Não, Afinal… Coiso E Tal

Quando parece impossível fazer pior figura.

CNE manda repetir eleições em toda a Europa a 12 e 13 de Março – poderá haver nova AR e Governo a partir de dia 28

Não sei porquê, isto faz-me lembrar um pouco os fiascos com alguns exames. Nada como o descrédito, para depois se apresentar a desnecessidade.

De verdadeiramente importante, esta malta tem uma coisa por fazer por ano ou nem isso. Por vezes, têm o azar de duas eleições num ano. E mesmo assim…

O Presente Despacho Entra Em Vigor No Dia Útil Seguinte Ao Da Sua Publicação

Ou seja, a partir de amanhã. Isto é especialmente patusco, a meio de Fevereiro. Um tipo está seis anos no governo e é preciso entrar em gestão para se lembrar destas coisas? Ou é alguma clientela de “formadores” que estaria a ser esquecida?

Se era urgente (vaga de refugiados ucranianos no horizonte?), que raios… só agora? Vá lá… vamos lá a fazer impressos novos para os “novos” apoios e, se possível, uma formaçãozita para ajudar.

E eu a dizer que ia haver algum descanso por estes dias. Ingenuidade…

Despacho n.º 2044/2022

Sumário: Estabelece normas destinadas a garantir o apoio aos alunos cuja língua materna não é o Português.

(…)

Neste contexto, verificando-se o caráter de urgência na emissão do presente despacho, o qual decorre, designadamente, da necessidade de assegurar, em tempo útil, a todos os potenciais destinatários condições equitativas de acesso ao currículo e ao sucesso educativo, o projeto de despacho correspondente ao mesmo foi dispensado da consulta pública e audiência dos interessados, nos termos das alíneas a) e b) do n.º 3 do artigo 100.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 4/2015, de 7 de janeiro, na sua redação atual, porquanto a sua realização não estaria concluída em tempo útil, comprometendo a possibilidade a todos os seus destinatários de poderem beneficiar das medidas ora propostas ainda durante o presente ano letivo.

Agora Que Se Fala De “Saúde Mental” Acerca De Tudo…

… alguém se vai lembrar de tod@s aquel@s que terão de esperar várias semanas para poderem telefonar ao pai/à mãe/aos amigos e amigas/aos vizinhos e conhecidos a anunciar que são (outra vez?) ministr@s, secretári@s de Estado, chefes de gabinete, assessor@s ou simplesmente penduricalh@s do novo governo absoluto?