Coisas Que Me Parecem Claras E Óbvias

  • Um aluno do ensino público deve frequentar o seu currículo padrão que, no Ensino Básico, não contempla opções.
  • Um aluno do ensino público que se balda a uma disciplina e falta sistematicamente pode, em termos legais, ficar excluído por faltas se o faz sem justificação aceitável.
  • Um aluno do ensino público que tem boas notas a todas as disciplinas e tem excesso de faltas apenas numa, em regra, transita de ano por decisão do Conselho de Turma. Aliás, se não transitar, com “positiva” e de qualidade em tudo o resto, quase certamente uma decisão de retenção seria bloqueada em Conselho Pedagógico. Mais certo será passar com meia dúzia delas, com este ou aquele truque.

Dito isto:

  1. Eu não concordo muito com a posição daquele encarregado de educação que alegou objecção de consciência para impedir os seus educandos de frequentar a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento. É uma espécie de bloqueio ideológico a reagir ao que se entende ser uma deriva ideológica do currículo.
  2. Concordo ainda menos que o SE Costa, por despacho, desautorize a decisão de Conselhos de Turma que decidiram pela transição dos alunos. É, em meu entendimento, um abuso de poder, por motivos ideológicos, pois aposto que se a coisa tivesse acontecido com Ciências, História ou Inglês, ele não teria feito tal intervenção.

Pelo que acho:

  1. Perfeitamente razoável que o encarregado de educação recorra aos Tribunais, tendo eu quase a certeza que lhe darão razão, pelo menos na parte da transição.
  2. Perfeitamente inaceitável que, em tal disputa, se lixe um ano ou mais da vida dos alunos em causa.

JCosta1

14 thoughts on “Coisas Que Me Parecem Claras E Óbvias

  1. É o velho problema da desobediência civil aqui na figura da objeção de consciência. O recurso aos tribunais é a saída existente no nosso quadro legal. Vamos ver no que dá. A lei será o juiz ou, o que vai dar no mesmo, os juízes interpreta-la-ão e dessa interpretação darão conta.
    Não estou a ver o apelo à figura da objeção de consciência como justicação da recusa de frequência de história ou matemática, mas muito provavelmente ainda não fiz os últimos updates ao sistema.

    Gostar

  2. Sabes, quando nas orientações da DGEstE a máxima preocupação é mais no sentido de se assegurar que a produção ideológica educativa (PA, as AE, o DL55 e DL54) é seguida enquanto se tenta literalmente sobreviver fintando perdigotos e espirros na arena escolar, é natural que o SE sinta que a grande prioridade passa por gravar o ferro curricular com o seu brasão de família socialista na coxa de cada aluno. Não nos podemos esquecer daquilo que disse o DF e que tu há uns tempos relembraste: https://www.publico.pt/2018/05/23/sociedade/opiniao/as-politicas-educativas-nao-sao-neutras-a-proposito-de-um-texto-de-david-justino-1830611

    Gostar

  3. Um aluno que não gosta de peixe cozido não come nessa refeição ?
    Em casa dos meus Pais sempre fomos habituados a regras. A refeição era peixe cozido ?
    Comíamos todos e mais nada. Se alguém não gostava podia comer menos , mas comia.
    Não gosta de uma disciplina e não vai ? Não concordo .
    Toca a comer peixe cozido !!!!

    Liked by 1 person

    1. A Cidadania não é uma «disciplina» como as outras; é um poço de ideologia. Andam estes sujeitos a retirar horas à História, entre outras, para todos levarmos com estas m…ces.

      O ano passado, numa turma do 10.º ano, gastaram-se horas intermináveis a propósito dos direitos dos animais. Porquê? Porque é uma das razões de viver da diretora de turma. A garotada detestou – e detesta – aquilo! É razão para não pôr lá os pés?

      Gostar

  4. por muita razão que o SE costa tenha. Fez C*****. ultrapassou os limites das suas competências. O que é que isto vai dar no final? Os miúdos sairão prejudicados….só isso.

    Gostar

  5. Eu concordo com os pais e a reacção do SE demonstra que eles perceberam bem a visão ideológica do Estado. Eu até gostaria de saber como se processa em determinadas escolas ligadas a certos cultos (nem os indico, que é para não criar uma aqui confusão de gritos de virgens ofendidas, que também as há). Podia ser mais inteligente e comparar com outros tempos e outras Mocidades, só para salvar a discussão, porque assim já ninguém se ofendia, mas o que é relevante é sentir-se o resvalar da função do pai e da mãe para um “educador” maior, o Estado. Não é por caso que se escreve coisas destas:

    Gostar

  6. Hoje, os alunos os alunos no básico passam com ma catrefada de negativas (7, 8, o que for). Mesmo quando o CT não aprova e o CP também não, o paizinho ou a mãezinha faz recurso para a dgeste e dão-lhes razão, contra as decisões da escola.

    Assim, obviamente, esta é apenas uma birra de bate o pé, do quero, posso e mando do SE. Bonitos tiques, sim senhor… Por baixo daquela pele de cordeiro…. ui, ui.
    Se fizer o mesmo que na Nova, vai fazer a folha ao Tiaguinho não tarda nada… É que a aposta saiu-lhe furada e teve de engolir em seco quando não foi escolhido para ministro. De nada lhe valeram os sorrisos e os bjs à big boss PS em noite de eleições…

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.