Conversa Da Treta Pura E Dura Pois Em Caso Algum Se Antevê Que Faça Seja O Que For Acerca Disso

Proclamação ocasional plena de vazio, conforme a plateia (neste caso uma “espera” de Mário Nogueira com comitiva sindical, a lembrar tempos pré-.geringonça de activismo façanhudo). Enquadra-se muito bem no cenário geral de fingimento que impera no país.

Não vi imagens, mas acredito que teve muitos sorrisos e quiçá abracinhos.

Marcelo afirma que “É importante que a municipalização não enfraqueça a autonomia das escolas”

profmartelo (1)

Não São Mais Ou Menos Os Mesmos?

Os que produziram (ou mandaram produzir) “informação” e parangonas a amesquinhar o mais que puderam a classe docente perante a opinião pública e apoiaram a sua desvalorização material e simbólica que agora andam por aí como se estivessem muito aflitos com a carência de professores no ensino público? Ou acham que todos nos esquecemos de quem foram e são? Já se perguntaram porque não há notícias sobre a falta de docentes seja de que disciplinas forem no ensino privado?

E a culpa de todas “falhas” de todas as brilhantes reformas, claro, será dos professores que faltam, que estão velhos que etc e tal que nem as conseguiram entender.

JN30Nov19

Jornal de Notícias, 30 de Novembro de 2019

O Factor De Sustentabilidade Está De Boa Saúde E O Centeno Recomenda-o

Um tipo com 60 anos que se reforme leva uma cacetada superior a 50% do salário, mesmo que tenha trabalhado 35 anos.

Quem no próximo ano se reformar antes do tempo enfrenta um corte na pensão na ordem dos 15,2%, a acrescer aos 0,5% por cada mês que falte para chegar à idade legal da reforma. É o resultado do aumento da esperança média de vida, um indicador que esta manhã foi tornado público pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

up+main

Comparações

Agradeço a referência acerca deste interessante índice de bem-estar da OCDE à AC. Porque quando um tipo sai dos feudos de certos amigos de Portugal, encontram-se coisas interessantes.

Eis o ranking global do bem-estar, em que ficamos à tira nos primeiros 30 em 40 países.

OCDEBetter

Mas quando o amigo Andreas não está a controlar, o indicador da Educação da “nova Finlândia” vem por aí abaixo para o 33º lugar, apesar do brilhantismo das reformas costistas.

OCDEEDuc

Mas o pior mesmo é quando se vai para o indicador da “satisfação com a vida”, pois deslizamos para o 34º lugar. Povo ingrato que não entende como os nossos governantes (se) governam de forma tão brilhante.

OCDELIfe

Sim, o ambiente e a segurança estão no top, mas tentem lá ver como são as coisas ao nível do emprego e dos rendimentos… de novo a rondar o 30º lugar. Trabalho precário e mal pago como regra de um país sem estratégia sustentada de desenvolvimento para lá de pacotes de subsídios, turismo e negociatas com empresas privatizadas que funcionam num regime que, na pior das hipóteses, é de oligopólios cartelizados que capturaram, com recurso a mexias, o Estado e os seus galambas.