Coisas Que Custam A Perceber

Ainda não há aulas presenciais… mas parece-me que a Economia não está parada. Ou estará? Porque de acordo com o actual PM, se as escolas fecharem (leia-se… se pararem as aulas presenciais) a Economia pára.

O primeiro-ministro deu a cara pelas novas medidas de restrição, as tais que acompanham um país – todo ele – de novo em estado de contingência, já a partir de terça-feira. E apareceu com uma mensagem determinada, a justificar esse novo apertão nas regras: “Temos uma linha vermelha: não podemos voltar a fechar as escolas, não podemos voltar a fechar a economia.”

Esta não pode ser uma “linha vermelha”… a menos que António Costa seja mesmo irresponsável. E a menos que o “aparelho” esteja afinado e pronto para mentir à opinião pública, se isso for necessário para manter a linha vermelha no lugar.

(será que longe dos microfones disse algo mais interessante, quiçá picaresco sobre os professores que metam atestado?)

22 thoughts on “Coisas Que Custam A Perceber

  1. Mesmo que não tenha dito, há muitos acólitos do SE, além de alguns diretores, não todos!, até mesmo colegas professores ajudam no circo de empurrar para o atestado. É que os professores que são chatos, “intolerantes”, como eu – porque me atrevo a ser doente com patologia de risco e a pedir alguma coisita… -, com falta de empatia pelos membros diretivos das escolas, das doenças dos outros ou pelos colegas que fazem horários, deviam era estar quietinhos e não se queixarem, pois há outros colegas que estão piores, que se fartam de trabalhar para mim, por isso eu devia era estar calada. Mais alguém se sente assim? Conclusão a que há muito cheguei: o pior inimigo do/a professor/a é o/a professora.

    Liked by 2 people

      1. Acabam por revelar muitas vezes o pior do ser humano … pseudo comparações de situações muito diferentes , hipocrisias , invejas , ganâncias , ingratidões , …etc

        Gostar

    1. “…alguns diretores, não todos!”
      O teu não está na lista. A salvaguarda é a imagem do medo. Percebe-se, seria o mesmo que um Norte-coreano criticar o “grande líder”…

      Gostar

  2. (será que longe dos microfones disse algo mais interessante, quiçá picaresco sobre os professores que metam atestado?)

    A avaliar pela qualidade do chefe de orquestra, não tenho nenhuma dificuldade em acreditar que sim.

    Gostar

  3. Se as coisas correrem mal ( e há uma probabilidade razoável de que isso venha a acontecer) esta não pode ser uma linha vermelha. Dando isso como adquirido e esperando que a mentira não seja a regra, há que dizer que uma coisa é o nosso primeiro dizer que “as escolas não fecham e a economia não fecha”, outra coisa seria ele dizer que “se as escolas fecharem a economia pára (fecha)”.

    Gostar

  4. Os números como forma de exercitar a criatividade, são uma característica lusa. Duas capicuas seguidas e, desta vez, rimando com uma sequência de Fibonacci se acrescentarmos o nº de óbitos. Deve ser tudo inventado.

    Gostar

      1. Acredita mesmo que as medidas são gel e vai tudo correr bem? Antes fossem (sem o gel, que é mais pernicioso do que útil, claro). Máscaras, afastamento, recreios reduzidos é tudo fantasia?

        Gostar

      2. Luís Serpa,
        Afastamento (20 cm!!!!!), máscaras (menos de uma por mês !!!!!!!), recreios reduzidos(500 alunos num bloco de aulas)!!!!!
        São mesmo FANTASIA.

        Gostar

    1. Rude golpe em que aspecto? Quando ficarem doentes professores e profissionais da escola e as escolas ficarem fechadas mas desta vez com maior pressão nos sistemas de saude? E potenciadores de contagio comunitário se os estudantes contagiarem agregados familiares e esses trabalhadores ficarem doentes? Não se fie na virgem da DGS (cheia de incompetentes e eu falo bem disso que há meses ando a insistir que tenham profissionais de systems thinking e a única que percebia um pouco disso foi “despedida” por enfrentar o Costa). Qualquer jovem acima dos 10 anos transmite o virus como um adulto. Dados empiricos mostram isso mesmo. Procure no CDC ou no Korean CDC.
      Se houvesse preocupação verdadeira teria que existir muito mais investimento nas escolas e na segurança dos profissionais, professores e alunos. Ventilação, máscaras KN95, ensino misto a partir do 2º ciclo logo à priori. Turmas sempre pequenas, visto que existe uma lei de potência com a transmissão por ar (vá ler Transport Phenomena se não perceber a matemática , peça ajuda)
      Assim, é “siga para bingo” e fé na aleatorieade. Ou està à espera que todos sejam robots e cumpram as regras à risca? Ou que com tempos de exposição elevados, com aquelas máscaras menos eficientes, estão todos a salvo dentro de uma sala de aula? E quando chover? As máscaras perdem a eficácia quando molhadas permitindo a aerolização mais fácil ou o contágio pelos olhos(sim, pelos olhos também se apanha a doença).
      É um sistema dinâmico e garantias não existem com palavras ocas. Os efeitos de escala e não-linearidades não querem saber da fé

      Gostar

      1. Os dados empíricos que provam que crianças de dez anos transmitem o vírus vêm dos Países Baixos, da Suécia, da Noruega, não vêm?

