2ª Feira

A pandemia não se foi embora. Claro que a Alemanha, Áustria e Holanda não passam de países dominados por um despropositado alarmismo. Só que, graças a fortes correntes anti-vacinas, acabam por ter de novo elevadíssimos níveis de contágios. Mas podemos sempre dizer que é apenas mais uma fase na enorme conspiração securitária global.

6 opiniões sobre “2ª Feira

  1. Guinote, a doença está muito mais leve em Portugal.
    Quantas pessoas conheces realmente doentes?
    Nas escolas então é só ridiculo o que se está a passar em termos profilaticos.

    Positivas é diferente de doentes.

    Mortes são residuais estatisticamente. Os que morrem alem de serem velhos tem varias morbilidades associadas.

    Achas que devemos encarar a pandemia como está como um pandemia?

    Gostar

  2. Christian Drosten, diretor do Instituto de Virologia da Charité de Berlim, deu Portugal e Espanha como exemplos de países que podem estar a meses do fim da pandemia.

    Em Portugal e Espanha, “a pandemia provavelmente ficará para trás na primavera” de 2022, defendeu o virologista.

    De acordo com informações dadas pelo virologista alemão ao jornal Der Spiegel, esse ‘fim à vista’ deve-se à elevada taxa de vacinação que garante uma maior segurança para a população.

    Gostar

  3. Vamos esperar que o “verão” acabe e depois fazemos contas. Tenho zero esperança que a coisa corra bem. Mesmo com 80 e pico (dizem…) taxa de vacinação. Vão espreitar no que se está a passar em Gibraltar….

    Gostar

  4. Não me parece que tenha sido apenas o facto do almirante ter posto as coisas em ordem. São os portugueses que gostam do espírito de carneirada e de mostrar ao estrangeiro que são bons alunos (só no que toca a coisas muito à frente e na mira internacional). Já foi assim quando a troika cá esteve, quisemos ser mais papistas que o papa e fomos rotulados de bom aluno cujo exemplo deveria ser seguido pelos pigs.

    Gostar

  5. Como seria de prever, vai piorar antes de ser melhor. Ainda demorará um pedacinho até que realizem a verdadeira razão que justifica números ainda baixos. Porém, como já estamos na fase em que a curva empina, prevê-se que a resposta, mais uma vez, não venha a tempo. A questão não é se podia correr pior se não estivéssemos vacinados mas sim o desperdício que fazemos apesar do esforço de vacinação.Os dados estatísticos não são irrelevantes, ao contrário do que afirmam alguns. Qualquer doença que tivesse sido atacada com o esforço financeiro e logístico que foi aplicado na resolução deste problema já estaria erradicada em Portugal! Portanto, continua a ser relevante fazer a pergunta onde estamos a falhar?

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.