Importa-se De Repetir?

Eu quase alcanço o objectivo, mas é mesmo quase. E há quases que são quase infinitos.

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) vai avançar para uma greve nos dias 24 e 26 de fevereiro, durante a interrupção letiva do carnaval, avançou, esta quarta-feira, o secretário-geral, Mário Nogueira.

(,..)

A greve incide sobre todas as atividades que sejam marcadas pelas escolas durante estes dias, mas não vai interferir com as aulas, uma vez que coincide com o período de interrupção letiva do Carnaval, inserindo-se no conjunto de greves às horas extraordinárias que se prolongam há mais de um ano.

O Costa PM, o Centeno e a Leitão ainda devem estar a limpar as lágrimas de tanto se rirem.

muppets-rir

 

Conversa À Porta De Uma Escola, Algures, No País Da Descentralização

Funcionária não docente nº 1: Ouve lá, mas aquilo é mesmo greve? Porque diz que é manifestação.

Funcionária não docente nº 2: É manifestação. Greve é dos professores.

Funcionária não docente nº 1: Então não podemos faltar.

Funcionária não docente nº 2: Agora somos da câmara. Temos de esperar para saber.

Funcionária não docente nº 1: É que depois temos falta injustificada.

Funcionária não docente nº 2: Pois… é melhor esperar para ver o que a câmara diz. A câmara tem de dizer o que vamos fazer.

E é assim… eu ia de passagem, não fiquei para o desfecho. Mas dá para perceber que, no fundo, é o novo patronato que decide porque isto da democracia de proximidade tem destas coisas.

E que fique claro que se o “patrão” dos professores fossem @s director@s a conversa seria a mesma. Só faltaria o “não” antes de “docente”.

homens-da-luta

Greve A 31 De Janeiro?

Mas o PCP e o Bloco não viabilizaram o Orçamento sem especiais (nenhumas) condições e referências relativas ao pessoal docente?

É a luta? Pura e dura? Que nos vai levar a novas e gloriosas “conquistas” como as dos últimos 4 anos?

Bora lá lavar a consciência!

Agora sim, damos a volta a isto
Agora sim, há pernas para andar
Agora sim, eu sinto o optimismo
Vamos em frente, ninguém nos vai parar

peoes.jpeg

2ª Feira

Hoje, ao fim da manhã, em alterosas declarações à TSF, reencontrei uma velha conhecida: a sindicalista Ana Avoila, desaparecida misteriosamente durante quatro anos, ao longo dos quais fez fantasmáticas e ocasionais aparições que provaram estar viva, mas com a alma amarrada. Hoje, com muita força pá luta, já parecia capaz de levantar montanhas e pousá-las no mesmo sítio onde estavam.

fantasma

Já Algum Governante Ameaçou Demitir-se? Ou Mandou Vir Pizzas?

Greve de professores em Chicago põe em causa o sistema político

(…)

A greve denuncia a atuação dos dois partidos políticos nos Estados Unidos e mostra como nos últimos anos tornaram a educação num negócio e como o tratamento negligente do setor escolar em Chicago obedeceu a um projeto para “refazer” o sistema educativo, para criar cidadãos dóceis que aceitem as condições de trabalho das grandes corporações financeiras.

Os professores pedem mais e melhores condições, especialmente para alunos com grandes dificuldades sociais, tal como acontece com as comunidades afro-americana e hispânica. Querem menos alunos por turma, que o número de testes seja reduzido, que os professores mais experientes tenham um salário maior. Pedem também trabalhadores da Segurança Social nas escolas e mais profissionais que ajudem os alunos com necessidades especiais, um enfermeiro e um bibliotecário por cada escola.

A ler:

As the Strike Approached in Chicago, Teachers Taught Labor

“I asked the kids, ‘Do you want to know what we’re fighting about?’” said one teacher. They did.

Teacher strikes are changing. The Chicago walkout proves it.

They’re about much more than pay raises.

LIVE UPDATES: Protesters seek to take over Lake Shore Drive, but police push back

sindicatooo