Quotidianos

Neste ano letivo, estou a lecionar  na Escola Básica [da Grande Lisboa Norte]
Desde novembro, têm sido reportados casos de infeção por COVID-19 na escola, tanto de alunos, como de professores e…de funcionários. A última situação que se conhece foi a ida para casa de todos os funcionários da secretaria da escola, por ter sido detetado um caso positivo. No caso de casos de infeção em alunos, o critério por parte do delgado de saúde tem sido o de enviar para casa o aluno infetado, sendo que, apenas, os colegas que ele indica é que também vão para casa. Todos os outros, incluindo os professores permanecem na escola, sem qualquer rastreio.

Na escola, nas salas de aula, não há distanciamento, porque as salas são exíguas e os alunos permanecem nas salas de aula, durante os intervalos. Apenas, têm um intervalo de 15 minutos, em que podem ir ao recreio. A indicação que se tem de ter as janelas abertas, para circular o ar, é impraticável. Eu tenho o turno da tarde, e os alunos queixam-se do frio, ao ponto de terem começado a levar mantas para a escola.

Numa das salas, que mais não é do que um contentor, chove na sala, ao ponto de ficar uma poça de água na zona da secretária do professor e junto a tomadas elétricas.

No caso dos professores, e no meu caso em particular, tenho da parte da manhã horas que estavam destinadas a apoios, , contudo, e porque estes apoios nunca se realizaram, a diretora entende que temos de cumprir o horário, mesmo não tendo qualquer atividade na escola.

Um exemplo: à terça-feira, tenho um apoio. Sou obrigada a estar na escola, para o caso de ser “chamada” para alguma substituição (as substituições não fazem parte do meu horário), sendo que na maioria das vezes não sou “chamada”. Fico, assim, muitas horas na escola [sem aula], quando a ideia inicial era a de passar o menos tempo possível, para evitar os contactos.

Em suma, não há condições a nível da higienização (as funcionárias fazem o que podem), não há condições de climatização, para se ter algum conforto, enquanto se está numa aula, é-nos exigida a presença na escola além do que seria desejável, sem haver qualquer atividade, os casos de COVID-19 positivos, no início eram “escondidos” e, neste momento, são desvalorizados, como se fosse algo completamente normal.

Esta escola, por exemplo, não consta da lista da FENPROF, relativa aos casos de infeção por COVID-19.
Estou a relatar algumas situações, e, da minha parte, o sentimento é de alguma revolta e indignação por ser sentir que não se importam em nada com o meu bem estar e com a minha saúde.

One thought on “Quotidianos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.