Começou A Silly Season

A terminar o ano lectivo, quando quem trabalha tem mais que fazer, surgem anúncios em forma de notícia e outras coisas dignas de uma espécie de feira dos horrores da parvoíce.

Apareceu um Plano Nacional das Artes que, para arranque de hostilidades, começou com um daqueles lugares comuns requentados dos soixante-huitard como “indisciplinar a escola”. Anuncia-se que as escolas terão “artistas residentes” (como se eles faltassem…) e “três visitas de estudo por ano” e não sei se ria, se chore. Três visitas? Para quem? Todos ao molho? Três para todos em faseamento? Mas quantas visitas acham estas santas criaturas que as escolas fazem por ano? O novo coordenador é um alegre desconhecido fora dos círculo dos seus conhecidos; no seu currículo tem a obra Tudo é outra coisa. O desejo na Fenomenologia do Espírito de Hegel (2006) e é assistente convidado da Católica onde colabora na lecionação de “Cristianismo e Cultura” na Faculdade de Direito e na Faculdade de Ciências Humanas. Cá para mim deveria ser o novo coordenador do Plano Nacional de Educação Sexual para a Abstinência.

Ao mesmo tempo, sabe-se que as luminárias que comandam a nossa Educação, para combaterem a falta de candidatos aos cursos que dão acesso à docência, em vez de tornarem atractiva a carreira, consideram mais adequado baixar os critérios de ingresso. Querem acabar com o exame de Matemática e eu acho que deveriam também acrescentar o de Português e qualquer outro que não fosse o de Educação Física.

Entretanto, porque se ficou aqui com umas semanas sem saber o que fazer, para dar uma aparência de movimento e qualquer coisa em forma de “luta”, a Fenprof ziguezagueia e “exige” (e nós sabemos como este Governo tem sido sensível à voz grossa das exigências do camarada Mário e mais os seus outros camaradas) “medidas para combater o envelhecimento dos professores”. Eu recomendaria os implantes em silicone (peito, rabo, maçãs de rosto), as injecções de colagénio ou botox ou então um lifting em partes íntimas para quem foi sodomizado publicamente e talvez ainda tenha alguma dificuldade para se sentar sem uma daquelas almofadas ergonómicas.

bullshit-detector

4ª Feira

Uma manhã mais interessante e animada em termos comunicantes. Embora sempre com o risco de apanhar com alguém que, alegando ir colocar uma questão, basicamente quer demonstrar que também deveria ser comunicante.

Segue-se a estimulante tarde de avaliação em série.happy-dance