Demasiado Triste

O caso da professora com cancro, a quem foi negada mobilidade, que faleceu. O nojo por quem detecta “padrões irregulares”, arranja pareceres-fantasma para não reavaliar os casos e defende “instrumentos de vigilância” é demasiado. Não me digam que são casos individuais e efeitos colaterais indesejados. Que ninguém tem culpa, que ninguém é responsável e tudo era imprevisível. Isto é tudo demasiado mau. Tenham vergonha.

39 opiniões sobre “Demasiado Triste

    1. E falar alto e enviar para os jornais e rádios. Enviar para empresas de TV. Isto tudo é tão repugnante. Está gentalha deveria ser responsabilizada, em termos jurídicos jurídicos.

      Liked by 3 people

    2. O cinismo e a sonsice do ME são VERGONHOSOS, apresentou condolências, como se aos responsáveis bastasse fazê-lo para justificar os crimes.
      O jornalismo em Portugal é REPUGNANTE. Basta ler esta manchete e verificar a forma como foi “apagada”… apesar de tudo ser ter ainda agravado nos últimos 4 anos.
      Se fosse noutras áreas…
      Por que será??????

      Liked by 2 people

  1. Até onde deixamos que isto aconteça mais vezes? Quando chegará a altura para fazer uma guerra séria ao governo? Não me venham com manifestações e greves de um dia.
    Temos de fazer sacrificios e optar por greves prolongadas. Deixemos de ter a mania de ter pena dos alunos por não terem aulas. Guerra de guerrilha com greves permanentes e teremos uma retunbante vitória.

    Liked by 3 people

  2. Há muito que se vão somando casos destes. O Correio da Noite traz uma manchete de 1ª página. Parece óbvio que alguém deu ordens estritas aos médicos das juntas para considerar aptos para o serviço os doentes terminais. E eles obedecem caninamente. É indigno e abaixo de repugnante.

    Liked by 2 people

    1. Nas juntas médicas não são médicos, mas sim “peritos”. Se a mulher fosse minha, na rua não seriam médicos nem peritos, mas sim assassinos da minha família e seriam tratados por mim como tal. Levassem-me depois preso, que eu preciso é de descansar e ter comida e roupa mais ou menos lavada.

      Liked by 2 people

  3. Que nojo! Isto só me remete para o desrespeito manifestado pelos nazis, contra a humanidade. É tão revoltante, tão indigno, tão nojento que nem quero imaginar que teria que olhar para a cara de todos os carrascos envolvidos, em situações destas.

    Liked by 3 people

  4. «Por muito menos crimes do que os cometidos por [D. Costa], rolou no cadafalso, em Franca, a cabeça de Luís XVI!» Afonso Costa continua a ter razão.

    Gostar

  5. Muito triste, desumano e revoltante.

    Quando num governo dito de “esquerda” as pessoas são tratadas como números, o que esperar de outros quadrantes políticos?
    Dá medo…

    Liked by 1 person

  6. “Josefa Marques tinha 51 anos, ficou colocada a mais de 200 quilómetros da área de residência. Ministério esclarece que o regime de Mobilidade por Doença “permitia que a requerente apresentasse 11 escolas de proximidade para onde pretendia a deslocação tendo a docente indicado 3 opções”.”
    (https://rr.sapo.pt/noticia/pais/2022/09/30/ministerio-da-educacao-lamenta-profundamente-morte-de-professora-com-cancro-colocada-longe-de-casa/301904/)
    Ou seja, insinua-se que a “culpa” foi da “requerente” pois apenas indicou 3 opções em vez das tais 11. Isto é (devia ser) mau demais para ser verdade…

    Liked by 2 people

  7. Era isto que eu iria publicar, KT. A vergonhosa resposta do Ministério dando a entender que: 1.a colega é culpada por só ter colocada 3 em 11 escolas; 2. é culpada porque já o ano passado não estivera a trabalhar; 3. é culpada porque este ano já continuava de baixa médica; 4. é culpada porque tinha cancro e não se curou em tempo devido; 5. é culpada porque este ano nem se dignou fazer um pequeno esforço para ir para Oleiros; 6.é culpada porque veio nos jornais e na TV o seu falecimento. É culpada, ponto. Que se mete com o PS….

    Liked by 1 person

    1. Que belo epitáfio arranjou o ME!
      Se se apressou a lavar as mãos cínicas, tal como Pilatos, é porque sabe que tem responsabilidades indiretas visto quevcontribuiu para a instabilidade emocional de centenas de professores doentes na véspera do Verão passado. E sim, sabem que os desestruturam e abalam moralmente porque estudam com requintes de Sade a forma mais desonesta de perturbar. Aliás, a prática de lançar legislação fulminante no Verão também é prova disso.
      Porque razão os professores, cada vez mais, iniciam o ano lectivo cansados e já sem reação? Nem tão pouco lhes dão descanso nas rapadas férias! Estão a ser triturados, ossinho por ossinho, requintadamente nos momentos de maior desgaste. Tudo feito por gentalha sem frontalidade que, do alto dos respectivos coturnos de pau ôco, exerce a malvadez com prazer de torturar.

