Tanto Esperneou Que Lá Lhe Deram Uma Chucha

Tenho mesmo um enorme desdém por estes “rebeldes” em busca de poiso.

PS propõe Francisco Assis para presidente do Conselho Económico e Social

Chorar

(e depois ainda há ainda quem me diga que o homem até foi professor de Filosofia… certamente na altura de tantas outras “personalidades” que se ufanam de ter dado aulas e por isso terem crédito para desancar nos professores…)

 

Os Marretas Ao Menos Tinham Graça

Claro que o problema teria de residir nos professores envelhecidos, atendendo a alguns dos participantes, jovens como alfaces ao amanhecer ou especialistas instantâneos em assentamento de sentenças e outras coisas “não lucrativas” (atchimmmm!).

Os professores não estão preparados para ensinar à distância

(…)

O debate, organizado pelo Expresso em parceria com a DECO Proteste, reuniu um conjunto de especialistas no sector da educação, e contou ainda com a presença de Alexandre Homem Cristo, co-fundador e presidente da QIPP, organização sem fins lucrativos que atua na área da educação, Nuno Almeida, IM B2B manager da Samsung Ibéria, Rita Coelho do Vale, professora de marketing na Católica Lisbon, e Teresa Calçada, comissária do PNL 2027 (Plano Nacional de Leitura).

pieintheface

(já sei que é “demagógico” apontar o facto destas luminárias nunca se terem visto, durante uma semana que fosse, à frente de uma meia dúzia de turmas do ensino básico público nos últimos 30 anos, à distância ou pertinho…)

Há Que Achar Qualquer Tença Ou Recompensa…

… porque até eu acho que há cortesã(o)s do regime costista que, de tanto se esforçarem e dobrarem as vértebras todinhas, merecem levar qualquer coisa para casa, antes do fim disto tudo. Não sei se cargos de “representação” lá fora, se qualquer coisa cá dentro. Não sei quando a drª Brederode dos Santos tem data de saída, mas a presidência do CNE seria uma opção “de prestígio”, porque conselheir@s há muit@s. É que tamanho empenho em defender, explicar, interpretar, decompor nas partes e recompor no todo, de qualquer asnice dita pelo poder que está não pode passar sem que se reconheça o mérito a tão público ass kissing (em português, lambe-botismo) de figuras com idade para terem decoro em tanto mostrar o ypsilóne. Não há comenda que compense.

duck

O Ano Mais Longo

Este ano lectivo não estará resolvido antes de Outubro, quiçá Dezembro, em especial no que diz respeito ao Secundário e 12º ano. A avaliação anda em terrenos movediços, porque, no essencial, em muitos agrupamentos e escolas, não se fizerem em devido tempo adaptações claras aos critérios estabelecidos no início do ano. E há gente (não apenas encarregados de educação, é bom que se note) que por se sentir menos “confortável” com o que se passa ou apenas porque a pandemia não melhorou nada em maçãs bichadas há muito tempo, irá fazer isto esticar até aos limites da irracionalidade. E como o mundo não pode ficar ainda mais vulnerável ao chico-espertismo, haverá natural reacção contra quem vai querer virar isto em proveito próprio, por via da ameaça e intimidação. E depois há demasiada gente com acesso directo a quem pode. E isso também gera muitas desigualdades e seria bom que quem muito proclama virtudes éticas e republicanas ou desligasse o zingarelho ou aprendesse a ignorar. Mas não tenho muitas esperanças. Porque não há pingarelho com um cheiro de poder que não sinta ter a chave da caverna dos tesouros.

telefone

E Agora? Vou Até À Serra De São Luís Ao Pé Coxinho?

Depois do SE Costa, é o mais costistas dos costistas em exercício na Educação a vir alinhar com a tese do “remedeio”. David Rodrigues vem dizer que vivemos uma “pobre imitação” da escola, depois de muita outra coisa ter sido dita e escrita sobre este ser o verdadeiro caminho para repensar a Educação. Quando o ministro da Economia promete uma enxurrada de meios digitais para as escolas, esta reacção faz-me pensar que algo mais anda a pass(e)ar por aqui. Porque tudo isto já tinha sido percebido há quase um trimestre e tão doutas mentes só agora perceberam que a realidade é o que é? Porque eu ainda me lembro de muita prosa por aí, até no Jornal de Letras onde, todos os meses, fiz o papel de desmancha-prazeres e “velho do Restelo” ao sublinhar o que só agora lhes parece ter ocorrido.

Há uma ou duas teorias que podem explicar esta inversão de marcha na retórica e o abandono do voluntarismo tecnológico da segunda quinzena de Março e todo o mês de Abril, mais umas coisas ainda a salpicarem por Maio dentro (não me esqueci da prédica do David sobre a distinção entre “diferença” e “desigualdade”, como se os críticos do “remedeio” fossem estúpidos). Foi o calor que lhes acelerou os neurónios? Perceberam que continuar assim no próximo ano seria cavar um buraco enorme de onde seria muito difícil sair? Que não chegam formações apressadas da treta e webinars mais ou menos vácuas (ontem, uma colega dizia-me que esteve recentemente três horas a assistir a uma que se poderia resumir em 20 minutos de coisas quase todas conhecidas e repisadas) para avançar destemidamente para o que seria uma absoluta distopia?

Acreditemos que algumas destas personalidades (e aposto que outras aparecerão em breve no mesmo sentido, deixando pelo caminho muita orfandade) ganharam senso. Resta saber se ganharam vergonha na cara.

sinal

 

Pensamentos Da Pandemia – 19

Tenho um particular desprezo por aqueles comentadores de redes sociais (esplanada, tertúlia televisiva, wc público) que aproveitam a mais pequena hipótese para desancarem nos professores, baseando grande parte da sua superior sapiência no pretenso “argumento” de “eu já fui professor@ (embora sejam mais os gajos que usam esta treta de conversa) e saí porque [isto ou aquilo]”.

