Para Utilidade Presente Ou Futura

Porque há sempre quem se “esqueça” de que há procedimentos a respeitar e existem limites para os “amanhos” ou para os pedidos de “boa vontade”. Se a própria DGAE assim esclarece com base nas leis em vigor, não serão os minions a achar que coiso e tal, não é para levar a sério.

2ª Feira

O secretário Costa saiu em defesa do programa TEIP. Pelos vistos o tema é-lhe tão caro que não enviou uma 2ª linha fazer a defesa da honra desta sua menina dos olhos, ao contrário de outras. Talvez tenha sido porque as críticas resultaram de uma tese de doutoramento. O texto em si é o habitual reportório de propaganda à obra própria, sem cedência a grandes dúvidas, mesmo quando se admitem necessidade de retoques. O secretário Costa presta-se a fornecer “informação verdadeira” e uma pessoa quase se engasga com a torrada matinal. O secretário Costa considera, desse modo, que terá andado “informação falsa” a circular, embora afirme, em plural majestático, que “não nos compete comentar a qualidade de uma investigação académica”; que isso “essa é tarefa dos pares académicos”. E isto é tudo muito curioso. Porque dá a entender, implicitamente, que os académicos não deveriam ter a ousadia de avaliar a qualidade das políticas. A menos que seja o ipps do iscte. Ou algum centro amigo da católica, claro.