O (Anti-)Racismo É Uma Moda?

Porque dá a sensação que sim e que há quem se sinta muito bem no papel que escolheu nesta espécie de triste circo. Os que, finalmente, parecem querer sair da casca sem tantos preconceitos e aqueles que, nunca os tendo visto fazer seja o que for em tal matéria, agora batem no peito do anti-racismo. E tudo me parece encenado, dando corpo a uma estratégia mediática para ocupar o pouco espaço que o vírus e os perseguidores do Cavanni deixam livre.

E fazem-me lembrar aquele vulto do esquerdismo nacional com que contactei alguns anos e que, mal teve dinheiro de obra bem paga, mudou de casa e como critério básico só tinha o não querer ciganos por perto. Ainda bem que o recente manifesto não chegou aos 40 ou a criatura ainda por ali aparecia.

O problema do racismo merece muito mais do que estátuas degoladas ou condenações de desfiles de máscaras.

janus

O “Povão” É Tramado

E agora os inteligentes do costume que me expliquem isto. Porque não era este o eleitorado preferencial de Lula?

Bolsonaro com a melhor avaliação desde início do mandato. Mais vulneráveis contribuem para resultado

Não estou a ajuizar nada, apenas a constatar a evidência de que há quem vote em que dê forneça “pão e circo”. Ou vice-versa. Porque um sem o outro, não é bem a mesma coisa.

Na análise feita pelo jornal, é possível perceber ainda o peso que os mais vulneráveis tiveram na avaliação feita, uma vez que “dos cinco pontos de crescimento da taxa de avaliação positiva, pelo menos três vêm dos trabalhadores informais ou desempregados que têm renda familiar de até três salários mínimos, grupo alvo do auxílio emergencial pago pelo Governo desde Abril e que tem a sua última parcela programada para saque em Setembro”. Trata-se de um apoio no valor de 600 reais mensais (cerca de 94 euros), motivado pela pandemia de covid-19.

Mas não foi só a avaliação positiva que subiu. A avaliação negativa também desceu: nesta pesquisa, 34% consideram o Governo péssimo, quando na anterior esta percentagem se situava nos 44%. Já os que classificam o Governo de Bolsonaro como regular representam agora 27%; em Junho eram 23%.

Povao