A ver se não me sai vernáculo no que penso acerca destas criaturas com muitos coliformes fecais fora do órgão certo. É pá, vocês foram professores biscateiros em determinada fase da vida e o mais certo é terem sido uma m€rd@ como profissionais e tendem a medir toda a gente pela vossa própria mediocridade e agora, em especial quando se acham de “sucesso”, gostam de cuspir no prato alheio como se fossem qualquer coisa de relevante. Deixaram de ser professores porque se viram apertados por trabalho ou acharam que ganhavam pouco ou apenas porque eram mesmo uma vergonha. Não venham agora com tiradas como se fossem algo mais do que isso, umas bestas malcriadas a que o verniz do tal “sucesso” não consegue esconder a vossa verdadeira natureza de trolls de teclado leve e estupidez natural.

bullshit-detector

 

Pensamentos Da Pandemia – 16

A maioria pode continuar a cumprir as regras básicas de bom senso e uma minoria até estar ainda no regime antigo, em que qualquer proximidade num raio de 50 metros leva a olhares desconfiados e tons claros de desconforto e mesmo zanga. Mas basta uma minoria significativa ter assumido que tudo já passou para que muita coisa se estrague. Havia vírus, agora já não há. Foi uma espécie de milagre com pós instantâneos de perlimpipim imunitário. Até eu que não me destaco pela enorme preocupação pessoal com todos os protocolos anti-contágio vou ficando abismado por estes dias com a rapidez da “retoma social”, sejam as horas em debandada para a praia (as imagens televisivas da Comporta são um hino às brincadeiras dos pobrezinhos), seja a reconquista das esplanadas, seja a despreocupação com que magotes de gente passaram a concentrar-se com o sorriso de quem venceu a terceira guerra mundial só com um tubo de cola e uma caixa de fósforos.

Quanto regressar o futebol, vai ser a rentrée da temporada do arroto e perdigoto no café da esquina, para mais com jogos todos os dias ou quase.

O engraçado que em relação à retoma laboral ouvem-se muitos receios quanto à segurança, vejam lá aquilo na sonae e tal. Nestas alturas sinto quase um joãomiguel, mas sem a fixação nas escolas.

KeepPlaya

 

Resumo Do Momento Político

O Centeno está farto disto e sabe que, em tempo de vacas magras, se perceberá que ele é mais troikista do que o Gaspar e a Maria Luís juntos. Basta ver a “reversão” que “repôs rendimentos”, rapidamente sacados por via fiscal.

O Costa, António não gosta de parecer que não é ele que manda mesmo, mesmo quando não manda mesmo em vastas áreas da governação. E quando tem de dar a cara por coisas lamentáveis como a alimentação a ouro líquido, da banca e afins.

O Marcelo gosta de aparecer como o grande conciliador, mas com um toque de severidade, que – como uma espécie de patriarca bíblico com um pé no Antigo testamento e outro no Novo – castiga as más práticas com palavra, mas recompensa o arrependimento com afectos.

O resto são figurantes, abaixo de actores secundários, da situação à anémica oposição, não esquecendo os geringonceiros órfãos, que se tentam posicionar o melhor possível para apanharem as migalhas de notoriedade pública que lhes possa garantir carreira futura quando os outros se reformarem ou forem à vida deles, além-fronteiras.

marioneta-de-madera

Grupos De Risco

Docentes com autorização para não regressar a quaisquer aulas presenciais, sem necessidade de atestado.

  • Colegas director@s com 2 ou mais mandatos cumpridos sem levantar ondas à tutela.
  • Colegas com 2 ou mais mobilidades estatutárias em associações profissionais que subscreveram o projecto de autonomia e flexibilidade.
  • Colegas dirigentes sindicais com 2 ou mais mobilidades estatutárias para sindicatos que gostem de sentar-se à mesa das negociações.
  • Colegas que tenham convidado 2 ou mais vezes o ministro Tiago ou o secretário João para um evento na sua escola/agrupamento.
  • Colegas que tenham estado presentes em 2 ou mais eventos com a presença do secretário João como orador e que o tenham aplaudido com entusiasmo e fervor.
  • Colegas que tenham colocado 2 ou mais cumprimentos altamente elogiosos para o secretário João, a doutora Ariana, o professor David ou equivalente numa qualquer rede social.
  • Colegas que tenham frequentado 2 ou mais formações relacionadas com os decretos 54 e 55/2018 com aproveitamento (se for com a doutora Ariana ou com o professor David basta uma).
  • Colegas que tenham tirado 2 ou mais selfies com uma das personalidades supra-citadas, publicando-as depois numa qualquer rede social, fazendo um auto-like.
  • Colegas que sejam amigos de 2 ou mais deputados do PS na Comissão de Educação do Parlamento (o deputado Silva, Porfírio conta por dois).
  • Colegas que tenham participado em 2 ou mais grupos de trabalho, estruturas de missão ou equivalente, com a missão de reflectir sobre este ou aquele assunto considerado de interesse para a “Educação do Século XXI”.
  • Colegas que tenham respondido de forma afirmativa a 2 ou mais “desafios” para coordenarem projectos no âmbito do PNPSE, PAFC, ENEC, E@D ou equivalente.
  • Colegas que tenham colaborado com 2 ou mais contributos para o site de “Apoio às Escolas” da DGE.
  • Colegas que tenham leccionado 2 ou mais aulas da “telescola”.
  • Colegas que produziram 2 ou mais grelhas destinadas à mono/monitorização das actividades desenvolvidas pelos professores e/ou alunos nos últimos dois meses.

(lista em progresso)

doente2