Qual A Utilidade Para A Sociedade De Um “Assessor de Comunicação”?

O Telmo Bértolo descobriu uma destas criaturas (neste caso um mero megafone do poder autárquico, daquele que já municipalizou a Educação, pelo que se percebe o “ambiente”) a perorar as baboserias habituais sobre os professores.

Quem acha que os docentes são uns privilegiados ?

village-idiot_mug

20 thoughts on “Qual A Utilidade Para A Sociedade De Um “Assessor de Comunicação”?

  1. O senhor é Assessor de Imprensa da Câmara Municipal de Famalicão… E como se chega a Assessor de um Presidente da Câmara? Eu sei porque já tive dois convites para exercer o cargo…. Numa dessas vezes, era eu muito jovem e escrevia coisas incómodas num jornal local, estava despregado… e tentaram compra-me com o cargo… Da segunda vez foi quase a mesma coisa mas prometendo-me uma carreira ”alavancada” pela mão, invisível, da cunha política…

    1. António Alves ,
      Acredito e fizeste muito bem em não aceitares.
      Que gente esta … vale mesmo tudo ! Felizmente nunca estive numa situação semelhante .
      Nojento todo este mundo , máfia e mafiosos de gravata.

      1. O “Correio do Minho ” também fica muito mal na foto.
        Permitir que um qualquer José Agostinho Pereira , utilize o seu espaço para revelar o seu ódio contra os Professores . Nojento e muito triste tudo isto.
        José Agostinho vai para a P.Q.P. !!!

    2. Antes de Assessor foi Secretário Pessoal do Senhor Presidente da Câmara… Tudo com muito desgaste e lugares a que se ascende pelas habituais questões meritocráticas…

  2. Obsceno! Esse senhor não conhece a vida, não conhece, sobretudo, a vida de um professor. Haverá muitas diferenças entre a nossa forma de trabalhar, mas não vamos generalizar a vida de todos porque se imagina a vida de alguns.
    Sou professora de Português do Ensino Secundário, tenho 57 anos, tive cinco turmas (147 alunos) o ano transacto, vou continuar com os mesmos alunos no próximo ano. Todos (TODOS) os serões são passados a: organizar/planear trabalho, a reajustar as aulas dos dias seguintes (tendo em conta o ocorrido na última aula de cada turma); a ler legislação recente; a preparar reuniões de Coordenação de Departamento, a preparar/reajustar trabalho iniciado nas várias estruturas da escola. Todas as semanas adquiro e leio imprensa escrita com o propósito (também) de a partilhar com os alunos, de neles promover o espírito crítico com base em informação recente. Adquiro e leio livros que me manterão actualizada para continuar num caminho de dignidade e inspiração para os meus alunos. Enquanto directora de turma, estabeleço uma ligação com os alunos e as famílias que, sendo gratificante, é esgotante. No final de cada ano lectivo, e depois de assistir a aulas de colegas em escolas do concelho (sou avaliadora externa), corrijo sempre (TODOS OS ANOS) provas de exame de 12.º ano (este ano, na 1.ª fase foram 45 provas para nove dias úteis). Enfim, tantas outras actividades que aqui poderia referir e que contrariam o que aquele senhor afirma. Uma vergonha, um desrespeito, que, infelizmente, minou a sociedade desde que aquela senhora que rejeitou ser avaliada e agora é reitora nos apelidou de “…zecos”. Como eu, muitos outros professores, de diferentes disciplinas e níveis de ensino levam a profissão muito a sério e são diariamente desrespeitados, a começar pela tutela, a passar pelas famílias e a terminar nestes “assessores”… Resta-nos a sala de aula, a dinâmica entre nós e os miúdos, o brilho dos seus olhos quando os ajudamos a iluminar os textos e a estruturar o pensamento. Isso, os “Assessores” nunca compreenderão.

