Domingo

Eu sei que me repito, numa espécie de mantra. Só que em crescente desânimo. Apesar de fim de semana, porque o resto do tempo não dá para muito, estive a ler um par de contra-alegações de umas SADD que, claramente, parecem, clubes de menin@s rabin@s que gostam de bater o pé e birrar se lhes parece que estão a contestar-lhes a “aplicação da lei”. Começo a ficar sinceramente farto de ler coisas em que se destratam colegas que, na origem, tiveram classificações de excelência, superiores a 9, mas que por causa das quotas foram atirad@s para o “bom” que as leva para as listas de acesso ao 5º e 7º escalões. Passemos adiante do facto de termos agora a presidir a tais órgãos uma nova vaga de director@s que até podem estar abaixo na carreira das pessoas que foram avaliadas e de quem nem sequer poderiam ser avaliador@s em circunstâncias regulares “de acordo com a lei”. Foquemo-nos no esforço feito para demonstrar que as pessoas não merecem o tal “Excelente” ou “Muito Bom” porque, afinal, apesar de terem 9,2 ou 9,4 ou 9,6 ou mesmo mais, só fizeram a sua obrigação e nada mais. Mesmo se nada aprece registado como negativo nas avaliações internas e externas. O cúmulo do ridículo é ler numas contra-alegações num processo de recurso que a pessoa que teve nove vírgula já não sei quantos, desobedeceu às “ordens” da sua directora. Mas, afinal, sendo assim, tendo isso ocorrido e sido verificado, como não existiu processo disciplinar e a pessoa acabou avaliada quantitativamente no nível de excelência. Esta gente endoidou de vez na defesa do modelo que quase tod@s dizem injusto, mas depois se prontificam para se assumirem seus ferozes defensores? Mais do que desorientação, isto é um grave problema de subida do poder à cabeça de gente muito fraca de carácter.

Ter de lidar com isto, ter e ler estas coisas, enlameia-nos, mesmo quando estamos do lado que quer fazer um mínimo de limpeza em toda esta podridão. A vontade, o ânimo, escasseiam-nos quando se tem de lidar com o que de pior pode ter a natureza humana na sua tentativa o que nem se percebe bem.

Pena é que o sonso ministro não seja confrontado com este nível de analfabetismo cívico quando aparece por aí a regougar balelas sobre cidadania, inclusão e equidade. Até porque em vários casos, emanam de fiéis seguidor@s. Como o outro,

9 opiniões sobre “Domingo

  1. Se tivesses de lidar com o meu caso terias de lidar com o fraco carácter de alguém que mente e rebaixa sem qualquer pudor para defender a sua tese. Completamente parcial e que julga na base do afeto.

    Liked by 2 people

  2. Espantosas são as coisas que aprendemos com esses directorzecos (mandarins de serviço) sobre avaliação e que eu que fiz um curso sobre avaliação, desconhecia liminarmente. Há por conseguinte um novo parâmetro ou critério se quiserem, chamado “obedecer ao director” e cujos dez (10) descritores são: 1. obedece sempre, 2. frequentemente,3. muitas vezes, 4. algumas vezes, 5. poucas vezes, 6. só aos fins de semana, dias santos e feriados populares, 7. apenas aos feriados, 8. quase nunca, 9 .nunca, 10. nunquinha. Mais maravilha e profundidade que isto nem sei. assim, vamos lá, com toda a certeza!

    Liked by 4 people

  3. Pensar que pessoas como essas já avaliaram (e algumas ainda avaliam) alunos, que, salvo raras exceções, não têm ninguém que os defenda de juízos de valor enviesados. Aposto que é gente desta que anda a professar a religião maiata do messias dominical e que ainda é capaz de condenar à fogueira por heresia quem não faz as rubriquinhas ou não se anda a vangloriar de ser pródigo na dádiva de pechisbeque de qualidade aos alunos.

    Liked by 2 people

  4. E na DGAE o que temos? Uma liderança oca, sem iniciativa, sem alma e sem energia, apenas preocupada em sobreviver, que permite que se arrastem guerras intestinas entre alguns dirigentes intermédios e que haja diretores de serviços praticamente esvaziados de competências .

    Gostar

  5. E na Covilhã? Uma SADD presidida por diretor dinossauro, coadjuvado pela mulher, os outros 3 sempre a assinarem de cruz … avaliam familiares diretos … mandam quem mais trabalhou para a lista de espera dos 5º e 7º. Vergonha.
    Uma inspeção urge.

    Gostar

  6. Em todo o lado é o mesmo. Estou nomeada como árbitro de uma colega de grupo disciplinar, que teve 9,1 na ADD mas sem quotas veio para Bom. O indeferimento da reclamação diz que a avaliadora decidiu manter a avaliação inicialmente atribuída. Se tivesse 9,17 já estava no percentil.
    Ora convem dizer que a avaliadora é a pessoa no escalão mais baixo do grupo disciplinar e a última graduada. Foi promovida a delegada de grupo disciplinar porque… não chateia.
    Na SADD só um elemento está no escalão desta colega que está a reclamar. Não concordo com tal situação, defenderei a colega para ver se a nota sobe.

    Gostar

    1. Força, “Maria”.
      As SADD e @s PCG são marionetas d@s diretor@s. Há por aí regiões em que formam autênticos “sindicatos do crime” …, são indicados como terceiros árbitros, @ PCG que os indica é apenas instrumento, para prejudicar os professores, impedindo o ganho de causa em sede de recurso. O princípio é sempre: tu vais à “minha minha escola” eu vou à “tua”. Os argumentos não importam, é sempre contra.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.