Notícias Do Funil

Nota informativa – Divulgação das listas definitivas de graduação dos docentes candidatos às vagas para a progressão aos 5.º e 7.º escalões 

As listas:

Lista Definitiva de 2021 de Graduação Nacional dos Docentes Candidatos às Vagas para Acesso ao 5.º escalão

Lista Definitiva de 2021 de Graduação Nacional dos Docentes Candidatos às Vagas para Acesso ao 7.º escalão

Lista de Docentes Retirados das Listas de Progressão ao 5.º Escalão

Lista de Docentes Retirados das Listas de Progressão ao 7.º Escalão

Sábado

Dia para o ritual da primeira visita à Feira do Livro, que o ano passado abstive-me. Todos os anos ouço falar em coisas novas, mas já me chega que não mudem para pior. Ok, há agora uns quiosques onde se podem comer umas coisas giras a preços algo parvos, mas é a Lisboa do Medina, pelo que há que ter sempre a carteira à mão.

Valham-nos os alfarrabistas e algumas promoções ocasionais, que em outros casos se consegue comprar online mais barato e foi isso que tentei dizer a um par de simpáticas funcionárias que, cada uma em sua banquinha, me chamavam a atenção para os produtos. Não faz sentido ter quase tudo a 40% na livraria online e depois a 20% na Feira. Ou ter tudo a 10%, como em qualquer grande superfície e deixar monos para livros do dia. Tempos novos, velhos hábitos.

Como escrevi, valham-nos os alfarrabistas onde é possível encontrar coisas perdidas ou em falta, como as tirinhas do Guarda Ricardo de 1975-76, então publicadas pela Bertrand, a preço lógico e não especulativo.

(não fotografei o pequeno monte de aquisições, para não ferir susceptibilidades e autoestimas)

Uma Boa Decisão

O regresso de Ronaldo quase às origens, ao United, onde se tornou o CR7. A ida para o City parecia-me algo contranatura em quem nunca se procurou transferir para rivais de antigas equipas. Nisso nunca seguiu as pisadas (mais impulsivas) do Futre ou (calculistas em termos financeiros) do Figo, entre outros. O próprio Guardiola percebeu que ele iria para onde quisesse e se sentisse bem.

E assim sempre fica a esperança que entre os 38 e 40 anos acabe a carreira no Sporting.

6º Feira

Mesmo em férias, é gratificante sabermos que uma situação muito complicada se resolveu, sem grandes alaridos (apesar de algumas interferências para “ajudar” que raramente o conseguem), com uma boa articulação entre um dt e uma técnica da CPCJ local. Foi bom saber que se eliminou uma situação de risco físico e emocional para uma criança, através de uma acção exemplar dos serviços da Segurança Social que, quando animados por gente que se empenha, fazem coisas extraordinárias em pouco tempo, funcionando em rede, localizando familiares, encontrando soluções para o que parecia muito, muito complicado.

Mesmo em férias, é bom que nos comuniquem que tudo ficou bem, mesmo se (talvez pela sua extrema competência) a pessoa com que se colaborou de modo virtual nos comunique que vai partir para outras funções, ao mesmo tempo que tem a extrema simpatia de agradecer um trabalho feito em conjunto, apenas na base de um par de telefonemas e meia dúzia de mails. Por vezes, mais do que a quantidade ou foguetório, interessa empenho, celeridade e eficácia: Neste caso, mesmo no verdadeiro interesse dos alunos e não de coreografias com outros intuitos.

Não Deixa De Ser Curiosa

Uma medida interessante, embora a 15 de Outubro, já seja um bocadito tarde. Resta agora saber o peso dos “objectores de consciência”, entre professores e encarregados de educação.

Alunos do 3º ciclo e do secundário, bem como os professores, serão testados no início do próximo ano letivo

Medida prevê a deteção de eventuais infeções em alunos, professores e pessoal não docente, “independentemente do seu estado vacinal”

(…)

• Fase 1: Pessoal Docente e Não Docente – 6 a 17 de setembro

• Fase 2: Alunos do ensino secundário – 20 de setembro a 01 de outubro

• Fase 3: Alunos do 3.º ciclo – 4 a 15 de outubro

5ª Feira

Quem quer ser respeitado deve dar-se ao respeito é um daqueles ditos tradicionais, um lugar-comum como o que afirma que não se deve fazer aos outros o que não gostaríamos que nos fizessem. Vem isto a propósito do (des)respeito com que certos órgãos de gestão tratam os docentes em matéria de avaliação de desempenho. por estes dias, acompanho o trajecto de um punhado de reclamações e é notória a diferença de tratamento dispensado a quem exerce um direito estabelecido por lei, com procedimentos com regras e prazos a cumprir. Independentemente da substância das respostas, há uma clara diferença entre quem respeita os direitos dos professores, mesmo que deles discorde e quem ache que “está de férias”, pelo que os prazos ficam em suspenso até dar jeito responder a requerimentos e reclamações. Há o caso de um colega que recebeu em devido tempo a documentação que solicitou (e foi bem detalhada), outro que, tendo dado entrada da sua documentação pelos mesmos dias, nada recebeu sem ser que a SADD tem mais é que veranear 8os dois casos são do mesmo concelho, em agrupamentos que distam pouco mais de uma meia dúzia de quilómetros), e um terceiro que até a resposta à reclamação já recebeu, embora tivesse sido o último dos casos mencionados a enviá-la.

Repito que não está aqui sequer em causa o desfecho de cada reclamação, mas sim a forma como os poderes locais da gestão escolar se exercem de modo muito diferente e com uma noção muito diversa dos deveres que todos temos uns em relação aos outros. Até porque há quem se incomode em “interromper as férias” quando terceiros o fizeram para lhes resolver problemas bem complicados.

Mas, para usar agora um dito de origem mais cosmopolita, mas meio apócrifa no good deed goes umpunished. Parvo acaba por ser quem trata os outros com a consideração que gostava de merecer,