Gosto Sempre Quando Me Chamam Ignorante…

… e me oferecem formação com patrocínio presidencial (ainda me lembro do grande introdutor dos “factos políticos” no jornalismo nacional) por parte de gente estimável mas que, desculpem-me a ignorância, desconheço em mais de metade dos casos, bem como à sua putativa obra de combate à pós-verdade e aos “factos alternativos”

Jornalistas e académicos portugueses vão dar formação a professores sobre literacia dos ‘media’ para conseguir que tenham e passem aos alunos espírito crítico sobre notícias, distinguindo o que é falso do que é verdadeiro.

E eu convencido que a grande preocupação deveria ser a dos órgãos de comunicação social deixarem de ser campo fértil para “plantação” de notícias e integrarem equipas de fact checking, tanto para as suas peças como para as diatribes de alguns “opinadores”.

Não… afinal os professores é que não sabem distinguir o verdadeiro do falso.

Esta parceria surge com “o objectivo de capacitar os professores para o desenvolvimento de actividades de Educação para os Media, esta formação segue a metodologia de projecto, envolvendo alunos e outros membros das comunidades educativas. Deste modo, tendo em conta a existência de componente teórica mas também prática, serão desenvolvidas actividades de Literacia dos Media, com milhares de alunos ao longo da formação. A formação tem início este sábado, 26 de Janeiro, num projecto-piloto que, este ano lectivo, irá já envolver cerca de 40 agrupamentos e 100 professores, formados por um grupo de 10 jornalistas e académicos: Manuel Pinto/Daniel Catalão, João Figueira/Miguel Midões, António Granado/Sofia Branco, Miguel Crespo/Paulo Barriga, Vitor Tomé/Isabel Nery. Com o alto patrocínio do Presidente da República, a formação – que envolve professores do 3.º ciclo e do Ensino Secundário já ligados a projectos de media nas escolas e professores bibliotecários – vai decorrer em 5 regiões do país: Faro, Évora, Lisboa, Águeda e Porto. As sessões de formação terão componente teórica (8h) e prática (12h), cujo objectivo é disponibilizar aos professores metodologias, recursos e ferramentas que poderão usar nas actividades de Literacia dos Media em contexto de sala de aula”, completa.

Sugestão de exercício prático aos “formadores” para demonstrarem a sua competência: façam lá o escrutínio dos 635 M€ que o ME diz custar a reposição integral do tempo de serviço, em vez de repetirem o número. Peçam as contas detalhadas… não multipliquem fake numbers.

 

15 thoughts on “Gosto Sempre Quando Me Chamam Ignorante…

  1. Mais uma ação “divina” da última santíssima trindade: ME, sindicato dos jornalistas e PR.

    Não resisto a transcrever esta pecaminosa passagem:
    “Num tempo em que temáticas como as fake news estão na ordem do dia, e em que o poder das redes sociais emerge, é urgente formar cidadãos informados, conscientes e participativos para o futuro coletivo, com o cada vez maior desenvolvimento de competências – de professores e, por conseguinte, de alunos – nestas matérias de consumo informado e crítico dos conteúdos difundidos pelos meios de comunicação social”

    Não há nisto, entre outras coisas menos cristãs, um fenómeno invertido? Um faz-de-conta que a CS faz o seu papel e, pasme-se!, mais uma vez a escola (leia-se, os professores) é que está a falhar?

    (Até parece que não há da parte dos nossos media a disseminação de fake news; nós é que interpretamos mal e como falsos os factos verdadeiros… Somos uns totós perversos.) 😨

    Enfim, lá vem mais um magote de euros para centros de formação e formadores e, por consequência, mais uma onda de formação por atacado… Por este caminho, nem McNamara a consegue surfar.

    Ah, vamos ter de deixar de dar aulas para fazer tantos retiros espirituais, ups, formativos. 🙃

    Gostar

  2. Concordo em absoluto com a ideia do fenómeno invertido… E com um case study relativo a tudo o que foram fake news e opiniões publicadas tendo como alvo os sujeitos e objetos destas formações.

    Gostar

  3. Quantos cifrões envolvidos? Deveríamos começar por aí. Esta nova deriva do ME está a alimentar muitos nichos por aí. Nas palavras de famigerada MLR, isto está a ser uma FESTA!.

    Insisto. Que valores estão envolvidos? É que eu soube hoje de uma formação em cidadania (ironia das ironias) que cobra 1000 euros para cinco horitas…E, segundo consta, o português da criatura é de bradar aos céus. É assim …como que… ‘a modos que’ … popularucho. Assim, nunca haverá verba para repor o que devem aos professores.

    Gostar

  4. Numa escola reduzida ao ler , escrever e contar , além da tal de “Cidadania e coiso ” faz , realmente, falta isto. É para sensibilizar ao aumento da venda de jornais???? No way!

    Gostar

  5. Mas terá havido ultimamente classe profissional mais lesada por notícias falsas do que os professores?
    Desde os cretinos que as plantam até aos acríticos jornalistas que as disseminam, quem delas se aproveita é toda uma jeriquia política criminosa – porque é de crime que se trata – e de criminosos que pensam como tal, de que o crime compensa, ou os benefícios daí advindos não fossem superiores aos eventuais prejuízos.
    Os badalados 635 M€ ou os números que o cromo da OCDE ajudou a espalhar – são exemplos paradigmáticos daquilo que os supostos formadores poderão/deverão ter à mão para os ajudar na sua missão.

    Gostar

    1. A sério?
      Se alguém habilitado e certificado para dar aulas se deixa enredar de forma sistemática – e não episódica – no fenómeno dos factos alternativos, provavelmente precisará, concordo, de uma boa ensaboadela, desculpem, formação.

      Gostar

  6. mihranda:

    Concordo e até diria mais:

    Em todas as escolas, muitos irão a correr, quase num atropelo, para se inscreverem nesta bendita formação, mesmo que tenham que a pagar… Onde é que está a dúvida?

    E isto é tão previsível que até “dói”. Infelizmente…

    É só esperar para ver…

    Gostar

  7. Por acaso, saberão os doutos que existe um saber e uma disciplina escolar que dá pelo nome de Filosofia? Manipulação, propaganda, sofismas, falácias… Conhecem o seu programa? Conhecem algum? Conhecem o currículo? Ainda pensei que iam aumentar a carga curricular da Filosofia! O que é que está gente pensa que é a escola, o que é que esta gente sabe do que fazemos com os nossos alunos? Ó Guinote, tem a certeza que isto não pertence ao novo reino das fakenews? Não sei como, mas isto ainda me espanta!

    Gostar

  8. Ó escola abençoada! Tu és lugar de todos os milagres! Quem lá entra cego, sai de olhos abertos! Já não precisamos da alegoria da caverna! Agora é que vai ser! ( não sabia que havia tanto dinheiro pra distribuír 🙂

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.