      Liked by 2 people

    2. Maria, como não podia deixar de ser, perdeu uma excelente oportunidade para ficar calada, depois do seu post a dizer que os docentes do pré, 1 ceb e ed especial queriam prolongar as férias…. lembra-se? Sua hipócrita!!!!! Devia ter vergonha!!!!! Como é possível alguém como você ser professora!!!!! VOCÊ É UMA VERGONHA MISERÁVEL!!!!
      PS: Paulo Guinote, está à vontade para retirar o comentário, espero que entenda o porquê. Os meus cumprimentos.

      Gostar

  8. Já agora: os QZP’s vão ser reformulados, serão mais pequenos mas NÃO TERÃO direito a MPD; ou seja, em breve, tudo será com a contagem dos 20 Km’s, os concursos vão ser de 6 em 6 anos; as escolas vão mesmo poder contratar 1/3 dos professores, INCLUINDO os de QA ou QE; ou seja, se aos 60 quiser mudar de escola, vai ter de descobrir onde há vaga e candidatar-se com curriculum, fotografias de actividades que desenvolveu, portefólios e …. entrevista. Será selecionado o que melhor se enquadrar no Projecto Educativo do Agrupamento.

    Tudo isto é já para o ano, e foi dito numa conferência de sindicatos ligados à Fenprof, que ouviram tudo isto da reunião última com o Ministério. Tenho a certeza de que a FNE e demais sindicatos ouviram o mesmo.

    Gostar

  9. Execráveis decisores que nos matam lentamente! Roubam-nos tudo: tempo, dinheiro, saúde, dignidade, democracia, respeito …
    Execráveis Media que ainda ajudam à festa!
    Com este lamentável caso agravado pelas últimas mudanças que o ME fez na mobilidade por doença, ainda o ME sai a ganhar! “Professora colocada a 200km de casa” nas parangonas só vai ajudar o governo a prosseguir com a munucipalização e a falta de democracia nos concursos. Isto acontece porque os jornalistas não mostram que mecanismos de aproximação à residência já existiam, mas o ministro mudou as regras do jogo porque odeia professores, desconfia deles e persegue-os com ameaças de juntas médicas continuando a propaganda anti-professor orquestrada desde a sinistra Maria de Lurdes Rodrigues.

    Gostar

  10. E esses jornalistas nem mostram que o número de baixas na educação nem sequer é superior ao de outras áreas! Provavelmente inferior, atendendo à média de idades.
    Alimentam mais um mito do ME. Constroem-no para difamar os professores junto à opinião pública e assim estender passadeira vermelha às maldades perpetradas por este maquiavélico ministério que agora bem podia ser o ministério da propaganda, defesa e vigilância do Estado!
    Porque não investigam e aprofundam as afirmações falsas e repetidas ad nauseum?!

    Gostar

  11. São também culpados todos os colegas docentes que “pediram a cabeça”,indiscriminadamente,dos seus colegas em MDP nos últimos anos, lançando sobre todos, uma total suspeita.
    ESTES SÃO TODOS CULPADOS

    Gostar

  12. Concordo com todos, e também com a Maria. Infelizmente, tenho de admitir que entre nós não faltam acusadores, “bufos”, lambe-botas, invejosos e ressabiados. Em muitos destes casos infelizes, são os primeiros a duvidar da gravidade da doença dos colegas, do prolongamento do tratamento ou da cura, e das limitações e necessidades de cada doente. Já fui vitima disso e por isso sei do que falo! Nem sequer percebem nada do assunto ou, felizmente para esses, nunca por lá passaram. Mas de tudo fazem para conseguirem a atenção e as graças das chefias, só comparável àqueles que, para se safarem, em certos regimes políticos, denunciam os seus amigos e até familiares, acusando-os de delitos e crimes que não cometeram. Quais capachinhos, nos dias de festa do agrupamento, até dançam zumba na praça – nada contra, pelo contrário, faz bem para trabalhar a resistência cardiovascular, queimar calorias e deixar o corpo tonificado – , mas não deixa de ser engraçado pensar que até parece haver uma relação entre a zumba, que é uma mistura de estilos e ritmos de outras danças, e os gostos de muitas pessoas que dançam conforme a batida do momento… Nem que não dancem bem nenhuma delas, o que importa é mostrar-se e ser visto(a).
    E quando penso nos sindicatos, que se calaram há muito tempo, há tempo demais, sobretudo desde que nos atiraram o ossinho da miserável recuperação do tempo de serviço… Onde anda a esquerda, a verdadeira esquerda, a da oposição? Sem revoluções e mudanças de paradigma, sem forças capazes de defenderem quem trabalha, e com o apoio destes enfrentarem estes ditadores, não haverá progresso. E quem manda, e quer mandar, sabe bem disso, tanto que até tremem, e por isso vão atirando ossinhos em todas as direções para calarem as matilhas, e assim dividindo para reinar.

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.