Em Apenas 10 Aulas!

Foi há um par de dias apenas, mas nem fixei o canal, nem me preocupei em identificar o programa. Só sei que fazia zapping assim mais para o fim da tarde, a ver se pousava os olhos em algo que permitisse algum relaxamento e divertimento (não, não buscava o último e antológico vídeo da Maria Leal, porque se me permite divertimento, não deixa de também despertar algum embaraço alheio). E apareceu-me o que dava todo o ar de ser uma sala de aula, surgindo uma jovem adulta a falar logo a seguir com evidente entusiasmo e “assertividade”. Parei um pouco, medianamente curioso nem sei porquê, talvez porque tenha ouvido algo como “inteligência emocional” que é uma expressão que agora está na moda por cá, apenas com um par de décadas de atraso após a sua entrada no mainstream do léxico psicológico. A jovem adulta, com o tal entusiasmo explicava que o objectivo do que se estava passar na aula que se via em fundo (parecia do 1º ciclo), se destinava (e vou parafrasear, não é citação directa, mas garanto que mantenho o espírito da coisa intacto) a ajudar os alunos a “identificar e expressar as suas emoções”, para se “sentirem bem consigo mesmos”, a “pensar criticamente o mundo” e a “nomear e debater as suas ideias” sobre esse mesmo mundo e sobre si mesmos.

Tudo em apenas 10 aulas. Parece que é uma qualquer parceria local. Não sei o preço do pacote, mas ainda andei a procurar o número para encomendar meia dúzia. Pareceu-me um bom negócio e só faltou darem como brinde uma bela travessa em cristal d’arques no valor de 49,99 € se ligássemos na hora seguinte.