Outros Problemas

Um colega pergunta-me o que acontece quando, pela 2ª vez, a eleição para representantes do pessoal docente no Conselho Geral fica sem listas. No entendimento dele, o CG fica sem poder ser constituído por falta de um dos seus corpos. Outra leitura é que, havendo quórum, se um corpo desiste de estar representado, o órgão pode funcionar na mesma. Eu sei que a maioria acha que o CG nem deveria existir (mesmo se é onde resta a última eleição aberta e directa de professores nas escolas), mas esta é uma situação não prevista na lei e aceitam-se opiniões.

3ª Feira

No rescaldo das eleições, Boaventura Sousa Santos fez sair hoje no Público a sua análise da situação política, em particular do Bloco de Esquerda. Não me diz respeito, vou passar adiante. Mas ouvi a intervenção do BSS na TSF em que teorizou sobre mais coisas e, na complexidade do seu pensamento, tropeçou nos próprios pés. Porque não se pode afirmar que “não existem posições irreversíveis em política” (acerca de eventuais novos namoros à esquerda) e depois dizer que é imperativo existirem “linhas vermelhas” (acerca das relações com a “ultra-direita” e da forma como Merkel actuou, por oposição à ambiguidade de Rio). Não estou a dizer qual das posições é a certa, as duas ao mesmo tempo é que é capaz de só estar ao alcance grandes mentes.