3ª Feira

Somos uma classe profissional tão altruísta que devemos ser das poucas, em especial com qualificações superiores (por enquanto), que alberga um forte grupo “anti-corporativo”, curiosamente mais activo dos lado dos “radicais de esquerda”, que acha muito mal que se defendam os interesses daquilo a que ainda chamam “classe”, mas que criticam que actue como tal, à imagem de advogados, médicos, enfermeiros, polícias, etc. Gente com muito “sentido de responsabilidade” como se viu pela absoluta ineficácia nos anos da geringonça. E depois acham que me ofendem ao chamar-me “corporativo”. Antes isso do que outras coisas.

Vão-se catar, porque tratar já não vão a tempo.