hoje, iludidos com a tecnologia, os sofás coloridos, as metodologias supostamente “vanguardistas”, o direito ao sucesso e a felicidade (?) das criancinhas que passam na escola tantas ou mais horas que alguns adultos passam no trabalho compreenderão tarde a banha da cobra que lhes venderam… – apenas não a venham cobrar aos professores (que os há colaboracionistas de raiz? -claro que sim mas, pelo que conheço, são maioritariamente os que nunca gostaram muito da sala de aula)…mas um alerta: as escolas públicas estão, a bem e a mal, a serem empurradas para o sucesso da mediocridade…. ainda há quem não perceba a finalidade?

    A defesa dos cidadãos só serve nos momentos anteriores ao voto e na altura de pagar impostos – valemos, tão só e apenas, isto.

    Assim: 2019 está aí .
    – Que a vossa revolta aumente!
    – Que a vossa insatisfação se torne visível aos olhos de todos os portugueses!
    – Que vos indigne a MENTIRA , A FALTA DE VERGONHA E A CORRUPÇÃO!
    – Que exijam Hombridade, competência, honestidade e boa fé a gente com responsabilidade e, muito particularmente, à Administração Pública!
    – que luteis com os poucos, e cada vez mais suprimidos, direitos que ainda vamos tendo;
    – que deixeis a indiferença e o “albarde-se o burro à vontade do dono” pois que assim nunca nada mudará;
    – que aproveitem todas as circunstâncias para sentirem vaidade e dignidade pela profissão que escolhemos, ao invés de nós subjugarmos, encolhermos os ombros e deixar andar;
    – que todos os cidadãos – jovens, adultos, idosos; contribuintes, reformados e desempregados; trabalhadores do público e do privado; avós, pais, filhos e famílias; …; se unam por um Portugal melhor…a nossa “desunião” é o sucesso da corrupção, do fosso entre os ricos e os pobres, do trabalhar para sobreviver, da crescente pobreza.

    Porque 2019 é um ano para a Ira, para o Descontentamento, para dizer NÃO e BASTA…porque este é um dos poucos anos em que infelizmente olham para as pessoas – é um ano de eleições!
    Porque somos cidadãos e merecemos um País Melhor!
    Porque temos que nos unir e ir onde for preciso, às vezes que forem necessárias, para dignificar e defender a nossa profissão mas também dignificar este pobre país onde as diferenças sócio-económicas são gritantes e ultrajantes.

    Que 2019 “Quebre o Silêncio dos Bons”

    A todos um BOM ANO de 2019, que vos traga muita força, vontade de lutar e de conquistar, muita saúde, afecto e amizade.

    1. Eu já me contentava se deixassem de se matar uns aos outros nas estradas e evitassem bater nas mulheres quando elas se atrasam a trazer a sopa para a mesa. Os “revoltosos”, uma vez chegados ao poder e não conhecendo outra realidade, limitar-se-iam a reproduzir os costumes dos seus senhores. Mas há sempre quem queira acreditar no pai Natal por esta altura …

      1. Não quebrará, certamente (e correspondendo às expectativas de quem sabe manipular e dominar) qualquer “silêncio”. É um “devedor nato” a quem pouco, parece, ser suficiente – encaixa no perfil.
        O Pai natal é uma “história de encantar”… Talvez tenha mais a ver consigo… Afinal é mais fácil uma delas não se atrasar a colocar a sopa na mesa e assim parecer um grande feito.

      2. Um país de revoltosos, indignados e onde, pelos vistos, a culpa é dos políticos. Aos outros apenas cabe a responsabilidade de terem votado neles. No entanto …

        “Crédito para comprar carro bate recordes
        Portugueses devem 6,1 mil milhões de euros em crédito automóvel. É o valor mais alto desde, pelo menos, 2009.”

      1. Trump, amigos e similares deixo para si!

        Um bom ano com menos mortes na estrada e menos violência doméstica…
        (Não sei se será possível num país onde qualquer “man” nasce com volante nas mãos e a justiça para além de lenta é míope para com as vítimas…)…quem sabe o pai Natal até existe…

  9. Para o Paulo e família e todos os que frequentem o «Quintal» um excelente 2019! Haja esperança (embora pouca). A todos um abraço de amizade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.