E A Pobreza De Espírito?

Se possível com análise por freguesia, que isto de regiões mistura demasiada coisa e pode enganar muito, metendo Coimbra no mesno saco da Malcata e o Restelo no cabaz que também leva a Quinta do Mocho ou aqui o Vale da Amoreira. Apesar de tudo, merece que se espreitem os dados da FFMS.

Pobreza

24/7

Há tradução em português. A lógica da exploração do “tempo inteiro” da vida de todos nós enquanto produtores, consumidores, peças de uma engrenagem que não pode ter tempos mortos. Tudo contado ao minuto.

We are long past an era in which mainly things were accumulated. Now our bodies and identities assimilate an ever-expanding surfeit of services, images, procedures, chemicals, to a toxic and often fatal threshold. The long-term survival of the individual is always dispensable if the alternative might even indirectly admit the possibility of interludes with no shopping or its promotion. In related ways, 24/7 is inseparable from environmental catastrophe in its declaration of permanent expenditure, of endless wastefulness for its sustenance, in its terminal disruption of the cycles and seasons on which ecological integrity depends.
In its profound uselessness and intrinsic passivity, with the incalculable losses it causes in production time, circulation, and consumption, sleep will always collide with the demands of a 24/7 universe. The huge portion of our lives that we spend asleep, freed from a morass of simulated needs, subsists as one of the great human affronts to the voraciousness of contemporary capitalism. Sleep is an uncompromising interruption of the theft of time from us by capitalism. Most of the seemingly irreducible necessities of human life – hunger, thirst, sexual desire, and recently the need for friendship – have been remade into commodified or financialized forms. Sleep poses the idea of a human need and interval of time that cannot be colonized and harnessed to a massive engine of profitability, and thus remains an incongruous anomaly and site of crisis in the global present. In spite of all the scientific research in this area, it frustrates and confounds any strategies to exploit or reshape it. The stunning, inconceivable reality is that nothing of value can be extracted from it. 

247

Pelo Público

Porque é importante perceber que certos “sucessos” não passam de ficções produzidas para esconder que – na vida real extra-portões – a realidade é a da erosão do que foram 200 anos de árduas conquistas sociais e de aumento das desigualdades que nenhum diploma automático do 12º ano consegue ultrapassar, sem as adequadas “conexões” ou cartão.

E quem aparece por aí a clamar que a flexibilidade, a inclusão e a descentralização são o alfa e ómega para singrar no século XXI não passam de peões na lógica-centeno que mantém em funcionamento do “mais com menos” e devolve o manual no fim do ano. Tudo com chancela de “esquerda” e pózinhos de pseudo-consciência ambiental (daquela que abate coberto vegetal e espalha alcatrão e piso sintético para fazer pistas “ecológicas” para tardo-hipsters tugas).

Pode a Educação mascarar o retrocesso social?

A sociedade ocidental do século XXI perdeu a dimensão meritocrática que marcou o século XX. E não há níveis de sucesso escolar que possam ocultar isso.

PG PB