6ª Feira

Como não tenho tempo para ler as várias versões da Acção Socialista (para a Educação) só ontem tive conhecimento deste artigo que o SE Costa assina em co-autoria com Rui Marques em defesa da relevância da “filosofia Ubuntu” para a “recuperação das aprendizagens. Confesso que ainda me consigo espantar com o despautério (gosto da palavra) de algumas pessoas ou então com o modo acelerado como perdem o sentido das coisas, porque o de Estado tenho as minhas dúvidas que alguma vez tenha sido em quantidade assinalável. Ter um governante em exercício, mesmo que em finados de mandato, a validar com a sua assinatura o que não passa de um projecto de um nicho ou clique a que nem se deverá chamar académica e muito menos “científica”, quando nunca vez algo semelhante em relação a qualquer iniciativa na área da (velha e clássica) Filosofia ou de outras áreas do Conhecimento não é apenas ridículo. é algo mais. É grave porque, por muitas que sejam as suas crenças pessoais, um governante na área da Educação deveria coibir-se de promover de modo activo o que não passa de uma para-ciência, para não chegar à expressão pseudo-ciência. Chega a ser ofensivo do ponto de vista intelectual a tentativa de ancoragem na figura de Nelson Mandela para legitimar a iniciativa ou ler expressões como “liderança servidora”, quando este mais um exemplo de uma liderança que condiciona de forma clara a acção das escolas. “Se o senhor SE diz que é bom, é melhor aplicarmos” é o raciocínio de muitas lideranças centralizadoras locais em busca de uma classificação de excelência.

Nada me move contra qualquer crença, com origem seja onde for, acerca da natureza e configuração das relações humanas ou da melhor forma de desenvolver o “Eu e os Outros”, assim como nada tenho contra alguém que promova as “filosofias” que @ ajudam a levar em diante melhor os seus dias. Mas a nível pessoal, nunca a nível institucional e assinando a prosa com o título de governante, ao lado do empreendedor presidente de um instituto particular que tem toda a legitimidade para explorar o seu negócio na área da Educação. Não me interessa se andaram juntos de calções, se são ou não amigos de longa data, se partilham ou não daquela simbiose curiosa do socialismo beato de que António Guterres é um notável vulto. O que sei é que este tipo de “promoção” me levanta as mais sérias dúvidas em termos de ética política, quando se trata de alguém com poder executivo de decisão. Se há quem não se incomode já com estas questões, ok, pronto, deve ser porque tem menos teias de aranha na cabeça do que eu e já se desempoeirou de preocupações arcaicas.

Para Mais Tarde Recordar

O governante que parece achar que tudo vale em matéria de pedabobice e “gestão das emoções”. Mas que raio de crise existencial está a atacar esta gente?

Em declarações à Lusa, o secretário de Estado adjunto e da Educação, João Costa, afirmou que o Ubuntu “tem muitas provas dadas de eficácia na promoção do bem-estar e do envolvimento dos próprios alunos”.

“Por isso, estamos a fazer esta parceria, permitindo que todos os agrupamentos que desejem adiram a este programa tão transformador”, referiu.

E acrescentou: “Sabemos que, para muitos alunos, as dificuldades de aprendizagem se devem a obstáculos em gerirem as suas emoções, em se relacionarem consigo e com os outros, com consequências na autoestima, na confiança e no controlo das atitudes”.

“Quisemos, no âmbito do plano de recuperação das aprendizagens 21|23 Escola+, dar um impulso grande ao trabalho sobre competências sociais e emocionais, apoiando os professores tutores das escolas, tanto mais que uma das grandes faturas da pandemia está ao nível da perturbação das emoções”, prosseguiu.

Será que pensa estar de partida, pelo que é melhor ir arrumando todos os amigos em “projectos” por conta do Estado? E que tal se conratasse psicólogos a sério, mediadores e assistentes sociais para as escolas?

Ah… pois… não é nada com ele.

