12 thoughts on “É Por Coisas Como Esta Que Nunca Irei Para O Céu Docente

  1. E no meio da confusão, aparecem iniquidades que até fariam Buda transformar-se num combatente do Daesh…
    Por exemplo: quem progrediu ao 4º escalão em 2010, só iria progredir ao 5º escalão em 2021; mesmo com faseamento, só progrediria em 2020. Quem progrediu em 2019 ao 4º escalão (ou outro escalão) pode progredir outra vez no mesmo ano, subindo 2 escalões em poucos meses…!
    Resultado: docente com menos tempo de serviço 2 escalões à frente de outro com mais uns quantos anos de serviço ‘nos costados’…!
    Por causa da manutenção das vagas para acesso ao 5º/7º, é ineficaz qualquer recuperação de tempo para quem esteja no 4º/6º sem ter tido as classificações ‘lambe-botas’ MB/Excelente…
    Na realidade quem está no 7º e acima, é quem tem o maior beneficio com a recuperação…

    Gostar

    1. Mário Silva, temos que ver pelo lado positivo, há quem não seja tão prejudicado. Temos de ser amigos uns dos outros :))) E posto isto, vou fazer o relatório que já ouvi dizer que não devo ter grande sorte …. mas posso ter sonhado ….
      bom feriado para todos.
      Paulo, céu docente, quem o quer???? ahahaha

      Gostar

  2. Agarramo-nos ao canudo, mas mostramos prontamente a nossa ignorância (por várias razões). Como podemos ser bons a ensinar se não aprendemos? Já experimentei o barrete e quase que me servia.

    Gostar

    1. ” Como podemos ser bons a ensinar se não aprendemos?”.
      Exatamente!

      Como disse há dias neste espaço a Maria P., falta-nos, logo já deveríamos ter aprendido pelo menos uma coisita (não falo de “altas e sofisticadas aprendizagens, ou, se calhar, até são…): unidos seríamos inquestionavelmente mais fortes. Mas, a cada dia que passa, estamos mais desunidos, para não dizer mais egoístas…
      O ME nem tem sequer precisado de se esforçar para o crescendo da desunião, incompreensão, etc., entre professores.
      Na minha opinião, exceções à parte, não deixa de ser triste e reprovável.

      Enfim, bom resto de feriado para todos, sem exceção, ou seja, para os que tiveram sorte com a(s) malabarice(s) do ME/ governo, para os que não tiveram, para os que graças aos atropelos ministeriais rapidamente ultrapassaram e ultrapassarão colegas, para os ultrapassados hoje e desde há 10 ou mais anos e também para os que não estão ligados ao “retrovisor”, seja lá porque motivo for.

      Gostar

    1. Vou voltar ao assunto, mas parte deste pedido tem a ver com a questão que já levantei anteriormente e que aqui mereceu apenas a atenção daqueles que estão na mesma situação ou, pelo menos, solidários. MUITO obrigada, Ana. Depois de meses calados, alguém do sindicato percebeu, ou fizeram-lhe perceber, que o faseamento para colegas que estão pelo menos há 15 anos nos escalões sujeitos a vaga, só lhes permite comprar essa vaga e não ser ultrapassados. Assim pode não restar tempo nenhum para ser usado quando mudarem de escalão. Somos duplamente prejudicados, não progredindo e, tal como as coisas estão feitas, vamos usar o tempo de serviço que nos deram de bandeja para não perder o lugar que temos na lista. Desculpem, mas, mais uma vez, para além de imoral, isto tem que ser ilegal. Assuma-se que ninguém na nossa situação pode pedir faseamento. Ou, então, 100% de vagas num determinado módulo de tempo. 15, 14 ou mesmo 10 anos, é tempo a mais.

      Gostar

      1. Peço desculpa, mas não terei lido esse comentário anterior.
        Os sindicatos têm prestado, em diversas situações, informações truncadas ou erróneas, em especial quando são casos mais complicados.
        A permanência durante todo esse tempo será no índice salarial, visto que os escalões mudaram em 2007, começando por ter quotas para os três escalões de topo a que se acederia para ser “titular” e mudando depois para quotas/estrangulamentos nos actuais 2º, 4º e 6º escalão (índices 188, 218 e 245).

        Essa não é a única situação que levanta muitas dúvidas quanto a legalidade e tratamento discriminatório, pois o faseamento não elimina injustiças, apenas dilui e difere no tempo a sua concretização/percepção..

        Gostar

  3. Tem razão, Paulo. Índice 245 desde 2005, professora titular em 2007, caso gritante de injustiça para com outros colegas, porque não tenho dois pesos e duas medidas. 8 escalão que desceu para 6 e nessa situação desde então. Não tendo a certeza de que vai haver solução a curto prazo, contrariamente a muitos colegas, penso que os professores do 4 e 6 escalões com classificação de Bom serão os mais prejudicados nesta altura. Se existe outro grupo de professores igualmente prejudicado, para eles também toda a minha solidariedade.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.