Sábado

Vivem-se realmente dias de maravilhas sem fim. Ontem, o ministro Cabrita queixava-se do Sporting não ter colaborado, ao não fornecer os elementos alegadamente solicitados, numa investigação. E conseguiu falar com ar sério, aborrecido, como num bom número de stand up. Claro que já foi desmentido, mas ele é o mai’lindo do primeiro Costa, portanto, fazia parte do acto.

Entretanto, algumas almas voltam a agitar-se com a crise humanitária da ditadura cubana, sem que digam grande coisa acerca do caos democrático na África do Sul. De novo, tais almas falam com a indignação própria dos bons comediantes. Então sobre a Guiné, nem uma palavra. Se colocarem no Google “Guiné, protestos”, os primeiros links são quase todos da Deutsche Welle.

Chegou (alguma vez terá terminado?) a silly season.

4 opiniões sobre “Sábado

  1. Guiné e África do Sul configuram problemáticas sem comparação possível com a situação de Cuba.

    A libertação do povo cubano urge e pode acontecer já.

    Não chegam mais de sessenta anos de repressão socialista?

    “Regressando a Cuba, salvo seja, a brutal hipocrisia da esquerda não sobrevive ao Teste da Jangada. Não é um teste complicado. De um lado, temos um país de onde as pessoas fogem em condições pavorosas da prisão provável e da indigência garantida. Do outro, temos um país que os recebe e lhes permite prosperar de acordo com o seu empenho, a sua habilidade ou a sua sorte. Adivinhem qual o país que a esquerda adora e qual o que a esquerda abomina (para os idiotas terminais, esclareço que o ponto de origem é Havana é o ponto de chegada é Miami – apesar das bazófias, nem idiotas terminais fariam o percurso inverso). O teste não termina aqui. Visto que falamos de refugiados, infelizes ao Deus dará que no “contexto” correcto encheriam as manchetes com sentimentalismo, é de presumir que a esquerda demonstre ao menos um vestígio de apreço pela sociedade que os acolhe e, por coerência, condene a sociedade que os afugentou. Nada disso. A esquerda detesta com indisfarçado vigor os cubanos da Flórida, na medida em que a liberdade de que beneficiam na América torna mais evidente a falta de liberdade em Cuba. Nas Caraíbas e em toda a parte, o pobre deixa de ser útil para a esquerda quando deixa de ser pobre. O Teste da Jangada não se limita a revelar hipocrisia: revela os abismos de selvajaria a que a humanidade pode descer”.

    https://observador.pt/opiniao/o-esquerdismo-e-um-crime-de-odio/

    Gostar

    1. Não chega de tentativas de golpes financiados pela CIA e de um embargo económico criminoso promovido pelo imperialismo dos EUA, apenas suportado por aquele Estado campeão dos Direitos Humanos, que é Israel?

      Não, Alecrom, não tenho a sua visão a preto e branco, mas invertida. Saudaria uma democratização de Cuba (o que não é, de modo nenhum, equivalente à entrada do capitalismo desenfreado no país), mas não me parece que será com qualquer fantoche americano, ao jeito de Guaidó, que a coisa melhorará para o povo cubano.

      Gostar

      1. Agradeço a resposta.

        O contraste das nossas perspectivas certamente ajudará os indecisos ou os desinteressados a pensarem no assunto

        Prisioneiros políticos?
        Partido único?
        Censura?
        Liberdade de associação?
        Liberdade de deslocação?
        Propriedade privada?
        Liberdade de manifestação?
        Liberdade de expressão?

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.