A Ler

Em especial por aquelas senhoras “pela verdade” que dançavam uma espécie de folclore urbano ontem em Lisboa, sem máscaras, à molhada, perante as câmaras.

The temporal association of introducing and lifting non-pharmaceutical interventions with the time-varying reproduction number (R) of SARS-CoV-2: a modelling study across 131 countries

(…) An increasing trend over time in the R ratio was found following the relaxation of school closure, bans on public events, bans on public gatherings of more than ten people, requirements to stay at home, and internal movement limits, especially after the first week after relaxation; the increase in R ranged from 11% to 25% on day 28 following the relaxation (figure 3). The relaxation of school closure was associated with the greatest increase in R on day 7 (R ratio 1·05, 95% CI 0·96–1·14) and day 14 (1·18, 1·02–1·36). The relaxation of a ban on gatherings of more than ten people was associated with the greatest increase in R on day 28, with an R ratio of 1·25 (95% CI 1·03–1·51) on day 28. Negative interaction––ie, towards an R ratio of 1—was identified when multiple NPIs were introduced or lifted simultaneously (appendix p 42).

De acordo com a tabela que é dada sobre o impacto das medidas “não-farmacêuticas” na contenção ou propagação do vírus, a reabertura das escolas tem um efeito equivalente ao da proibição dos ajuntamentos superiores a 10 pessoas. O efeito sobre a propagação dos contágios é superior a, por exemplo, o fim de confinamentos ou à obrigação de ficar em casa e ainda mais em relação a medidas como as proibições de viagens de avião ou mesmo o uso dos transportes públicos.

Claro que isto contraria as “narrativas” internas (a do oportunismo político e também a do irracionalismo anti-científico), baseia-se em pesquisas empíricas alargadas que, mesmo admitindo as suas lacunas, tem um valor probatório muito superior a “opiniões pela verdade” ou teorizações sobre uma conspiração global para limitar os movimentos das pessoas mas, ao mesmo tempo e paradoxalemnte, exigindo que andem de um lado para o outro a trabalhar e levar e ir buscar os filhos à escola.

Seria de esperar que o “ministro-cientista” ou o pessoal nomeado para a DGS conseguisse perceber isto, em vez de conversas de chacha que, para mim, são equivalentes às cantorias beto-hippies de certas manifs muito chiques.

8 thoughts on “A Ler

  1. Totalmente de acordo!
    Fechem as escolas! Qualquer dia não há camas nos hospitais para ninguém, nem para os Covid, nem para todos os outros.
    Qualquer dia, temos os pais e os avós em casa, no hospital ou no cemitério e os miúdos a passear na rua!

    Gostar

    1. Ó Duilio, desculpe lá, mas eu não quero saber da Cuca Roseta para nada. Se ela se quiser contagiar…. eu estou é preocupada com os professores e todas as pessoas que trabalham nas escolas, bem como com os EEs que, também eles podem ser contaminados pelos miúdos que têm a doença leve mas transmitem o vírus! E estou preocupada com as pessoas que MORREM pela Covid! E com as pessoas que morrem porque não têm consultas nos Centros de Saúde! E com as pessoas que não podem ser tratadas a outras doenças porque os hospitais estão cheios! Não há camas! Os médicos estão exaustos! Os enfermeiros, idem!
      E o Governo está preocupado com os cafés e os restaurantes!
      Quaquer dia não há gente a ir aos cafés porque estão doentes, em casa, sozinhos!
      Já alguém se preocupou com os professores que vivem sozinhos e que estão doentes? Quem lá vai a casa levar-lhes comida?
      Onde estão os Sindicatos! Isto não vai lá com greves, vai com conferências de imprensa, nem que sejam diárias a denunciar isto!

      Liked by 1 person

  2. Paulo, já disse que os portugueses gostam de ser enganados. Qualquer pessoa com dois dedos de testa já percebeu o filme há muito!
    Tanto a da saúde como o da educação, assim como o seu séquito, são uns bananas. Mas, mais banana ainda é quem vai na conversa deles, qual carneiros com palas. Viva a estupidez!

    Gostar

  3. Soube agora que está uma colega de nome Rita Betencourt internada com pneumonia por Covid. Está na página facebook de Movimento Professores Monodocentes. Não coloco link pois só os aderentes a podem visualizar.

    Gostar

  4. Infelizmente não deve ser caso único! Só lhe desejo as melhoras, como é evidente!
    Mas deve haver muitos mais infetados. Só que, por medo, ninguém diz nada……
    FECHEM AS ESCOLAS!

    Gostar

  5. e eu a pensar que as escolas eram herméticas!!!
    e eu a pensar que eram os casamentos, os batizados e a praia os culpados!!!
    e eu a pensar que o gel e as setinhas no chão é que resolviam tudo!!!
    e eu a pensar que era a app e mascaras ao ar livre que resolviam !!!!!

    sou mesmo tótó

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.