Tem O Seu Quê De Ofensivo…

… o tom do anúncio de certas acções de formação ou webinares destinadas a docentes como se fossem uma espécie de imbecis que nunca tivessem descoberto o que andam a fazer. Sei que há gente que delira com isto e até formam “comunidades”, mas dificilmente eu lhes chamaria “de aprendizagem”. Até porque seria importante eu reconhecer em quem dá formação uma prática pedagógica “diversificada e desafiante” com um punhado de anos de experiência e demonstração, sem ser em ambientes controlados.

Já agora se acreditam que “que as crianças e os jovens são protagonistas do processo de ensinar, de aprender e de avaliar” porque será que não se dirigem aos alunos e desenvolvem formações, por exemplo, dirigidas também a alunos e encarregados de educação.

Portanto, da próxima vez que me disserem que “Pretendemos ajudá-lo a organizar a sua ação pedagógica de forma mais diversificada e desafiante”, são capazes de merecer prosa mais assertiva e acutilante com base no parlapateio que apresentam como “propostas e estratégias de ação”, ok?

Porque a roda já foi inventada e reinventada (basta olhar para as biclas do Tour) e a mim chateia esta mania de mamar com base em redundâncias. No fundo, o que querem é vender mais livros, dando a entender que descobriram o que já foi descoberto há meio século (o caso do DUA é sintomático) Ficamos entendid@s?

(eu até me inscrevi, mas foi só para deixar uma cadeira vazia, que é a minha forma de fazer resistência passiva a quem acha que será a sua ajuda a inspirar “os docentes a concretizarem práticas de organização do trabalho pedagógico cuja prioridade seja a promoção das aprendizagens dos alunos e o desenvolvimento das suas competências”)

4 opiniões sobre “Tem O Seu Quê De Ofensivo…

  1. “… como se fossem uma espécie de imbecis que nunca tivessem descoberto o que andam a fazer.”

    Tal e qual. O problema é que a maioria dos colegas se comportam mesmo como “imbecis” nestas formações, aprovando tudo o que é dito e sem contraditório. Toda a gente se acha capaz de ensinar os professores, fora e dentro da escola. E eles aceitam.

    Gostar

  2. Tal e qual! O post e o comentário do Rui.
    No seguimento de posts anteriores, é uma dor de alma ver a apatia e a falta de espírito crítico que se instalou nas escolas. E alguns(mas) até nos dão uma palmadinha nas costas quando damos voz a este desconforto. Preferia um murro! Saiam do armário e assumam o conformismo mas não se arvorem na classe profissional mais qualificada para… a p@ta que os pariu, parafraseando Saramago!

    Gostar

  3. Tão doutos descobridores da pólvora têm é de fazer ações de formação para pais e alunos! Isso é que era! É até agora andaram a pregar em auditórios cheios de bichinhos amestrados, muito medrosos e com pavor de retaliações na avaliação e nos horários…
    Os profs já se borrifam para esses teóricos da treta que estão apenas a vender livrinhos e webinars de propaganda paga pelo Estado para arrumarem a própria vidinha e criarem a ilusão que esta geringonça é que inovova! Só arruinou, mas ,prontos, é para fazer de conta que se acredita nestas patranhas empobrecedoras da escola que desconstroem o futuro.

    Gostar

  4. Meus caros, estou com insónia, quando deveria ser o contrário! Tal tem sido a parafernália de ordens de serviço, lavagens ao cérebro, reunião geral de boas vindas com recados para o novo ano e puxões de orelhas pelos erros cometidos pelos profes no ano passado, mastigação de legislação, indigestão de informação, documentos para ontem, reuniões de CT, reuniões com encarregados de educação, com alunos, … tudo, tudo, menos preparar aulas! E com isto, o tempo voou e tudo o vento vai levar….e quando deres por ela, percebeste que fizeste tudo para passares todos os alunos – todos, lembram-se? – e que os alunos pouco ou nada fizeram por isso! E tudo significa quase nada para ti, e para a tua vida pessoal, familiar e social. Deste o litro, ficaste exaurida de energias psicológicas e emocionais, com stress e ansiedade acumulados, e ainda aturaste a prepotência e os caprichos de chefes, pais e demais. Se fizeste bem, ninguém repara, mas se fizeste mal, tens todos os dedos apontados a ti! Sim, porque errar não é permitido a todos os humanos, só a alguns que nasceram com uma áurea especial ou com o cú virado para a lua! Depois, olhas à volta e vês o rasto de “lixo” que ficou para trás, entre pilhas de papéis multiplicados vezes sem conta, dossiês gordos de tudo e de nada, computadores atolados de pastas e docs de tanto profícuo e aturado trabalho, em casa e na escola, nas horas extras que ninguém contabiliza e paga, quase diariamente, e aos fins-de semana… Digam lá se isto não é paixão pela Educação!
    Oh, não, agora que eu estava a gostar desta nossa “conversa”, tenho de ir. Há mais escola à minha espera! Carpe diem!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.