Morreu Uma Amiga, Por Acaso Colega

Lutou uns 6 anos com o cancro, que foi aparecendo aqui, ali e acolá, escapando sempre ao tratamento e voltando poucos meses depois. Uma doença que a foi corroendo, debilitando, deixando uma sombra do que fora. Ao longo desse tempo de erosão física e psicológica, teve de comparecer às inenarráveis Juntas Médicas de burocratas que nem se identificam, nem olham as pessoas sobre cuja vida tomam decisões. A última vez que a mandaram voltar à escola foi ainda no início deste ano lectivo. Felizmente, resistiu e não voltou. Morreu hoje, quando por certo ainda a achariam demasiado nova para a aposentação. Este mundo está dominado por uma matilha de energúmenos (sim, há excepções de humanidade, mas são excepções) que apenas olham para tabelas e rácios. São maus os mandantes, mas são igualmente desprezíveis os operacionais na base da escala desta desumanidade. Não escrevo mais, porque se o fizesse teria de comparar a vida que impõem a uns com as mordomias de outros, em regra medíocres, mas com linhagem.

Candle

A Partir De Agora Só Greves Entediantes, Programadas E, Claro, Que Tragam Sacrifício Material Apenas Aos Grevistas E Poupanças Ao Estado

Vou agora esperar pela resposta indignada da “esquerda radical” a uma medida que se fosse de um “governo da Direita” seria razão para cuspirem todo o fogo dos Infernos.

CADEIRADEBALANÇO

(se calhar, até poderão refilar, mas estão a rejubilar por dentro por terem sido devidamente amestrados os heterodoxos e surpreendentes enfermeiros)

Uma Decisão Extremamente Preocupante

Neste momento, greves só daquelas com trela que dão lucro ao Estado. Tudo pela mão da “Esquerda” e o apoio tácito (quanto não explícito) dos “radicais”.

Enfermeiros: parecer da PGR pode ser usado para travar outras greves na Administração Pública

Conselho Consultivo da PGR diz que greve é ilícita pela “surpresa que constituiu a forma como ocorreu”. E defende que descontos nos salários dos grevistas devem abranger todo o período do protesto.

Que parte do Direito contempla a “ilicitude” da “surpresa”? Greves só se forem com autorização superior?

As conclusões do parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) quanto à “ilicitude” de um fundo de greve constituído mediante o recurso a financiamento colaborativo (crowdfunding) para apoiar os grevistas, como aconteceu com a paralisação “cirúrgica” dos enfermeiros, foram consideradas de “extraordinária importância” pelo primeiro-ministro “não só para o sector da saúde, mas para todos os sectores da Administração Pública”. António Costa tratou, assim, de homologar este parecer na parte que se refere à invulgar forma de financiamento, em despacho publicado esta segunda-feira em Diário da República. E informou a PGR “para os efeitos tidos como convenientes”.

dog_sim

3ª Feira

Para conforto de alguns, o estereótipo do raivoso das redes sociais e das caixas de comentários de jornais é alguém com poucos estudos, ignorante e frustrado com a vida. Acredito que aconteça e já vi e li casos desses, mas a minha experiência tem-me dado a conhecer mais o grunho de “sucesso”, alguém até com estudos, mas uma besta à desfilada quanto se trata de “discutir” qualquer tema sobre o qual tenha convicções desenvolvidas a partir do momento em que o “sucesso” lhe distorceu o complexo de inferioridade.

pavao