Como Spinar As Coisas

Há 50 escolas/agrupamentos com “semestres” e anuncia-se que “há cada vez mais escolas” a fazer isso. Claro, pois antes não existia nenhuma. Bastariam 2 ou 3 para serem mais do que há um par de anos. As “unidades orgânicas” são mais de 800. É fazer as contas de tamanho sucesso.

Mantendo o calendário religioso das pausas lectivas e juntando uma obrigatória avaliação intercalar (porque um “semestre” acaba por ser “longo”), não me parece a melhor das ideias, mas sabeis que sou um matarruano conservador, imobilista e impermeável ao século XXI. Dizem que se dão menos dias de aulas e tudo, o que é curioso em quem se queixa de falta de tempo para leccionar os conteúdos.

Calendario

(já agora… começam a ouvir-se algumas realidades sobre a semestralização de disciplinas´como a História, opção que pode levar a que os alunos estejam todo um ano sem aulas dessas mesmas disciplinas… basta terem o 1º semestre no 5º ou 7º e o 2º semestre no 6º ou 8º… consta que é “óptimo” para o desenvolvimento e consolidação de aprendizagens significativas, claro…)

10 thoughts on “Como Spinar As Coisas

  1. Para ser claro, a minha sobrinha frequenta uma escola de Seia (está no nono) e teve algumas disciplinas semestrais. Uma delas foi Francês e o resultado foi este:
    1. Os conteúdos foram lecionados a vapor;
    2. Entre o 7.° e o 8.° esteve, de facto, um ano inteiro sem contacto com a disciplina.

    Em conclusão, a miúda não gostou da brincadeira.

    Gostar

  2. Eu tinha 0 agora tenho 1…. Crescimento de 100%!
    Espetáculo!!!!
    Mais engraçado é não haver ninguém interessado em saber realmente a opinião de professores e alunos. Seria pertinente avaliar o sucesso das aprendizagens anuais e semestrais se houvesse uma instituição credível e não um aparetchick como o IAVE. Até aquela coisa das provas de aferição podiam servir mas será que há vontade?

    Gostar

  3. Estou num Agrupamento com semestres pelo 3º ano consecutivo. A semestralidade não incide nas disciplinas, que continuam todas a ser anuais. Apenas a avaliação dos alunos se processa desse modo. Para os professores é penoso, pois passámos a ter 5 momentos de avaliação (3 intermédios e 2 semestrais). Os dias de aulas são exatamente os mesmos, pois temos que cumprir as semanas regulamentadas pelo ME. As reuniões do 1.º semestre decorrem sem qualquer pausa letiva, o que deixa todos à beira da exaustão, como não deverá ser difícil imaginar para quem é professor…

    Gostar

    1. se são reuniões de avaliação, tem de haver interrupção letiva, já que não é possível organizá-las com os profs a lecionar; e depois, essa interrupção tem de existir para os alunos, porque eles têm aulas em dezembro até mais tarde.

      Gostar

  4. Por aqui ? Outro matarruano conservador.
    Cheira – me a esturro e a esperteza saloia. Toca a tirar horas aqui e colocar ali. Onde interessar a alguns . Não propriamente aos alunos … sim a alguns chico espertos … assim tipo golpadas. Quem não os conheça que os compre.

    Gostar

  5. E o que me dizem ao projeto “teach for Portugal”?
    Fui surpreendida, numa reunião, com a presença de uma jovem que , apesar de solicitada mais do que uma vez,não conseguiu explicar a sua função.Apenas explicou que iria estar todo o ano a acompanhar uma colega em TODAS as suas atividades letivas e até se disponibilizou para , quando necessário, ficar a trabalhar com metade da turma. Era uma reunião do 2º ciclo e a professora “acompanhada” leciona Matemática e C.N.
    Questionada sobre as suas habilitações” a menina” referiu ser da pré e do 1º ciclo….acabando por referir que o papel dela era OBSERVAR!
    Bom , cheguei a casa e fui pesquisar. 😂
    Aconselho todos a fazerem o mesmo, pois é hilariante o final de uma formação de 300h de “lideres” ou o vídeo intitulado ” E se as aulas fossem assim?”
    Divirtam-se

    Gostar

  6. Não há pachorra para esta gente que não consegue ver para além do concreto (isto… partindo do princípio que são gente que acredita e não meros serviçais)!!!
    Deslumbrados, palavrosos, envaidecidos e convencidos que são génios (sem qualquer fundamentação)… e… depois há os outros: os que olham bem mais longe e passo a passo, medida a medida, mais ou menos polémicas vão avançado com o planeamento e a paciência necessária no alcance do grande objectivo: destruir a educação pública…
    … vão parir elefantes que já lhes deve ocupar o tempo!

    Gostar

    1. Parir ELEFANTES, mesmo, …no sentido literal e denotativo das palavras! (pois que no sentido conotativo e virtual são altamente produtivos na matéria e só por tal não há uma espectacular riqueza pelo menos, em dentes de marfim )

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.