        Gostar

    2. Luís Serpa… entre um “rude golpe” e ser a “linha vermelha” vai uma enorme distância.
      Que se queira evitar, é uma coisa.
      Que se apresente como algo que não pode acontecer, de forma alguma, é outra.

      Não, não é retórica. É mesmo uma questão.
      Retórica é a do PM que pode vir a revelar-se “irrevogável” como a do outro.

      Gostar

  5. Caro Luis Serpa, voce é um imbecil. Ou pensa que eu ando nisto dos blogs só desde quando o Socrates encomendou a uns quantos essa tarefa de guerrilha? Comenta, fechando a possibilidade de resposta direta, parece os putos do liceu que chama nomes ao mais alto da turma e foge de modo a não ser identificado.
    Não sou o seu mordomo, procure no CDC ou KCDC . Está lá tudo. Se quer discutir, procure, leia e contra-argumente. Caso contrário, ide bebericar um rosé patrocinado pela Adega Costa.Mas falemos da Holanda. Porventura sabe que só testam na Holanda quando têm sintomas? E que muitos jovens estão a recusar ir à escola? Se não testam, não sabem se estão doentes (Trump dixit)
    E nem falemos da Suecia. Sabia que houve surtos em escolas na Suecia e houve recusa do Governo em investigar os mesmos? Com desculpas “foi de certeza noutro local, não foi na escola nã vale a pena investigar”. Tudo em prole da suave “herd immunity”. Da Suecia, como um dos meus ex-colegas de post-doc é sueco e excelente a definir sistemas dinâmicos, é a melhor fonte de informação do que jornalecos e merdias tugas. Também arranjo 2 médicos e um meu ex-aluno de doutoramento em Lulea. E que tal a Suecia, cuja estrategia não impediu o rombo na economia? Saude e economia não são decoupled em sistemas. Nunca o foram.
    Noruega nunca teve grande contágio comunitário. Fecharam logo e é fácil fechar as fronteiras desse país. E com muitos poucos casos, escolas podem abrir, moron

    Gostar

    1. Para um post-doc V. tem o insulto fácil. Deve ser da geração mais bem preparada de sempre. Vá para o c…o e não me chateie mais, continue a foder a vida às crianças se isso lhe dá segurança e vá lendo coisas sobre surtos. Na literatura voodoo encontra de certeza coisas interessantes. Faça uma efígie do vírus e espete-lhe alfinetes, acenda velinhas e espalhe cinzas à volta da cama, são remédios de eficácia comprovada contra o vírus. Ah, e não se esqueça dos surtos, t~em sido um risco fenomenal, basta ver a quantidade de mortos que tem havido desde os surtos da LVT. Vamos a ver os surtos da festa do Avante, aquilo cvai ser uma hecatombe. Não falemos dos suecos, são um bando de infanticidas que como resolveram o problema da morte nos lares se voltaram para as escolas, ver se conegue matar uns milhares de putos.

      PS – Não faço a mai pequena ideia do que está a dizer sobre as respstas, mas confesso que me estou nas tintas.

      Gostar

      1. Meu caro, eu sou do insulto rápido , não fácil. Deve ser por ter trabalhado e ainda trabalho com os anglo-saxónicos que não tem pejo em dizer as coisas como elas são. Diretos ao assunto que é assim que deveria ser em algumas facetas da nossa sociedade. Mais facilmente em Portugal se ofende um pedreiro que um negreiro. E deveria ser exatamente o oposto.
        A sua resposta indiciou imbecilidade e dai o “insulto”. Afinal até somos capazes de estar do mesmo lado nalgumas coisas pseudocientíficas mas eu acho que continua a confudir muitas coisas e o seu PS assim denota.
        E não fale do que não sabe. Eu entendo mais do que se passa com este virus pq conheço algumas pessoas a trabalhar em várias etapas, desde a virologia aos tratamentos. É o que a vida me deu: 10 empregos, um doutoramento, duas licenciaturas e muitos contactos e conhecimentos . Pelo menos a instabilidade profissional serviu para alguma coisa. Inclusive para perceber a irresponsabilidade dos nossos governantes em muitas coisas. A começar pelo “regresso das escolas” e acabar na inépcia da DGS .
        Saude que eu que todos precisamos

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.