Roteiros Para A Educação Mínima

Sacados ao Arlindo:. Amanhã talvez me divirta a colocar aqui alguns nacos de verdadeira inovação pedagógica como a passagem adaptada de uma tese de mestrado acerca das atitudes passíveis de tranquilizar os alunos que são coisas muito pensadas e reflectivas, após anos e anos de investigação-acção, que nunca nos teriam passado pela cabeça, caso não as tivéssemos lido com a chancela da equipa do SE Costa. Por exemplo, a mim nunca ocorreu criar “lações” de amizade com os alunos, porque nem li o handbook onde vem o conceito.

ROTEIRO – SEMESTRALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO ESCOLAR

Calendário escolar (Eixo: Ensinar e Aprender / Domínio: 1.2. + Autonomia Curricular)

PROMOÇÃO DE ABORDAGENS CURRICULARES INTERDISCIPLINARES

Aprender Integrando (Eixo: Ensinar e Aprender / Domínio: 1.2. + Autonomia Curricular)

ROTEIRO – AVANÇAR RECUPERANDO

Avançar recuperando (Eixo: Ensinar e Aprender / Domínio: 1.2. + Autonomia Curricular)

ROTEIROS DE ORGANIZAÇÃO DE EQUIPAS EDUCATIVAS

Constituição de equipas educativas (Eixo: Ensinar e Aprender / Domínio: 1.2. + Autonomia Curricular)

ROTEIROS DE ORGANIZAÇÃO DE TURMAS DINÂMICAS

Turmas dinâmicas (Eixo: Ensinar e Aprender / Domínio: 1.2. + Autonomia Curricular)

ROTEIRO – COMEÇAR UM CICLO

Começar um ciclo (Eixo: Ensinar e Aprender / Domínio: 1.2. + Autonomia Curricular)

O Que Uma Pessoa Diz E Faz Para Ganhar A Vidinha

Grande parte destas “entidades”, criadas com nome forsomethig fazem-me lembrar os vendedores de banha da cobra de outrora. São capazes de diagnosticar inundações no deserto e hiper-pilosidade em bolas de bilhar para justificarem o seu ansiado “nicho de mercado”. O pior é que há “jornalismo” que acha que isto merece títulos como se fossem a sério. A culpa da disseminação da estupidez é só das redes sociais?

Clementina Almeida, fundadora do ForBabiesBrain, primeiro spa clínico para bebés da Europa, diz que “no pré-escolar, a criança já pode trazer um gap com repercussão direta no seu sucesso escolar pelo menos até aos 10 anos.”

Em Apenas 10 Aulas!

Foi há um par de dias apenas, mas nem fixei o canal, nem me preocupei em identificar o programa. Só sei que fazia zapping assim mais para o fim da tarde, a ver se pousava os olhos em algo que permitisse algum relaxamento e divertimento (não, não buscava o último e antológico vídeo da Maria Leal, porque se me permite divertimento, não deixa de também despertar algum embaraço alheio). E apareceu-me o que dava todo o ar de ser uma sala de aula, surgindo uma jovem adulta a falar logo a seguir com evidente entusiasmo e “assertividade”. Parei um pouco, medianamente curioso nem sei porquê, talvez porque tenha ouvido algo como “inteligência emocional” que é uma expressão que agora está na moda por cá, apenas com um par de décadas de atraso após a sua entrada no mainstream do léxico psicológico. A jovem adulta, com o tal entusiasmo explicava que o objectivo do que se estava passar na aula que se via em fundo (parecia do 1º ciclo), se destinava (e vou parafrasear, não é citação directa, mas garanto que mantenho o espírito da coisa intacto) a ajudar os alunos a “identificar e expressar as suas emoções”, para se “sentirem bem consigo mesmos”, a “pensar criticamente o mundo” e a “nomear e debater as suas ideias” sobre esse mesmo mundo e sobre si mesmos.

Tudo em apenas 10 aulas. Parece que é uma qualquer parceria local. Não sei o preço do pacote, mas ainda andei a procurar o número para encomendar meia dúzia. Pareceu-me um bom negócio e só faltou darem como brinde uma bela travessa em cristal d’arques no valor de 49,99 € se ligássemos na hora seguinte.

