Alguns Milhares Com Ocupação Virtual, Como Ele Bem Sabe

Porque foram atribuídas turmas a milhares de professores que já se sabe não estarem em condições de dar aulas. Voltámos às manobras mediático-estatísticas do tipo-Valter Lemos. Mas é bem verdade que ele se tem rodeado de algumas figuras que se “destacaram” nos corredores desses tempos.

João Costa anunciou que 97,7% dos horários pedidos pelas escolas têm “professor atribuído”. O ministro da Educação destacou ainda que “o problema neste momento chama-se informática”.

A seguir vai dizer “nós colocámos os professores, eles é que não foram dar aulas”, escondendo que as situações são bem conhecidas de todos, das escolas à 24 de Julho. O “problema” ao avançar Setembro vai multiplicar-se em muitos outros “problemas” de que o ministro sonso se vai rapidamente desresponsabilizar. Repare-se que as escolas “pediram” e ele mandou colocar. Agora… se correr mal… a culpa será d’outrém… das “escolas”… da malandragem dos professores que são uns absentistas relapsos…

É só esperarmos para ver e ouvir.

Segundo João Costa, as escolas pediram 13.101 horários (cada um corresponde a um professor), tendo sido colocados 7099 professores contratados e 5692 docentes de carreira. Os resultados foram anunciados numa conferência de imprensa convocada na manhã desta sexta-feira, o que constituiu novidade face a anos anteriores.

A Ler

Do André Freire, que ainda acha que existem reservas de “pudor” por estas bandas. Será mais fácil achar gás russo.

O indício de eventual troca de favores é tão evidente que não é preciso explicar o dito. Mas é preciso sublinhar o seguinte: mesmo que tudo isto seja legal, são procedimentos que os representantes políticos deviam evitar todo o custo. Quanto mais não fosse por uma questão de pudor.

6ª Feira

País triste, que talvez mereça os governantes que atrasam o pagamento a bombeiros, minguam o pagamento a professores e contam as horas de enfermeiros e médicos, depois de dois anos em que tanto precisaram deles, para um qualquer merdina, sem especiais qualidades à vista desarmada , se manter anos em cargos a partir dos quais pode pagar dezenas de milhares de euros a quem presta serviços ao seu ego e à sua pandilha. São, por certo, “prioridades” e ninguém bufa lá no rato largo porque tod@s acabam por estar á espera da sua vez, tipo galamba, para desdizer o que alguma vez disseram, que a gamela, bem apertadinhos, até dá para muita coisa. Basta vez como se deixou de ouvir falar dos dinheiros de uma tal bazuca, sem que se dê por chegar onde mais se sente falta. Bem dizia ontem uma senhora na serra da Estrela, em reportagem nocturna da rtp3, que o Estado vai servir é para lhe ir cobrar os impostos dos terrenos e recursos que arderam, apesar dos anúncios mediáticos de centenas e milhares de “homens no terreno”. .