Escolas STEAME E O Fim Das Humanidades (Por Troca Com E-Shops)

Estive a assistir a uma webinar daquelas internacionais em que se apresenta o currículo do futuro, com chancela da OCDE, baseado no projecto “STEAME: Guidelines for Developing and Implementing STEAME Schools”. No fundo, é o conceito STEM, a que acrescentaram o A das Artes para ficar bonito, mas continuando a deixar de fora as Humanidades e Ciências Sociais, enquanto consideram essencial o E final de Empreendedorismo. É a visão da OCDE para a Educação em 2030 que o SE Costa tanto gosta de espalhar por cá, enquanto finge dar muito valor às Humanidades, enquanto as retalha no currículo. Vejamos o que é dito:

Without Entrepreneurial skills it is not possible to innovate and expect impact to life and this is
missing from the current definitions of STEAM activities. Therefore, STEAME Schools is a new
educational approach that uses science, technology, engineering, arts, mathematics and
entrepreneuship as a reference point for guiding student research, dialogue, critical thinking and
entrepreneurial mind set.
The STEAME framework takes STEAM to the next level, enriching it
with creativity, criticism, research and innovation and skills related to entrepreneurship with
introduction to technology transfer into the economy for better life.

Uma das actividades para alunos de 15-16 anos é a criação de e-shops em 2 aulas de 90 minutos, na segunda das quais “every group of students designs and creates a customized e-shop, that formulates a real problem. In this way, they understand the mechanism of the market in action.”

Os resultados esperados?

After the project, learners will be able to investigate the market and become more competitive using new technologies. This procedure develops their critical mind and fosters their curiosity about new markets and about their future as entrepreneurs. Their communicative skills and their ability to collaborate will be
enhanced, as they will be obliged to make decisions as partners.
The result will be the virtual e-shop with the aid of spreadsheet for billing and pricing the product.

E ainda devem chamar a isto uma Educação Humanista.

(pois, as coisas em que eu me meto só para saber como será o futuro…)

13 thoughts on “Escolas STEAME E O Fim Das Humanidades (Por Troca Com E-Shops)

  1. Eu acho que prefiro ir trabalhar para essa sua mercearia. Estive a observar a fotografia à lupa e não vi lá nada que se parecesse com digitalices, nem teclas suaves, nem monitores esquisitos, nem homens metidos em escafandros a fazer de conta que são alminhas vindas do futuro para iluminar o nosso presente. Posso enviar o meu currículo, feito à mão, com caneta azul ou preta, ainda hoje.

    Liked by 2 people

  2. A promoção de “pensamento crítico não existe quando a única questão consentida é o “como?”, excluindo-se aquelas que colocam as humanidades, as ciências sociais e a filosofia: “porquê?” e “para quê?”?

    Gostar

  3. O/A RF disse tudo… o verdadeiro pensamento crítico tem sido absolutamente triturado… e não há nada que não caiba num tik tok, não é? Ou num qualquer documento com dados que não servem para nada, a não ser constituírem prova viva da nossa humana incapacidade.

    Gostar

  4. Agora até há um debate na ordem do dia: As novas ditaduras …. 1/3 dos países do mundo são ditaduras. E dos restantes 2/3 quais são democracias? E por quanto tempo? Sem Humanidades não há pensamento crítico. Nem deixa margem discussão…

    Gostar

  5. «E ainda devem chamar a isto uma Educação Humanista.»
    Como diz o estonteante António Costa: ‘Ora vamos lá a ver!’
    E digo mais: Então e se a e-loja a criar pelos miúdos se chamar ‘Tu quoque, Brute, fili mi!’, se a sua plataforma digital apresentar como opções de línguas o latim, o grego antigo, o aramaico e o sânscrito e estiver vocacionada para livros de ética clássica, teologia e religião comparada, com especial enfoque nas religiões do Dharma como o zoroastrismo e o jainismo?
    Já pensaram nisso? Não, pois não?
    Ahh, pois!

    Gostar

    1. Ah pois o quê?
      Estas e-shops são direccionadas ao DEUS MERCADO, cujo objectivo é o MÁXIMO LUCRO.
      As Humanidades são, quase que por definição, monetariamente falíveis, porque se dedicam a QUESTIONAR e não a criar produtos/serviços para o mercado.

      Qual o Retorno do Investimento de ” livros de ética clássica, teologia e religião comparada, com especial enfoque nas religiões do Dharma como o zoroastrismo e o jainismo”, ainda para mais em “latim, o grego antigo, o aramaico e o sânscrito”?
      É um número redondo, ZERO!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.