A Tolerância Inclusiva

Parece que após o post da “marca branca” (o template deste quintal não engana!), acumulando com alguns reparos resultantes da minha “imaginação sociológica”, o David Rodrigues decidiu ter a atitude que se impõe em alguém que aprecia o debate no século XXI e desamigou-me no fbook. Está no seu direito, pois eu também “desamiguei” um par de pessoas aqui no blogue. Só que eu nem sou um tetraneto bastardo do Modelo Único da Inclusão nem um dos maiores defensores da tolerância e da flexibilidade. Se ainda consigo meter-me under their skin é um bom sinal. Quer dizer que ainda lhes resta alguma sensibilidade e há uma réstia de esperança de bom senso. Eu proponho desde já a criação de um Perfil do Professor da Escolaridade Obrigatória, com referência incontornável à cor de cada um, que é para se poder aferir da sua qualidade e adesão à nova grande fé.

Já agora… prometo post sobre alguns dos “conceitos” paródicos que usei na troca de comentários (Modelo Único de Inclusão, Cortesãos Inclusivos e Círculo Interno do Poder ou algo parecido) de há uns dias e que foram correctamente classificados como “imaginação sociológica”. Alguns são mesmo bué divertidos e retratam até melhor a realidade que vivemos do que alguma “sociologia dos tadinhos”.

Laughing2

(também poderei discorrer sobre o conceito tolerante e inclusivo de “dor de corno”, mas… o seu a seu dono…)

8 thoughts on “A Tolerância Inclusiva

  1. Não lhas perdoe Guinote… até porque eles têm-lhe um amor inusitado… É muito ”demolhadouro, em inclusão, tolerância, até, quiçá, budismo zen, que lhes dá essa aura de bonomia que permite tudo… menos uma crítica à sua religião de pedagogia redentora e salvífica…

    Gostar

  2. Antes marca branca do que pedigree tresloucado. Mas que pena não ter dado conta do ocorrido … ainda sobre as linhagens, de boas famílias és tu, no que diz respeito à tua educação, percurso educativo. Poderão dizer isso aqueles que, sem melhor epíteto, se socorrem de termos de super mercado Continente?
    Há falta de melhor, usa-se o que se pode e sabe. Neste caso, teve sorte, uma marca de sucesso. Uma marca que não é marca. Que está em todo o lado. Já ele …

    Gostar

  3. ” Viródiscoetocomesmo”. É com esta retumbante expressão que os “admiradores” do personagem citado classificam as suas verborreicas incursões debitadas anos a fio. Surpreendentemente, fazem-no com alguma ternura , constato .
    Pessoalmente, as únicas referências que possuo acerca das suas ” teorias” resumem-se a um considerável número de artigos , da sua autoria, que li no Público . E chega. Resumo : ” viródiscoetocomesmo”

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.