4ª Feira

Para muitas daquelas pessoas que acham que a sua vida nesta altura está difícil, deixo-vos um exemplo de que poderia ser pior. Porque há sítios onde o delírio burrocrático é uma coisa que nos deixa de queixo caído até aos calcanhares. Não é que o mal dos outros alivie o nosso, mas pelo menos coloca-o em perspectiva.

(removi a identificação da escola por motivos óbvios, incluindo o desejo de não traumatizar ainda mais quem é obrigado a fazer isto; basta dizer que é na área da “grande” Lisboa)

39 opiniões sobre “4ª Feira

    1. Tenho mais uns documentos que demonstram que há mesmo gente com muito tempo para preencher, pelo que não me espanto que exista quem leia.
      Há não muito tempo, sabia de outra escola em que as actas eram de tal modo examinadas que meses depois de feitas as reuniões ainda as mandavam para trás, para introduzirem correcções.

      Gostar

      1. Quem manda fazer isto não são professores. São diretores/comissários políticos.
        Há muitas décadas deixaram de ser professores e têm pânico de um dia voltarem a uma sala de aula.
        Até já têm a garantia, oficiosa, do Costa de que poderão eternizar-se no cargo.
        Ficam duas perguntas: num país que se diz democrático e onde a maioria dos cargos, mesmo os que estão sujeitos ao escrutínio democrático, têm mandatos limitação a 2 ou 3, por que será que há diretores com mais de 30(!!!!!) anos no tacho????
        Que democracia estamos construir se no espaço onde se formam os cidadãos do futuro, não há eleições democráticas (estamos a iniciar os jovens num modelo venezuelano) ?
        Tal como destruíram o ensino (com a falta de professores) estão também a destruir o regime democrático, iniciando os jovens, pelo exemplo, em práticas antidemocráticas. Depois lamentam-se do aparecimento dos “chegas”. As escolas são todas geridas pelo “chega”…ou bem PIOR.
        Nota: Ninguém sai ileso, até o be e o pcp, que prometeram proposta de regresso da democracia às escolas e até agora, SETE ANOS depois, ZERO.

        Gostar

      2. Caro Fui, já poucos querem ser diretores. Então dos megas (na verdade alguns passaram rapidamente a minis, tal a degradação que se assolou as escolas que os integram) estão todos a fugir.

        Gostar

  1. Paulo, tens noção que um ou outro diretor que passe cá pelo teu quintal ainda é capaz de usar isto para se inspirar? Podes vir, entretanto, a ser implicado em esquemas de tráfico de documentação tóxica…

    (Já agora: tens em Word? É que o pdf online converter desformata a largura das células. É para um amigo…)

    Gostar

  2. Sugestão: os professores juntam-se, enfiam um saco na cabeça do diretor e depositam-no à entrada do hospital psiquiátrico mais próximo. Não é necessário fazer check-in ou preencher o que quer que seja. É só deixá-lo lá à entrada. Depois, vêm embora e vão à vossa vida.

    Gostar

    1. É atirá-los para o fundo do mar com uns sapatos de cimento. Têm direito a levar — não, não somos gente sem alma — uma foto do João Costa ou o original do documento que certifica a sua avaliação como Excelente nas ADD. Assim sempre se podem masturbar até perderem os sentidos e a vida.

      Gostar

  3. Chiça! Não tenho estes níveis de ensino, excepto o ano passado quando leccionei uma coisa chamada Cidadania e Mundo Actual a uma turma do 9.º ano de um CEF.
    Mas conheço o inferno de papeletas que os colegas têm que preencher.

    Gostar

  4. A estupidez não tem limites. Todos os cargos deviam ter um limite. 4 anos seria o suficiente. Quando abandonassem o altar em que se colocam, quando tivessem que provar do seu fel, muita coisa mudaria nas escolas. Já agora, isto também devia valer para os sindicatos. Ninguém que não dá aulas devia poder estar tanto tempo a fingir que representa uma classe profissional de onde se auto – excluiu.

