Andará Tudo Meio Parvo?

Há gente muito preocupada em explicar que esta segunda vaga é menos letal do que a primeira e que não há razão para grandes alarmes. Porque há mais casos confirmados e menos mortes, em termos relativos. E eu sinto-me estúpido porque penso que a explicação é relativamente simples… agora as pessoas estão melhor informadas, acabam por se tratar e proteger melhor quando se sabem infectadas e os próprios cuidados médicos, apedar de todas as falhas que ainda existem, estão melhor direccionados do que antes, pois conhecem-se melhor alguns aspectos da doença.

Perante os números que afligem de novo a Europa e levam a tomar medidas um pouco diferentes do modelo “não se pode deslocar a menos que precise ou garante que precisa mesmo”, há quem ande ainda a relativizar tudo e a brincar com tudo isto, em alguns casos com algo que me faz lembrar rebeldias serôdias de quem se acha muito libertário, sejam os de filiação anti-vacinas e quiçá terraplanista, sejam os que parecem achar que isto é uma conspiração cripto-capitalista global para não irmos aos centros comerciais aos fins de semana, o que não deixaria de ser paradoxal. Leio muita coisa para tentar entender o mundo em que certas cabeças vivem e encontrar que lógicas são estas que me fazem lembrar uma espécie de delírio milenar.

Epidemias e pandemias não são uma novidade na História, mas é estranho que, ocorrendo num tempo singular em termos de avanços científicos e tecnológicos, perante a que vivemos ainda exista tanto pensamento atávico, preso a preconceitos e vendo nos outros a prisão mental da qual não conseguem libertar-se.

Esta desafeição crescente pelos teóricos do não sei quê, em nenhum momento significa que aceite como brilhante ou razoável o que não passa de mediocridade em grande parte da nossa classe política, entretida em jogos florais inconsequentes. Ou secretários de Estado que choram quando não morre ninguém, mas não quando morrem dezenas e milhares são infectados sem que saibamos as sequelas, por assintomáticos que estejam. Para não falar de outros que desaparecerem, percebendo-se a sua pequenez, pois deixam de ser visíveis atrás de qualquer “autoridade local de Saúde”.

Sinto-me estranho neste mundo estranho e quase desculpo aqueles actos de estupidez quotidiana de quem, realmente, não consegue ir mais além.

3 thoughts on “Andará Tudo Meio Parvo?

  1. Deixo o verso de Deolinda
    verso que sempre achei que pertence mais à minha geração
    Porque há “condições” que sempre me incomodaram!!

    “Sou da geração “eu já não posso mais!”,
    E esta situação dura há tempo demais,
    E parva eu não sou!”

    A incompetência na gestão deste inferno pandémico até dói
    Se não “prepararam” as Escolas, alguém (no seu perfeito juízo) acha que “prepararam” a resposta hospitalar??
    Não houve preparação nenhuma, estamos como sempre estivemos …
    entregues a incompetentes e tiranetes
    Lamento

    Gostar

  2. “Há gente muito preocupada em explicar que esta segunda vaga é menos letal do que a primeira”
    Por acaso até não tem sido. E as sequelas que deixam aos não letais? Desses ninguém fala!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.