Em Que Cursos?

Já agora… não negando a sua enorme relevância nesse contexto, o racismo é a única forma de discriminação e as “zonas desfavorecidas” limitam-se aos guetos socio-económicos que se desistiu de combater de outras formas?

Governo cria 500 vagas no superior para alunos de escolas em zonas desfavorecidas

(…) Medida está prevista para o ano lectivo de 2022/2023 e integrada no Plano Nacional de Combate ao Racismo e à Discriminação, que é publicado esta quarta-feira em Diário da República

Secretária de Estado espera que em 2025 “sejamos capazes de compreender o racismo e a forma como impacta todas as pessoas e não apenas as pessoas discriminadas”.

18 thoughts on “Em Que Cursos?

  1. Há uns trinta anos, o professor de História do Brasil, chegado de uma viagem a este país, contou-nos que aqui corria a seguinte anedota:

    Alguém telefona para uma universidade e diz:

    – Quero fazer um curso!

    Do outro lado da linha respondiam:

    – Se quiser uma licenciatura, pode vir buscar o diploma amanhã! Se quiser um doutoramento, tem de esperar uma semana!

    Passados trinta anos, estamos quase assim em Portugal!
    Assim é a Escolinha dos Costas!…

    Gostar

      1. Se não for TEIP não é desfavorecido, parece ser a lógica.
        Mas há depois uma coisa curiosa que é ver quem tem autorização (ou não) para ser TEIP.
        Director que andou na organização dos calçanitos dá 2 pontos de crédito.

        Gostar

  2. A deteção de probabilidade de insucesso escolar já não está na mão dos professores, que, a julgar pela notícia, se terão revelado incapazes de o fazer. Agora essa responsabilidade estará a cargo de “um ‘software’ de combate ao insucesso escolar, o MAPIE”, que já terá evitado “até agora 500 retenções, o que significa a “poupança equivalente a 1,8 milhões de euros”.

    https://observador.pt/2021/07/22/projeto-quer-ajudar-a-combater-insucesso-escolar-em-portugal-brasil-angola-e-mocambique/amp/

    Bom, a plataforma já foi apresentada. É ela que vai permitir “agir ao primeiro sinal de dificuldade”. Até porque nós teremos falhado na deteção de sinais de dificuldade. Somos ignorantes, insensíveis e incapazes o fazer.

    A plataforma vai lançar “uma nova forma de reinventar a educação”.

    “A presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Cidália Ferreira, manifesta grande satisfação com a plataforma apresentada hoje “por permitir uma análise rigorosa, objetiva e bastante completa do sucesso escolar dos alunos, rastreando os possíveis fatores de riscos de cada aluno”.

    Também deve ser uma câmara socialista, lol.
    E depois, num esplendor de inteligência beatopatriótica de esquerda, refere-se à tal insuficiência e incompetência dos professores: “nomeadamente os que não são percetíveis e visíveis pelos professores e educadores”.

    https://www.cm-mgrande.pt/pages/350?news_id=2344

    Ps. Colega Guinote, desculpe ter inserido aqui este assunto, mas acho que este é um exemplo bem sintomático dos tempos que vivemos.

    Gostar

  3. Um diploma de licenciatura para todos à nascença, e um diploma de doutoramento para todos aos 7 anos há-de ser a meta dos Costas!

    Acaba-se o insucesso!

    Gostar

  4. Paulo, não percebi o “Director que andou na organização dos calçanitos dá 2 pontos de crédito.”. Não conheço a expressão calçanitos. Por outro lado, os dois pontos extra é para quem seja director de uma escola TEIP tem mais do que os restantes e excelentes directores?

    Gostar

    1. O que interessa é que a mensagem chegue aos destinos certos, para que percebam que são demasiado óbvias as “amigalhices” e os acessos directos por telefone a quem decide ou mada aprovar tudo e mais alguma coisa.

      Gostar

  5. A medida encerra ainda outro tesourinho deprimente, os cursos que conseguiram algumas cotas, como é o caso do Turismo. Vagas a saque… Equidade na Educação…

    Gostar

  6. Onde vamos chegar com tanta proatividade pseudo inclusiva? Isto é dar esmolas numa lógica distorcida. Porque não vão à raiz dos problemas? Dar a cana e ensinar a pescar, não?
    Qualquer dia vamos ter vagas só para me toos, depois só para me trans, depois só para gagos, depois só para cochos, depois só para escolas de diretores do partido, depois só para descendentes de vítimas do holocausto, depois só para quem usa peercing, depois para tatuados, depois só para drogaditos, etc, etc…
    Já não percebo se isto é só caridadezinha de beatice propagandística, ou se é pobreza de espírito…ou será apenas a necessidade de trepar degraus na política através da esmolinha.
    Esta cambada…nem ao funeral do Otelo foram! Ao fim e ao cabo mudaram os porcos mas as pias são as mesmas!

    Gostar

  7. O Público não deixa ler a notícia toda a não assinantes. Consegui ler ” cursos técnicos superiores profissionais”, resta saber que cursos são esses e profissionais de quê? Se é só para os alunos das escolas TEIP, é de uma injustiça tremenda. Sou contra cotas sejam elas quais forem. Querem sair da merd@ , estudem e já agora aceitem empregos que pagam ao mês o mesmo que fazem numa semana ou menos em atividades subterrâneas…… ou será que vai haver cursos em “e-trading na dark net”? 🙂

    Gostar

  8. Há meninos balofos a ganhar nas cripto sem mexer uma palha. É só pôr a rodar os topo de gama que os papás lhes deram para os jogos. Estudar? Trabalhar? O que é isso?

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.