O Legado Do Ministro, Desculpem, Secretário Costa

João Costa parte de secretário, mas deixa-nos o seu pensamento em forma de livro (em co-autoria com ou “professor-político”) que não de prática governativa. Talvez se ousasse ir a ministro pudesse transformar o Verbo em Coisa.

«A disputa é antiga e disparatada.» O secretário de Estado da Educação João Costa e o vice-presidente da Câmara de Almada João Couvaneiro discordam da dicotomia entre conhecimentos e competências que divide o sistema de ensino em Portugal. Profundamente ligados à docência, os dois autores explicam no livro Conhecimentos vs. Competências o porquê destes conceitos serem indissociáveis e imprescindíveis para o futuro da educaçãoA obra, editada pela Guerra e Paz, chega às livrarias de todo o país na próxima terça-feira, dia 3 de Setembro.

«Não há competência sem conhecimento. O conhecimento é a base sobre a qual tudo se constrói e, por isso, ninguém razoável o rejeitaria.» João Costa, actual secretário de Estado da Educação, e João Couvaneiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Almada e professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, não têm dúvidas quanto à indissociabilidade de competências e de conhecimentos na aprendizagem de crianças e jovens.

Os dois docentes defendem no livro Conhecimentos vs. Competências: Uma Dicotomia Disparatada na Educação que chega às livrarias nesta rentrée, um sistema de ensino apoiado na inclusão, na avaliação para além da memória e na cidadania em detrimento do que entendem ser uma falsa e disparatada dicotomia que divide os alunos entre o «horror ao conhecimento» e a falta de competências. 

Sem barreiras, para além dos muros da escola. Um livro que apresenta o declínio das estratégias de aprendizagens utilizadas na escola de hoje e propostas concretas para o futuro da educação. A aprendizagem personalizada, baseada em problemas reais ligados à experiência quotidiana dos alunos.  Para alunos, pais, professores, decisores políticos, mundo empresarial.

arauto em desenho

Mais Uma Transversalidade

Com a curiosidade de ser promovida a partir de um ministério que produz spin e fake news sempre que lhe dá jeito, truncando ou manipulando os dados de que tem o monopólio do acesso em primeira mão, e de um governo em que um ministro acha que as leis não devem ser interpretadas literalmente (Silva 1), enquanto outro acha que nada pode ser contrário à lei (Silva 2) e o PM finaliza dizendo que só acata recomendações da PGR se forem do seu agrado.

Tudo com patrocínio do presidente Marcelo que, nos seus tempos de jornalista, ficou conhecido pela criação de “factos políticos” tirados do nada.

Encontro Nacional de Literacia para os Media e Jornalismo – 16 de setembro em Lisboa

Claro que tudo isto se baseia muito na “formação” e na rede de colaboracionistas, digo, colaboradores, designados como “formadores”.

ardina

Quanto Por Notícias Se Entende Noticiar O Que Foi Noticiado Lá Fora Com Base No Que Se Fez Noticiar Por Cá

O Expresso engalana-se com o que é dito sobre aquilo que Costa disse na entrevista que publicou. E, como sabemos, o Financial Times é o farol da esquerda europeia.

 

Fica Bem Recompensar Os Amigos Fiéis

Só com muita dose de ingenuidade se leva com isto e não se desconfia do bodo… 🙂 Há quem à custa disto leve metade da semana a olhar para ontem e, como é natural, esteja fresquinho que nem alface para criticar os outros. Por isso é que há malta com a minha idade que dá 10 horas de aulas e o resto são “projectos” e “clubes” daqueles que se desenvolvem grande parte do ano em grelhas de computador e uns quantos fins de semana que servem para encher a boca meses a fio. E olhem que há quem, há não muito tempo, no próprio grupo de EF, tenha ficado de olhos em bico quando lhe expliquei certos “arranjos” que por aí há.

Que não me desculpem os interessados que poderão voltar a vergastar-me com os seus “argumentos” habituais, mas são mais de 1000 horários completos que, dependendo dos micro-lobbys de proximidade, criam situações absolutamente caricatas e grupos disciplinares de 1ª e 2ª em matéria de horários nas escolas e agrupamentos.

Ou ainda pior… consolidam-se práticas que alimentam guardas pretorianas dos poderes instalados em troca de… E olhem que não escrevo só por ouvir dizer, porque estas lentes acrílicas que a terra há-de infelizmente demorar a reciclar já viram mais coisas do que gostariam.

Créditos horários no Desporto Escolar vão aumentar

Desenvolvimento de modalidades nos estabelecimentos de ensino mobiliza o equivalente a 1000 professores.

ginastica

(força, pessoal, que venha o grupo do costume zurzir-me e negar que passaram a existir dt’s com quatro horas para duas turmas a cargo, como já começa a acontecer em algumas escolas, enquanto há quem tenha 6, 8 ou mais horas para diversas variantes destes créditos específicos e intransmissíveis…)

A Ler

Agradecendo à AC a referência. Acrescentando que o problema maior é quando a desinformação é apresentada sob a forma de informação oficial.

Disinformation and propaganda – impact on the functioning of the rule of law in the EU and its Member States

This study, commissioned by the European Parliament’s Policy Department for Citizens’ Rights and Constitutional Affairs and requested by the European Parliament’s Committee on Civil Liberties, Justice and Home Affairs, assesses the impact of disinformation and strategic political propaganda disseminated through online social media sites. It examines effects on the functioning of the rule of law, democracy and fundamental rights in the EU and its Member States. The study formulates recommendations on how to tackle this threat to human rights, democracy and the rule of law. It specifically addresses the role of social media platform providers in this regard.

Fake