3ª Feira

Em algumas conversas, nos últimos dias, apercebi-me da profundidade das consequências dos anos de congelamento na desregulação dos procedimentos nas escolas em matérias como entrega de relatórios de AA, aplicação de quotas para a avaliação do desempenho, publicitação de listas de antiguidade e, agora com as coisas “extraordinárias”, a total confusão instalada com a “recuperação” de avaliações anteriores, quais podem ser, formação acreditada, etc, etc. Claro que se percebe que, com a carreira congelada de forma que chegou a parecer quase permanente, muita gente pura e simplesmente desligou de quase tudo e o “regresso à vida” tem o seu quê de traumático ou, no mínimo, de surpreendente.

Para além de que a “administração escolar” ficou estilhaçada entre os serviços locais que muitas vezes fazem interpretações abstrusas da lei e os serviços centrais que parecem tolhidos na sua autonomia técnica, esperando por orientações políticas, de valor jurídico muito duvidoso, para prestarem esclarecimentos oficiais válidos.mobile-zombie-anim-1

10 thoughts on “3ª Feira

  1. Olha, entreguei o relatório de auto-avaliação antes de saber que tinha os tais créditos da especialização (por exemplo) para usar. Suponho que não fará mal. A ver vamos. Para o ano, quando mudar, anexo-os. Ainda estou para ver o resultado final. Na avaliação anterior, não os pude usar … não me deixaram … tem graça, não tem? E por isso, não me deram Muito Bom, foi um dos argumentos. Agora, quero ver qual será. Preciso dessa alegre nota porque estou no famoso 4º escalão. Enfim, confesso não estar nada optimista nem muito preocupada.

  2. Tudo,tudo bem guardado ,fotocopiado/arquivado, antes de qualquer entrega.
    Presumo a confusão,a instabilidade e a total decadência que reina.
    Nada pior para quem gosta da sua profissão e tenta defender os alunos ( que muitas vezes comem por tabela ).
    Mas que país é este ?
    Ao que isto chegou !!!

  3. Acho que as escolas e os serviços do ministério não estavam ( não estão) preparados para esta avalanche. Não sei como se poderá resolver isso. Penso que não se pode.
    A pressa em fazer; a falta de ponderação, a falta de reflexão e o acautelar das consequência; o cumprimento da lei; …. Não deixa de ser ironicamente triste que tudo isto se passe no M. da Educação.

  4. O plano resume-se assim:
    Há ,havia no sistema um grupo que era melhor pago.
    Era o grupo de Professores que devido ao seu trabalho e anos de serviço ganhavam melhor que os recém chegados ao sistema .
    Há que chatear de todas as formas esse grupo,uns piram-se com aposentação,outros acabam por sair já com vários cortes salariais.
    Os que estão no meio ? Congelamentos de tudo ,progressões, vencimentos,etc.
    Grave agora e no futuro !!!!!
    No cálculo da futura aposentação , entra toda a carreira contributiva. E como descontaram menos no presente (20/30 anos )…no futuro …
    Sabem o que é isto ? É a total desvalorização de uma profissão.
    De uma das mais bonitas e importantes profissões.
    É o que penso mesmo. Começou com a Marilú /Sócrates ,tem continuado e continuará.
    Daí um ministro mais simpático,mais sorridente …e onde anda o nosso ????
    Complementado com um M.N. que só tenta defender o seu.

  5. Era mais que previsível. A conversa durante estes 10 anos era sempre a mesma: “Ó professor/a! Não se preocupe que está tudo congelado! As listas que se afixam ficam logo desatualizadas!”
    Agora, torcem a orelha! Mas nada que impeça uma secretaria, com quase 20 elementos, de parar à hora de almoço!
    Keep calm and have one more day!

  6. Ainda há muita gente que vai ganhar com esta confusão instalada ….e os que perdem injustamente e ficam uma eternidade à espera que se reponha a justiça (eu estou sempre neste 2º grupo).

  7. “As Respostas Da DGAE Às Dúvidas Da Andaep Sobre A Recuperação de Avaliações Passadas”
    Da leitura da resposta à 1.ª pergunta, fiquei com a ideia de que quem não reúne os requisitos do artigo 37.º do ECD (aulas assistidas e formação) pode usar ou a avaliação de 2007/2009 ou a de 2009/2011, se ainda não tiverem sido usadas para efeitos de progressão. Assim sendo, como à data dessas avaliações ainda não existia a obrigatoriedade de aulas assistidas para progredir aos 5.º e 7.º escalões (estatuídas pelo DR n.º26/2012, de 21 de fevereiro), subentende-se que os docentes que não integram as listas que estabelecem as vagas, podem também recuperar os 2 anos 9 Meses18 Dias.
    Não sei se fui clara, pois estou a escrever à pressa, mas se alguém entendeu a minha dúvida e conseguir esclarecer-me, agradeço imenso.

  8. Na avaliação do biénio 2009/2011 os docentes do 4° escalão já necessitavam de pedir aulas assistidas para mudar para o 5° escalão.

  9. No 7° escalão não existe obrigatoriedade de aulas assistidas para progredir. A obrigatoriedade de ter aulas assistidas para progredir é para os docentes do 2° e 4° escalões.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.