O Meu Sincero Agradecimento

A todos os que generosa e corajosamente fizeram a partilha, tornando este o meu texto mais ampliado desde que escrevo no Público, conseguindo que fosse hoje mais lido do que o de qualquer outro cronista, mesmo dos residentes.

Estendo o agradecimento aos idiotas que estiveram na origem da minha decisão de o enviar para publicação, quando podia ter ficado apenas aqui se não tivessem decidido denunciar o meu blogue como spam ao FBook.

PG Pub12Fev19 Part

Anúncios

Quanto Ao Anonimato…

… acho que há quem tenha direito a ele, para que não lhe aconteçam coisas estranhas. Em contrapartida, há quem ande a levantar suspeitas, de forma anónima, sobre o anonimato alheio, sabendo que do paradoxo, mas não se ralando, exactamente porque beneficia do seu. E nem falemos de perfis falsos que surgem de forma múltipla só para espreitar e ampliar mensagens de suspeição.

modo-incognito-google-chrome

Posições

Outra observação que me é feita é “que raio te preocupas em defender os enfermeiros se eles nunca nos apoiaram”, em regra seguida de “ainda por cima não se sabe de onde vem todo aquele dinheiro”.

Duas respostas rápidas a quem assim raciocina.

A minha posição sobre esta ou aquela causa que acho digna de defender não resulta necessariamente da proximidade que tenho com ela ou se no passado existiu um alinhamento ou apoio de posições. Muito menos o faço com base no cartão partidário de alguém. Há gente boa e má em todo o lado e há causas que não deixam de ter validade só porque alguém que as promove não é do que alguns consideram o quadrante político “certo”. Quem, entre os professores, não percebe que o atropelo de uma classe profissional e o seu amesquinhamento público com base em boatos e meias-verdades não é admissível é porque talvez mereça o que temos passado nos últimos 15 anos. É porque não sofreu na pele o que outros sofreram e, pelos vistos, ainda sofrem.

Em relação ao dinheiro, distingo duas situações, sendo que se vier a ser descoberta alguma fonte suspeita relevante, isso deve ser denunciado e não apenas objecto de insinuações. Mas, se tudo for claro, basta pensar que, sendo os enfermeiros mais de 70.000, se apenas metade deles tiver contribuído com 10 euros já se atingem os 350.000 euros. E com um depósito de 20 chega-se a 700.000 sem grande dificuldade. Se em todos os agrupamentos tivessem sido feitos fundos para a greve às avaliações e se metade dos professores em exercício (50.000) tivessem contribuído 10 euros por semana, durante um mês chegava-se aos 2 milhões de euros. São contas simples de fazer, mas parece que a literacia aritmética (isto são operações simples, nem sequer é Álgebra). Infelizmente, há quem não perceba o mais básico do básico. Aliás, o que me impressiona é não perceber no que é gasto o que alguns pagam em quotas.

profpardal

To Spam Or Not To Spam

Claro que já me chegaram aquelas opiniões do género… “ah, mas tu não spamas comentadores?” como se tudo fosse o mesmo.

Mas não é bem assim.

Neste blogue, que escrevo em nome pessoal e reconhecível, porque dou a cara sempre que necessário, coloquei menos de um punhado de comentador@s (acho que resta apenas um par) na “jarra”, mas não o fiz de forma anónima e sem aviso prévio. Se foi por “delito de opinião”? Não necessariamente, sendo mais por questões de gosto e vergonha na cara (a minha). Nos três casos que tenho mais presentes, foi porque decidiram entrar numa de gozo pessoal (um antigo colaborador, tristonho por não fazer parte da nova brincadeira) ou colaboraram activamente em estratégias de difusão de falsidades sobre mim (um stalker dos tempos do Umbigo e uma comentadora, incapaz de criar um espaço próprio e ver quem lá ia ler). Eis um dos casos, já a meter as anteninhas de fora, com toda a coragem do anonimato:

Outra coisa é ir, de forma anónima, a um espaço “neutro” denunciar todo o conteúdo de um blogue, procurando evitar que qualquer pessoa o divulgue. Claro, há quem queira tudo equiparar, mas as coisas são bem diferentes. Aqui, ninguém é bloqueado porque um grupinho de anónim@s, sem coragem de se assumir, decidiu que este gajo desta vez tem de ser metido no lugar.

Se isso me incomoda muito? Nem por isso… só me dá mais vontade de escrever e dá tema para uma meia dúzia de textos.

spamalot-banner.png

(aguardo agora as queixinhas e ameaças de processos, como nos tempos do engenheiro, mas nesse caso alguém terá de se assumir)

3ª Feira

Quando não há quem substitua quem demorou a chegar para substituir quem já não estava. O grande legado de 15 anos de erosão da imagem da docência pelo poder político e de degradação material da sua condição, para guardar uns milhares de milhões para  tapar buracos e fingir que os grandes negócios privados alguma vez foram mais do que ficção.

Galinhas

 

No Público, Impresso, Também Fica Giro

Mesmo se teve de levar uma edição de 500 caracteres para caber no espaço. Retirei a identificação directa de partidos e a pata presidencial, mas ficou o afecto, de maneira a não ferir tantas susceptibilidades como na versão original. Estou a ficar velho, é o que é. Um dia destes até encomendo pizzas para a ceia.

A escalada enfermeiros/Governo

O que a contestação dos professores não conseguiu levar adiante, para além de uma ou outra iniciativa mais heterodoxa, está a acontecer com os enfermeiros.

PG PB