Pensamentos Da Pandemia – 19

Tenho um particular desprezo por aqueles comentadores de redes sociais (esplanada, tertúlia televisiva, wc público) que aproveitam a mais pequena hipótese para desancarem nos professores, baseando grande parte da sua superior sapiência no pretenso “argumento” de “eu já fui professor@ (embora sejam mais os gajos que usam esta treta de conversa) e saí porque [isto ou aquilo]”.

A ver se não me sai vernáculo no que penso acerca destas criaturas com muitos coliformes fecais fora do órgão certo. É pá, vocês foram professores biscateiros em determinada fase da vida e o mais certo é terem sido uma m€rd@ como profissionais e tendem a medir toda a gente pela vossa própria mediocridade e agora, em especial quando se acham de “sucesso”, gostam de cuspir no prato alheio como se fossem qualquer coisa de relevante. Deixaram de ser professores porque se viram apertados por trabalho ou acharam que ganhavam pouco ou apenas porque eram mesmo uma vergonha. Não venham agora com tiradas como se fossem algo mais do que isso, umas bestas malcriadas a que o verniz do tal “sucesso” não consegue esconder a vossa verdadeira natureza de trolls de teclado leve e estupidez natural.

bullshit-detector

 

Pensamentos Da Pandemia – 17

Começaram, claro que começaram, os primeiros “murmúrios” acerca da possibilidade de haver cortes nos vencimentos ou alguma forma de congelamento de progressões. O “clima de afectos” entre o PM e o PR é de assumida troca de favores e engana-se quem procurar achar uma fissura na muralha d’aço que constituem. Pelo menos até às presidenciais. Claro que “ajuda” termos uma especialista em quebrar contratos na tutela das carreiras da administração pública (sim, procurem na sua produção “científica”), nada será de espantar. Mas – e eu seu que da “esquerda” à direita direita dirão que isto é demagogia, mas é mentira – a verdade é que isto se discute quando não há dúvidas nas transferências para o Novo Banco (o “banco bom”, relembre-se) ou há uma encenação de polémica para injectar mil milhões de euros na TAP privatizada.

Então é assim e que fique desde já muito claro… se me voltarem a cortar vencimento ou a congelar a progressão, enquanto financiam empresas que privatizaram ou pagam compensações a parcerias, se quiserem que eu continue a pagar do meu bolso o ensino à distância (quando dão milhões para o desenvolvimento, aperfeiçoamento e actualização de plataformas 360 que não servem para um chavelho de cernelha) garanto que entrarei em situação de stress profissional e burnout financeiro-emocional. E mandem quem bem entenderem, de preferência alguém novo e dinâmico, para me substituir. Porque eu já não tenho reservas de pachorra para gente sem um pingo de vergonha nas fuças.

Sim, a terminologia começa a vernaculizar.

Palavra de não escuteiro.

Haddock

Nunca, Em Tempo Algum, Me Ocorreu Que Augusto Santos Silva Defendesse Interpretações Literais das Leis…

… menos quando é da sua conveniência. Confesso que ASS é assim uma espécie de híbrido entre um maquiavel de 3ª fila e um mazarino sempre em busca de um rei que precise de eminência pardacenta.

Augusto Santos Silva: “Seria um absurdo uma interpretação literal da lei”

Bucket

De Volta Ao Mundo Real

Nos últimos dias, relatos na primeira pessoa que recebi e ouvi acerca da completa desumanidade de algumas Juntas Médicas da CGA. Felizmente, há quem ainda consegue reagir e num dos casos seguirá queixa para a Ordem dos Médicos. A descrição da situação particular foi muito “gráfica”, sendo que a pessoa que foi mandada trabalhar teve de dar entrada pouco tempo depois nos cuidados intensivos de um Hospital da margem sul onde ainda está. Há realmente doutor@s que são umas bestas quadradas… sendo que talvez a el@s fosse mais útil do que a nós uma “formação multinível” em qualquer coisa.

Tristesse

Isto É Um Suponhamos

Alguém que envia mensagens de Feliz Natal e Páscoa como agente imobiliário no activo de uma multinacional que começa em R e acaba em X e no meio tem EMA pode candidatar-se em listas para sindicatos de professores, profissão de que se aposentou depois de lavar uma valente coça eleitoral?

Pode, claro.

Submarino

(até porque assim se podem inflaccionar representatividades…)

 

 

Da Obscenidade A Céu Aberto

Há que admirar um gajo que goza na cara de toda a gente e ainda diz que quis ajudar bancos com “excesso de liquidez”.

Berardo1

Claro que ninguém se lembra de ter estado no governo de Sócrates que fez aquelas trocas e baldrocas com o CCB… e aposto que há muito escrevinhador de notícias que já se esqueceu de visitas, viagens, prendas, prosas…

Berardo Socas

E agora já há compromissos eleitorais e prioridades de governação que talvez não se oportuno recuperar.

A coleção Berardo, avaliada em 316 milhões de euros e uma das principais beneficiárias de subvenções do Estado, é uma das prioridades da Cultura do programa do PS. Se António Costa for indigitado primeiro-ministro, com o apoio do PCP e do BE, o futuro governo de esquerda compromete-se a manter a coleção Berardo em Portugal, lê-se na página 106 das 138 páginas do programa do PS, embora não sejam feitas as contas aos custos desta prioridade.

Berardo Costa

 

Retoma A Propaganda

20.44 – MST começa por dizer que existem três actores da crise e que dois não quiseram falar, pelo que fica o PM. Ou seja, PCP, Bloco, professores, etc, não conta. O início de António Costa é um estribilho das vacuidades habituais. Não vale a pena. Isto é um simulacro de informação e jornalismo. São dois comparsas à solta, sem contraditório. António Costa está como peixe gordo em piscina cheia de algas lamacentas.

Basta ver a imagem seguinte para ser preciso um enorme controle para evitar chamar imediatamente o gregório.

IMG_0867

Desliguei. É demasiado mau. Nem eu aguento tamanha falta de decência.

 

A Cereja No Topo Do Bolo Mediático Da Isenção Informativa

Na TVI, hoje, Miguel Sousa Tavares “entrevista” António Costa. Em vez de cataplana será servido churrasco com cheiro a professor assado em brasa lenta.

Como garantia de isenção “jornalística”, leia-se um naco da última crónica do “entrevistador”, perante quem a aversão do entrevistado aos professores parecerá amor apaixonado.

E o que dizer do rigor com que usa os números?

 PSD e CDS à direita, e Bloco e PCP à esquerda, juntarão os seus votos para amarrarem o país a uma despesa acrescida de 680 milhões de euros anuais na folha salarial da função pública — ou um total de mais de 800 milhões, se, como é inevitável que suceda, a satisfação das exigências dos professores se tornar também extensiva aos demais “corpos especiais” da Função Pública. É o equivalente, explicou Mário Centeno, à despesa orçamentada para os aumentos normais anuais dos trabalhadores do Estado, despesa essa que assim duplicaria o seu montante. Explicação inútil: a cobiça dos votos dos professores, dos magistrados e dos polícias ultrapassa qualquer outra consideração

CristinaMST

Se Existisse Alguma Decência Na Nossa Política…

… este don césar já estava há muito tempo no armário dos tachos e panelas imprestáveis. Se nem os cemitérios de Lisboa deixa em paz.

Carlos César acusa BE e PCP de se “associarem a uma vitória da irresponsabilidade”. Mas avisa já, ao Expresso, que o PS vai pedir a avaliação do Tribunal Constitucional, se Marcelo não a travar

polvo