Finalmente!

A deputada Joacine descobriu Odemira e decidiu apresentar uma resolução, ou seja, uma “iniciativa sem força de lei” que recomenda celeridade ao Governo na resolução da questão laboral. Parece que não viu nada, nadica mesmo, de racismo por ali. è desta massa forte que se faz a luta contra as discriminações.

A Pontinha De Um Enorme Icebergue

Porque o que aí anda de resvalanços na legalidade, com palmadinha nas costas dos serviços do ME, é uma coisa assustadora. A sensação de impunidade, em especial de quem tem o cartão certo ou um par de números de telefone directos, é algo que repugna. Ainda me lembro de quando era preciso mandar foto bem clarinha da lista de pessoas presentes em reuniões para as quais eram requerido quórum para tomar decisões. Agora… basta uns likes no tapete de Arraiolos e segue para bingo.

A aposta é que ninguém queira levar com as consequências de levantar ondas ou tenha a pachorra, tempo e dinheiro para ir para tribunais a sério. Mas, quando a coisa vai por aí, como neste caso e na Madeira, percebe-se até que ponto a tutela pactua com ilegalidades óbvias.

Tribunal manda repetir eleição de director escolar que ministério tinha homologado

Isto É Um “Suponhamos”, Claro!

Transcrevo parte de uma troca de mensagens com um colega que só gostaria de saber se é verdade ou mera fantasia aquilo que lhe constou. Só pode…

Constou-me que o ministério da educação está a dar ordem às escolas para gastar as verbas deste ano do desporto escolar em marcadores eletrónicos portáteis e numa coluna de som com 2 microfones. Será verdade? Constou-me também que se tem de enviar para o gabinete coordenador de fotografia do material adquirido. Esta é que deve ser boato, com certeza.

Se o for, assim é porque é uma prioridade a atividade física desportiva dos alunos neste período pós pandemia em todas as escolas. Que tristeza, gastar o dinheiro em anéis quando quase não se têm dedos (acho eu, mas devo ser só eu).

Duas questões estão subjacentes: Uma, a autonomia das escolas foi mandada às urtigas. Ou querem isto ou não querem nada. Outra, sendo a prioridade apontada por organismos nacionais e internacionais representativos da especialidade (atividades físicas e saúde) a melhoria da capacidade aeróbica e a perda de peso em alguns casos (decorrentes da imobilidade física vivida no confinamento) pensei (mal pelos vistos) que o investimento na criação de clubes de saúde e eventuais equipamentos de ginásio seriam prioritários. Acho até que o mais fácil seria o envio de fotos da coisa.

Leitura Instrutiva

Daqui por uns tempos também poderei fazer umas memórias acerca destes procedimentos em relação a reclamações e recursos relativos à ADD. Tenho encontrado do melhor em termos de decência e dignidade profissional, mas também do mais lamentável em prepotência e ignorância. Mas sem se lutar por algo melhor, nada se alcança. Os meus cumprimentos ao Alberto por também remar contra a maré do conformismo e das lutas efémeras por qualquer coisa de irrelevante.

O Estranho caso do recurso da ADD