In Memoriam (1965-2021)

Não o conhecia pessoalmente, o que lamento, pois partilhávamos muitos gostos comuns, em boa parte por motivos geracionais. Devemos-lhe a Bedeteca, entre tanta outra coisa. Desapareceu, ao que parece, pela doença que alguns acham só existir na televisão e que se discute com que preposição se usa (foi “com” ou “de” covid?), numa daquelas bizantinices de gente com muito tempo para ocupar.

(c) Graça Ezequiel