Sábado

Dia para o ritual da primeira visita à Feira do Livro, que o ano passado abstive-me. Todos os anos ouço falar em coisas novas, mas já me chega que não mudem para pior. Ok, há agora uns quiosques onde se podem comer umas coisas giras a preços algo parvos, mas é a Lisboa do Medina, pelo que há que ter sempre a carteira à mão.

Valham-nos os alfarrabistas e algumas promoções ocasionais, que em outros casos se consegue comprar online mais barato e foi isso que tentei dizer a um par de simpáticas funcionárias que, cada uma em sua banquinha, me chamavam a atenção para os produtos. Não faz sentido ter quase tudo a 40% na livraria online e depois a 20% na Feira. Ou ter tudo a 10%, como em qualquer grande superfície e deixar monos para livros do dia. Tempos novos, velhos hábitos.

Como escrevi, valham-nos os alfarrabistas onde é possível encontrar coisas perdidas ou em falta, como as tirinhas do Guarda Ricardo de 1975-76, então publicadas pela Bertrand, a preço lógico e não especulativo.

(não fotografei o pequeno monte de aquisições, para não ferir susceptibilidades e autoestimas)

One thought on “Sábado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.