Os Meninos À Volta Da Fogueira

Parece que o Conselho de Ministros vai reunir de emergência amanhã, por causa do fracasso do pseudo-confinamento que foram ELES a decretar. Mas aposto que as culpas vão ser atiradas para “os portugueses que não seguiram as regras” e tiraram partido das múltiplas excepções (52 que, ao contrário do que a ministra da Saúde disse hoje não são as mesmas de Março). Parece que o problema é o grande problema é das “vendas ao postigo” de bebidas, veja-se lá! Ou dos cafézinhos. Quando um bando de galinhas se desorienta é complicado voltarem a ir ao lugar. O desnorte tem origem bem clara e não vale a pena virem com aquela conversa do “preço de sermos humanos”, porque o valor de centenas de vidas não se mede pela idiotice de alguns, lá porque se acham grande coisa.

O que vão fazer? Aumentar coimas? Impedir umas lojas de abrir e permitir a outras que estejam a atender filas de gente nas zonas comuns dos centros comerciais? Fechar teatros, mas manter abertas as secções de ciclismo das lojas de artigos desportivos? Abrir os atl para justificar escolas abertas? Será que não entenderam ainda que perderam quase toda a credibilidade de tanto quererem agradar a uns e outros, mais amiguinhos, chamando “essencial” ao acessório e insistindo num modelo de confinamento que se via à distância que era uma treta? E que vai assim continuar a ser, pelo que se vai percebendo?

A culpa é do “povo”?

Não, a culpa é de governantes bons para festas e eventos, camarotes e carros à disposição, visitas vip e um crescente descolamento da realidade. Até porque só houve 58 contra-ordenações este fim de semana.

O perigo vem do oportunista Ventura?

Não, o perigo (e mede-se em centenas de vidas) vem de vocelências, impantes em toda a vossa enorme vacuidade. Vocelências é que, em toda a vossa inépcia e cedência a interesses “esquisitos”, acabam por lhe dar força.

11 thoughts on “Os Meninos À Volta Da Fogueira

  1. Somos o pior país do mundo na evolução da pandemia e o governo faz um conselho de ministros extraordinário para abrir os atl!!!!!!!!!!!!!
    INACREDITÁVEL!!!!

    Gostar

  2. Julgo que é suficiente proibir a venda de bicas e cervejolas ao postigo, ou à janela, para vencermos a pandemia. Encerrar os estabelecimentos escolares apenas protege 2,5 milhões de portugueses. O problema está, definitivamente, na venda ao postigo e não em manter 33 pessoas em salas fechadas durante 7 horas do dia.
    Um inteligente das matemáticas resolveu apresentar na SIC notícias um gráfico para o caso português semelhante ao que o virologista Filipe Froes tinha apresentado na véspera com dados para os EUA. O gráfico prova à saciedade que o grupo etário com maior número de infeções se situa entre os 18 e os 24 anos (alunos do ensino superior), sendo que o grupo etário dos 13 aos 17 anos (alunos do 3.º ciclo e secundário) também tem um número muito elevado de infeções. A jornalista questionou o matemático
    – se este gráfico que está a apresentar tivesse sido divulgado na reunião do Infarmed as escolas teriam sido encerradas?
    e a resposta foi
    – provavelmente.
    O incompetente, que devia ter feito o trabalho de casa antes da reunião, ainda aconselhou o governo a ser prudente e a rever esta medida.
    Em suma, estou convicto que na reunião extraordinária do Conselho de Ministros vamos, novamente, ignorar os dados da ciência e apostar na verdadeira solução do problema que é proibir a venda ao postigo. Não faltará muito para de Costa venha aconselhar a vacina de lixívia para os portugueses, mas esta solução só será aplicada se a proibição da venda ao postigo não resolver este problema rapidamente.
    As minhas filhas a partir de amanha, segunda-feira, dia 18 de janeiro, não voltam à Escola até considerarmos, em família, que estão reunidas as condições de segurança.
    Votos de muita saúde

    Gostar

  3. “Ricardo Baptista Leite alargou-se na descrição do que se passa num covidário em Portugal, neste caso . É “um cenário de guerra”, com ventilações invasivas de doentes, poucas vagas nas enfermarias, médicos a fazer escolhas sobre quem atender, consoante quem tem mais probabilidade de viver.”

    ““Vi uma colega médica a chorar depois de sair do covidário mais de 5 horas depois do término do seu turno. Física e psicologicamente esgotada. Cada vez que se estabiliza um doente, havia já mais 3 ou 4 doentes instáveis a entrar pela porta dentro.”

    ““Ventilamos os doentes ali, em pleno serviço de urgência”, revela.”

    “ Muitas vezes, salienta Baptista Leite, os doentes “menos graves” que estão a aguardar pelo teste ficam a assistir a tudo o que se passa, já que estão num espaço “demasiado pequeno para tantas dezenas”. “É preciso estabelecer prioridades”, admite o deputado e infecciologista. “O cenário é de catástrofe. Temos tantos doentes graves na casa dos 40, 50 e 60, muitos sem outras doenças, que simplesmente não podem morrer. Não podem! Assumem-se por isso prioridades”, descreve.

    “Na impossibilidade de acompanhar todos, diz, “fazem-se escolhas tão difíceis sobre quem tem maior probabilidade de morrer, faça-se o que se fizer. É devastador ver equipas de médicos forçados a escolher quem são os doentes com maior probabilidade de viver para os poder assumir como prioritários””

    https://observador.pt/2021/01/17/baptista-leite-no-hospital-de-cascais-fazem-se-escolhas-sobre-quem-tem-maior-probabilidade-de-morrer/

    Gostar

  4. À esquerda é contra o encerramento das escolas pois acentua as desigualdades! Acho o máximo, pensarem que as escolas têm poder para resolver todo este problema de fundo da sociedade.

    Gostar

  5. Por portas e travessas chegou-me aos ouvidos de que colega se trata na reportagem da TVI em Armação de Pêra. Tenho tb ouvido uns zunzuns da atuação “musculada” da direção o que pode explicar a voz distorcida e o esconder dos olhos. “Bater de frente com quem tem poderes para nos magoar de seguida pode ser má estratégia! Mas calar nunca!

    Gostar

    1. Só confirma expectável: as escolas, local de formação das futuras gerações, vivem em ditadura!
      Serão esses os valores que queremos para as novas gerações?
      Ninguém pinta os lábios de vermelho pela democracia nas escolas?
      Onde anda o “atento” Bruno Nogueira???
      Só vê a campanha do Ventura na Tv?????

      Gostar

  6. Provavelmente não adianta nada para resolver este problema aflitivo. Mas estes posts do Paulo Guinote são as poucas verdades genuínas que se leem por aí. Não melhora a situação, mas ajuda-me a pensar que não estou completamente sozinha. Mais uma vez, muito, muito obrigada, corajoso e lúcido Paulo.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.