Num Município De Educação Municipalizada Perto De Si

Há muitas formas de o poder local exercer a sua influência sobre o modo como o pessoal docente é gerido e avaliado. Podem dizer que não querem fazer os concursos, mas querem fazer muitas outras coisas. Mas, como acontece tantas vezes, fazem-no com recurso a concepções que me fazem lembrar a pré-história de algumas profissionalizações dos anos 90. Porque encalharam por ali e os “conceitos” cristalizaram.

Eis as instruções para a observação de aulas num agrupamento à beira-Tejo, ali mais como quem sobe da lezíria. Claro que o senhor Presidente da Câmara já foi, algures no passado, professor,

Orientações para o processo de Observação  Mútua  de Aulas

Na sequência da experiência realizada nos anos letivos anteriores e contribuindo para o objetivo definido no Projeto Educativo Municipal (Eixo 1, Meta A 1.2),  a observação mútua de aulas no presente ano letivo decorrerá, uma vez mais,  numa perspetiva de trabalho colaborativo; assim,  pelo menos 40% dos docentes de cada departamento procederá à observação mútua de duas aulas em dias diferentes.

Dado que o processo de observação de aulas pode ser um contributo relevante para o desenvolvimento profissional de todos nós, envio um documento para orientação da  tarefa da observação de aulas, fornecendo  alguns exemplos de focos de observação tais como as atividades / estratégias implementadas, as formas de comunicação, o discurso do professor, os materiais utilizados, a interação na sala de aula e o controlo da disciplina. Serve também de base à recolha de informação durante todo o processo. O professor observado e o professor observador podem selecionar, por mútuo acordo,  os focos de observação que entenderem ser mais pertinentes. Não é obrigatório que selecionem todos os focos mencionados.

No encontro pós-observação de aulas entre os dois docentes devem fazer uma reflexão com base nos registos efetuados e fazer um balanço do processo.

O doc. enviado em anexo, depois de preenchido,  ficará apenas na posse do par de professores intervenientes na observação mútua e o seu conteúdo é sigiloso.

Cada par:
– deverá, para cada um dos elementos, agendar entre si duas aulas a serem observadas até final do mês de maio (por exemplo uma observação no 2.º e outra no 3.º Período) numa aula de 90 minutos ou de 45 minutos de acordo com o estipulado pelo par pedagógico. Esta calendarização não pode implicar perda de aulas para as turmas dos professores envolvidos.

– deverá informar a coordenadora de departamento do calendário estabelecido para as aulas observadas, através de e-mail, até ao final de fevereiro.

– poderá solicitar na direção formas de compensação do tempo ocupado na observação de aulas.

Concluído o processo de observação mútua, os colegas deverão fazer um balanço da atividade de observação, identificando: – os “ganhos” para o seu desenvolvimento profissional, as dificuldades sentidas e sugestões de melhoria do processo de observação de aulas no futuro. Estas apreciações não deverão incidir sobre as práticas pedagógicas observadas em concreto mas sim sobre a experiência vivenciada.

Assim, cada par deverá elaborar um pequeno relatório em que sejam mencionados os aspetos positivos e negativos do processo para que seja feito o balanço do mesmo no Conselho Pedagógico. O documento deverá ser enviado por correio eletrónico à coordenadora até final do mês de junho.

Em anexo envio, também, um powerpoint apresentado pela professora Maria do Céu Roldão numa sessão de formação sobre Observação Mútua de Aulas que decorreu no nosso Agrupamento .

Sobre o powerpoint penso que não é preciso sublinhar o quanto me faz saltar uns 20-25 anos para o passado. Tem a data de 2016, mas poderia ser a de 1996: SUPERVISÃO- MCR.

E a grelha grita por todos os lados “século XX”. Se isto é uma consequência da “autonomia” e da “inovação”, lamento, mas cheira a mofo.

Grelha ObservAulas

14 thoughts on “Num Município De Educação Municipalizada Perto De Si

  1. Paulo Guinote

    “Observação mútua de aulas / Projecto Educativo MUNICIPAL”. Este insólito “binómio” causa-me alguma perplexidade . Por isso pergunto: à Câmara é conferido algum papel num domínio tão específico como este?

    Gostar

  2. Sendo esta uma prática interna comum nas escolas, não sei que relação tem com o poder local. Parece-me que se trata apenas de um documento interno de trabalho

    Gostar

    1. De acordo sobre o tratar-se de um documento interno de trabalho. Mas ele reflete a tendência a tornar comum por via administrativa uma prática que não sei se será, como o afirma, uma prática interna comum. A sê-lo não o será para que sejam preenchidas grelhas portadoras de sugestões de melhoria que, depois de muito analisadas, permitirão alterações inovadoras das práticas com vista ao sucesso de todo o sistema.

      Gostar

  3. Este hábito de remeter para os eixos e as metas do projeto educativo municipal já vem de trás e tem feito um tortuoso caminho de acordo com a lei do desenvolvimento desigual e combinado destas coisas. Resulta em parte do que se passa nos Conselhos Municipais de Educação e das tentativas aí feitas de articular as diferentes articulações que se vão articulando noutros projetos.

    Gostar

  4. Docentes envolvidos em namoros aos postigos.
    Número de aulas observadas com excesso de crianças sentadas.
    Data e hora da observação que pariu a revolução.
    Aspectos negativos: muitos químicos paliativos.
    Sugestão de melhoria: que se lixe a sabedoria.

    Gostar

  5. A (in) competência dos municípios irá ao pormenor do leito e do wc. Estamos entendidos?
    Só não vê quem não quer.
    Há gente que gosta de levar: quanto mais me bates, mais gosto de ti.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.