A Treta Em Dois Passos

O texto de SE Costa, já com um par de anos [data da referência revista], revela uma carga de preconceitos enorme sobre o trabalho “tradicional” das escolas e eu até percebo porquê, mas pensava que eu era o míope que só via o meu quintal. A ele, pedir-se-ia um pouco menos de estreiteza de vistas e tacanhez de concepções, que parecem muito decalcadas de experiências próximas que o terão marcado de forma traumática.

Só o recordo, porque este domingo temos um subproduto da propaganda costista, com a directora-especialista Cohen a espraiar-se em prosa que parece escrita em piloto automático para um novo guião/manual a vender a editora interessada no “produto”.

Basta ler o destaque para se saber ao que vamos:

As Aprendizagens Essenciais estão longe de serem objetivos mínimos. Trata-se de transferir para as escolas o exercício emancipatório da autonomia, sempre complexo, mas que potencia o desenho de possibilidades de ação.

(acho que anteontem li um texto do jornal As Beiras, de que não guardei o link, que era outro monumento ao passadismo crítico, revelando mais sobre as práticas de quem escreve do que propriamente daqueles que critica… como se, afinal, quem faça a escola velha sejam aqueles que se querem afirmar veículos de uma novidade há muito conhecida)

One thought on “A Treta Em Dois Passos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.