  3. Desculpem, estou cheia de pena deste «senhor assessor»! A sério! Então, não é que o homem tem uma vida super preenchida! Vê-se logo pela foto a sua cara de sofrimento! Este texto demorou horas a ser escrito… largou toda uma carreira que poderia ter feito, com 50 dias de férias por ano, para viver miseravelmente como assessor… reparem as vezes que ele repete que nada tem contra nós… A vida de assessor é que é difícil… nós somos uns ingratos, uns lamechas, uns… enfim. Futuros académicos venham para esta profissão com 50 dias de férias. Aliás todos passam pelas escolas, não percebo porque não querem esta vida santa e uma santa vida de 50 dias de férias. Quanto ao senhor Agostinho, gostei tanto do artigo que ele escreveu, como aquilo que às vezes cai na sanita… com maior ou menor esforço.Já fiz a descarga. Mas… prometo que nestes 50 dias de férias não me vou queixar uma única vez por respeito ao trabalho duro que este senhor tem. Só uma última coisa, senhor Agostinho… a minha mãe, durante 30 anos foi, aquilo que o senhor designa, o prolongamento de umas máquinas (teares – conhece?), nunca a ouvi queixar-se. Nunca. E com isso pagou-me os estudos para eu agora ter 50 dias de férias e uma vida profissional magnífica (que não ouso queixar-me para que o senhor assessor, que não tem 50 dias de férias, não se irrite). Ah, já agora, quando souber de um lugarzito para mim, como assessora (vai ter que interceder por mim, porque sou filha de uma ex-tecedeira e nunca chego a conhecer os concursos para esses cargos), eu estou disposta a sacrificar os meus 50 dias de férias. Quanto ao ensino, o senhor já sabe,se quiser voltar tem que concorrer, mas terá 50 dias de férias. Mais, eu, o meu marido e o meu irmão até lhe facilitamos a vida e damos-lhe listas com contactos onde pode arranjar casa por este país fora, contacto de um mecânico que nos muda os pneus e faz revisões dos carros com bastante regularidade, instruções de como se preenchem os papéis para o desemprego, como se fazem malas rapidamente… Mas o senhor tem razão, estamos sempre a queixar-nos e nunca mudamos de profissão. Vá lá ajude-nos, diga-nos como concorremos para assessores e nós deixamos de ter 50 dias de férias e ainda nos sujeitamos a trabalhar perto de casa. Vá lá… somos só 3 da mesma família.
    Aguardo notícias suas.

  4. Resta-me desejar aos meus colegas de profissão uns ótimos 50 dias de férias. Os dias a que temos direito, depois do que nos fazem, valem mesmo pelo dobro, mas isso só lamechas como nós é que entendem. Bem haja a todos e a ti Paulo por nos dares espaço no teu/nosso QUINTAL.
    BOAS FÉRIAS!

  5. Com tantos benefícios, o homem que até foi “professor” arranjou logo forma de NÃO o continuar a ser…fala de barriga cheia e de trabalho a convite!

  6. Com tantos benefícios, o homem que até foi “professor” arranjou rapidinho forma de o deixar de ser.
    Fala de barriga cheia e de trabalho a convite! – Lamechas, invejoso e mal intencionado!!! Mas ao contrário do que se diz, há sempre forma de voltar…cruzes – canhoto que vai lá, ele, deixar a dureza do trabalho actual e a pobreza salarial – um verdadeiro Gandhi!

  7. Deveria ter continuado como fiel de armanzém. Não seria inútil. Obviamente, de filosofia nada percebe e de jornalismo também não. Como tantos outros poe essas câmaras fora, temos arrivista oportunista.

      1. Já enviei mail para o Correio do Minho, para o presidente da câmara e para o tal de assessor. Resposta nem vê – la

  8. Colegas, vocês ainda perdem tempo com estes palhaços!
    O melhor é ignorar. Esta gente é paga para mandar estas biscas. Parvos somos nós que ainda nos chateamos com isto.
    Boas férias a todos!

  9. Isto chegou-me hoje às mãos, em papel, e confesso que ainda digitalizei com a ideia de enviar por email, para o pessoal ver como, ao contrário do que muitas vezes se pode ler cá pelos comentários, os portugueses não estão com os professores.
    O que esse sujeito escreveu é o que eu oiço diariamente, mesmo a pessoas que me são próximas e têm oportunidade de ver, em primeira mão, o trabalho que tenho. A coisa acaba por ser: “tu até trabalhas e és responsável, mas o resto deles é tudo uma cambada de preguiçosos e choramingas”.

    Acabei por decidir não enviar, para poupar os olhos mas, pelos vistos, já cá tinha chegado ainda antes de eu ler.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.