Agit-Prop

Ouvi num noticiário rapidinho numa rádio que o ME fez anunciar que mandou comprar mais 15.000 computadores. Com jeitinho chegarão todos com os testes anti-tiago e quiçá com as vacinas.

E eu que pensava que estava tudo tratado. Pelos vistos, “tudo foi tratado à boa maneira portuguesa”, como escreveu o Veronesi.

Cá para mim, agora vão ser anúncios, dia sim, dia não.

As “Formações” Da Doutora Ariana

Que já é “autora” e não “formadora”, papel deixado a um jovem que parece ter sido seu aluno e que nem sei se já andaria à escola quando a grande maioria de nós flexibilizava sem necessidade de certificação. Não estou aqui numa de “guerra de idades”, só que é complicado ver alguém a querer “formar” quando ainda mal saiu das sebentas da doutora, mesmo que apresente orgulhosamente no currículo que “possui 3 capítulos de livros” (Pazdravlyaiu!). E somos bombardeados com isto no mail, cobrando-se dezenas de euros por pura fancaria “pedagógica” e “flexibilizadora”. E a coisa tem adesão às dezenas e centenas cada edição, mesmo que custe umas dezenas de euros o crédito, pois tem chancela do CCPFC (claro! nem poderia ser de outro modo ou haveria crise doméstica). Mas vai para o rebanho quem aceita este tipo de “mercado” triste. Como se tudo estivesse “normal” e o que mais nos fizesse imensa falta fosse requentar as teses que a doutora Ariana (“Consultora do processo de acompanhamento e monitorização do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC) a convite do Ministério da Educação”) aprendeu e só soube replicar para as “novas gerações”, sem acrescentar um pingo de coisa nova.

Como se esta [pi-pi] fosse o que agora tem vagamente algum interesse.

Ainda bem que a propaganda veio com o link marado.

Uma Enorme “Positividade”

Globalmente, o prémio terá de ser dividido entre o Filinto Lima e o ministro da Educação.

O primeiro porque, com um discurso que até conseguiu fugir à total demagogia de outros, se multiplicou em declarações para tranquilizar a opinião pública quanto à segurança dos espaços escolares (mesmo se já se tentou explicar que o maior problema não é esse); foi curioso o encontro de amigos junto à sua escola-sede com o João Dias da Silva (que até disse que os alunos que vamos receber esta semana não são os mesmos que deixámos em Março, como se ele tivesse deixado alguns ou fosse receber seja quais foram) e o pai Ascenção da Confap.

.O segundo porque em mini-entrevista à TVI, numa bem escolhida sala com carteiras individuais para os alunos, parecia uma picareta falante, a despejar todo o guião a cada pergunta, mesmo quando respondia completamente ao lado da pergunta, como quando disse que tinham uma lista ordenada de professores para assegurar substituições. Sim, homem, tens uma lista. E se a lista não tiver gente suficiente ou se a maior parte de declarar indisponível para passear pelo país nas actuais condições? Por outro lado, a máscara pareceu melhorar-lhe o discurso e não pisca-piscou tanto como é habitual. Já agora, o “regime excepcional” de protecção com que encheu tanto a boca é aquele que ao 31º dia deixa de pagar salário aos trabalhadores de risco, certo?

O prémio “estou aqui, mas não queria” vai para o SE Costa que, na generalidade dos instantâneos televisivos, apareceu ali mais na linha de fundo, fora de grandes ajuntamentos, não vá o bichinho tecê-las.

Por fim, quanto ao PM, realmente o lugar dele é mesmo a tirar fotos na final da Champions no camarote dourado da Luz, porque cada vez é mais difícil ouvi-lo sem um enorme enfado com aquele ar de quem sabe que está garantido no lugar, enquanto garantirem que o psd está reduzido a minions e a esquerda espera por aljubes e outras coutadas.