Ultimatos: Mini-Cronologia Para O Primeiro Terço De 2019

29 de Janeiro de 2019:

“Parece-nos que há um tempo útil, que é um tempo anterior àquele em que o Governo entra em modo eleições. Com eleições em maio, a partir de meados de abril será para esquecer. Eventualmente março, abril, ou seja, o que resta deste segundo período, será o tempo útil para resolver este problema, a partir daí será tudo muito mais complicado”, disse o secretário-geral da Fenprof, após uma reunião com o grupo parlamentar do PS.

16 de Abril de 2019:

“Esperamos que isto esteja resolvido até 15 de maio”, afirmou Mário Nogueira perante centenas de professores que estão reunidos junto ao parlamento, onde hoje são debatidos vários diplomas que defendem a recuperação integral do tempo de serviço congelado: nove anos, quatro meses e dois dias.

Em declarações aos jornalistas, Mário Nogueira lembrou que os trabalho na Assembleia da República são interrompidos em meados de maio devido às eleições europeias, realizadas a 26 desse mês, e retomados apenas em junho.

infinityandbeyond

Já Entrámos Na Fase Dos Números À Toa

Só não recomendo que o reenviem ao remetente, porque vou a São Miguel com alguma frequência.

No programa da TSF “Almoços Grátis”, Carlos César defendeu que se a proposta do PSD for aprovada “o custo sobe para 835 milhões de euros para os professores e mais 205 milhões de euros para as outras carreiras especiais que têm de ser também atualizadas, ou seja, a despesa total passa de 240 milhões – que é o que está previsto com o Governo – para perto de 1100 milhões.

smart-ass

O Que Têm Em Comum Estivadores, Enfermeiros E Motoristas de Substâncias Perigosas?

“Sindicatos-bebé” ou “sindicatos-surpresa” desalinhados dos grandes entendimentos do regime. Já repararam a velocidade com que fazem doer e provocam reacções rápidas sem necessitarem de plataformas que ocupam a largura de uma avenida para conseguirem ficar todos na foto com o cartaz? Alguém está a ver prolongarem as coisas por anos e anos ou todo um mandato? E acredito que paguem as pizzas que mandem vir para aguentarem os piquetes. Anti-sindicalista, eu? Muito pelo contrário. Tenho é uma certa aversão a profissionais da luta que ainda têm o desplante de dizer que gostariam muito de estar a dar aulas.

sindicatooo