    Gostar

  5. É atirá-los para o fundo do mar com uns sapatos de cimento. Têm direito a levar — não, não somos gente sem alma — uma foto do João Costa ou o original do documento que certifica a sua avaliação como Excelente nas ADD. Assim sempre se podem masturbar até perderem os sentidos e a vida.

    Gostar

  6. O fel aqui despejado demonstra o carinho que esta malta sente pelo seu “diretorzinho/a”. Serão os mesmos que lhe engraxam os saltos altos com que se faz anunciar nos corredores dos gabinetes? Aos corredores com salas de aula, nem vão, esqueceram-se do caminho.

    Gostar

  7. São só os diretores? Os coordenadores de ensino/coordenadores dos diretores de turma também não tem responsabilidades? E os coordenadores de departamento? E os professores do Conselho de Escolas? E os colegas que incentivam isto? Quantas vezes uma minoria de professores protesta e é ignorada? Ou afastada? Temos o que merecemos!!!
    Infelizmente, isto só passará, somente com a falta de professores. Com o caos! Aí, como as sociedades se auto regulam, voltaremos a ser tratados com dignidade. Mas ainda faltam alguns anos, até que isto caia de vez..
    Isto é a consequência de uma mentalidade criada nas sociedades ocidentais. Nos Estados Unidos já chamam a geração dos “meninos flocos de neve” ou a geração dos “meninos imperadores”.

    Liked by 1 person

  8. Não posso acreditar! Atirem com este exemplo de bestialidade para os “convites” ao aparecimento de professores… pode ser que apareçam! Uma vergonha!…

    Gostar

  9. Phosg@-se é um comentário brando para esta situação. Ou seja, quer o lamento, quer a situação, tornaram-se tão vulgares que vai ser preciso inventar novos adjectivos…
    Com muita pena minha mas, como alguém disse aí em cima, temos o que merecemos. Também gostava de conhecer essa região abençoada na qual já há quem fuja aos cargos de direcção!

    Gostar

  10. É uma importante evidência do tempo que vivemos, do inacreditável colete de forças em que a política e o espírito geringonço e beatopatriótico de esquerda nos aprisionou (lamento, mas é exatamente o que penso).
    O socialismo é isso mesmo: só há uma verdade/um caminho, o da elite que nos conduz à felicidade.
    Espero que no próximo dia 30 de janeiro surja uma luz ao fundo do túnel.
    Vou votar IL!

    Gostar

    1. Não brinque…já passei por isso mesmo que está a sugerir.
      Em tempos, havia por aqui uma ficha de verificação/registo para os alunos que saiam da sala para esse e outros fins.

      Gostar

  11. “Vêm referidos os alunos acompanhados pelo Tribunal de Família e Menores
    e/ou pela CPCJ, caso se aplique na turma.”
    Tenho muitas dúvidas, para não dizer certezas que este tipo de informação, com a identificação dos alunos possa vir referida em qualquer ata, quanto muito aceito que se refira quantos alunos são acompanhados. A caminhar neste sentido, não tarda muito identificamos os alunos por etnias, por tipo de família etc.. Exemplo de educação no seu melhor….

    Gostar

  12. O trabalho de monta já está feito e só temos que agradecer, e louvar, quem o fez, agora é só desenvolver os algoritmos e fazer uma APP onde se submeta a ata. Em segundos recebe-se um relatório que identifica a verde o texto bom e a vermelho o texto mau, informando ainda, a azul, o que pode, e deve, ser melhorado. Depois é só fotocopiar este relatório, proceder às alterações sugeridas e fazê-lo anexar à própria ata. Que tal?

    Gostar

  13. Achei fraquinho e incompleto. Nem menciona os relatórios individuais emitidos pela Comissão Paritária Para a Diferenciação por Género no Uso das Instalações Sanitárias e Vestiários.

    Gostar

    1. Nem o relatório individual sobre os resíduos deixados intencionalmente nas instalações da escola, seja a pastilha elástica na tijoleira do pátio interior, seja a casca das sementes de abóbora por trás do banco sueco no ginásio!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.