Phosga-se! Série “Absolutamente Inaceitável”

Os tempos andam muito maus para o mais leve resquício de preocupação com a legalidade. Ou de mera decência. Isto é um exercício de controlo absolutamente inaceitável tanto para os visados quanto para o “agente” que é induzido a fazer algo que pode “parecer” lógico do ponto de vista do “registo”, mas é de um desrespeito atroz pelos direitos à imagem e à privacidade.

Numa escola perto de si, em especial se morar em Braga.

Daqui A Uns Meses Talvez Acabemos Por Saber O Que Se Passou Mesmo

O epidemiologista, cuja intervenção na reunião desta terça-feira no Infarmed foi muito contundente e crítica, rejeitou a ideia de que a sua decisão está relacionada com o desacordo das medidas tomadas pelo Governo.

Lamento Ser Insistente Nisto, Mas As Coisas São O Que São

Ao segundo dia, chegam-me relatos da necessidade, desde já, de substituir equipamentos ou ir comprar por parte daqueles que tiveram de usar os seus meios para que a segunda vaga do serviço público de E@D tenha uma aparência de funcionamento. Alunos e professores que viram, ao fim de apenas dois dias de sincronias, computadores entregarem a alma à manutenção (caso tenham salvação ou seja economicamente racional) ou que, com tanto delírio sincrónico, perceberam que precisam de adquirir mais meios, pois nos telemóveis, por muito inteligentes que sejam, a realização de algumas tarefas não é exequível.

O problema é que perante certa propaganda televisiva, quem fica com a maioria das culpas acabam por ser escolas e professores, por parecer que não estão a querer dar/emprestar os computadores que o anti-génio e a máquina mediática do ME dão a entender que existem. Fora aquelas pessoas – por muito especialistas que sejam – que não têm mesmo noção nenhuma do que é o país real, fora de alguns nichos ainda funcionais da Parque Escolar ou de um ínfimo número de pseudo “salas do futuro”.

Na casa da maioria, é o presente tem muito peso. E em casa onde não chegam kits para as necessidades, todos protestam achando ter a razão que, em boa verdade, até terão.

Só que eu e tantos outros não temos culpa, por muito que tenhamos avisado desde Setembro que as coisas não estavam a ser feita devidamente.

Mas há quem viva no mundo da fantasia (caso da presidente do CNE em algumas das suas crenças aqui expostas sobre a “melhor preparação” das escolas) e dê muito jeito ao governo que assim continue, porque funciona como cortina de fumo e primeira linha de choque com a opinião pública.

3ª Feira – Dia 2

Atrasos no acesso, saídas e entradas sucessivas nas sessões, delay nas comunicações, congelamento das imagens, som aos soluços. Nada de inesperado, tudo situações com que teremos de nos habituar a conviver, aumentadas pela súbita exigência de se querer que todos estejam com as câmaras ligadas.