Claro Que Depois Será Necessário Contratar Consultores Externos Para Seleccionar Os Candidatos

Se numa resposta oficial, assinada por um@ director@/presidente de SADD nem se consegue identificar devidamente um órgão a que se preside, realmente é capaz de ser mesmo necessário um método mais rigoroso de selecção… do pessoal directivo. Nem vale muito a pena falar do “esquecimento”, porque esse é um alçapão que dá para uma realidade muito obscura que, houvesse alguma decência, deontologia e justiça na Educação, acabaria com muita gente a sair pela borda fora.

A quando de, penso eu de que.

A Proposta De Despacho Sobre As Habilitações Para A Docência

Lia alguém afirmar que só se pronunciava sobre a proposta do ME quando conhecesse a sua letra. Mas ela existe, vou deixá-la em anexo e é vergonhosa a vários níveis, alguns dos quais não falados, tamanhas as micro-preocupações. Parece que ninguém reparou no facto de no 2º ciclo, os grupos mais ligados às chamadas “disciplinas teóricas” (grupos 200 e 230), serem completamente terraplanados, sendo necessário apenas uma licenciatura generalista em Educação Básica, que serve desde o pré-escolar até ao 6º ano para quase tudo enquanto se alinham até uns requisitos mais ou menos detalhados para leccionar, por exemplo, os grupos 240, 250 e 260 (há clientelas politécnicas e não só a alimentar). Ou seja, na prática, o 2º ciclo quase desaparece como nível autónomo, porque qualquer coisa serve para leccionar as áreas disciplinares (História e Geografia, Português, Matemática e Ciências) que o ministro Costa e os pedabobos do patchouly consideram “tradicionais”, “anacrónicas” ou “enciclopédicas”.

Como algumas associações de professores destas disciplinas são dirigidas principalmente por gente muito “secundária” e pouco ligada aos “básicos”, não se espera grande resistência ou oposição. Em especial, entre quem precisa de mobilidades para ter tempo para fazer manuais e vender formações.

A coisa é assinada pelo actual secretário de estado, que já vai mostrando o mau serviço para que foi recrutado, embora a “produção” do documento tenha outra origem. Mas em devido tempo lá chegaremos.

(por outro lado, parece que posso voltar a leccionar o grupo 400 sem problemas, pois com uma licenciatura de 4 anos e um mestrado pré-bolonhês em História, devo ter umas centenas de créditos para colocar em cima da mesa… pensando bem, mais do que a maioria dos colegas de proximidade e muito mais do que quem tem sido chamado a tapar buracos)

Quero O Galamba A Verificar Todas As Facturas, Já!

Medida prende-se com a escalada de preços nos mercados internacionais e após um ano sem atualizações. Para dois terços dos 650 mil clientes residenciais, que representam os consumos mais baixos, a subida do preço do gás terá um impacto médio de 18 euros mensais, antes de taxas e impostos, ou seja, o aumento rondará os 22 euros.

Mais Uma Herança Do “Engenheiro”

A EDP ganhou a arbitragem que a opunha ao Governo, na qual exigia a devolução da contrapartida paga em 2008 ao Estado para ficar com a concessão da barragem de Fridão, que nunca chegou a avançar

Quem paga estas m€rd@s nunca é quem as faz. E o pior é que ainda lhe dão, regularmente, tempo para nos enfiar os dedos pelos olhos dentro. E quase aposto que se vai safar depois de todas as sacanices de que nos ainda andam a apresentar contas.

3ª Feira

Um assunto que me tem ocupado pouco é a TAP, porque é daqueles buracos que se tem a sensação de não ser possível tapar. São mais de 4 milhões de euros de prejuízo por dia, mas insistem que o “retorno” económico da sua manutenção na “esfera pública” é imenso. Já pagar devolver o tempo de serviço que foi esbulhado aos professores foi profusamente apresentado como um encargo incomportável para as finanças públicas. Parece que não dá “retorno”. Há quem já se tenha acomodado a isso, enquanto eu (e não só) permaneço incomodado. Porque não consigo encarar certas pessoas ou sequer ter vontade de ler o que escrevem. Porque não acredito que pilecas velhas e interesseiras tenham sequer vontade para fazer as aprendizagens (éticas) que nunca sentiram vontade de ter. Não sei se isto é uma “atribuição colectiva” de culpa, se estou a ser vago. Mas depois, se ponho aqui os nomes, as pessoas amofinam-se e dizem-se perseguidas, mal compreendidas, treslidas, etc e tal.

Experimentem Ficar A Dever 100 Euros Ao Fisco, A Uma Operadora De Telemóveis Ou Seja Ao Que For

A Parvalorem, criada para ficar com os activos tóxicos do BPN, reclamava em tribunal mais de 104 milhões de euros ao empresário Carlos Marques, acusado de alegadamente ter pedido empréstimos que nunca pagou. A poucos dias da sentença houve um acordo entre as partes.

(só para exemplificar… há mais de um ano resolvi o meu contrato com a Meo, entreguei equipamentos, etc, etc, mas subitamente meteram números automáticos a ligar-me como se nada tivesse sido feito e a comunicar-me uma dívida inexistente… o mais giro é que nem dá para ligar para trás)

Nestes Casos, Podemos Chamar “Cabeça De Ovo” Ao Homem?

É que “leão” faz-me sentir mal. Até porque o “Estado” é sempre “pessoa de bem” para os grandes, mas aos pequenos lixa logo que pode.

No final de 2020, o Parlamento barrou o ministro das Finanças, mas os milhões apareceram.

No final de 2020, o Orçamento de Estado para 2021 (OE2021) ficou preso por um fio devido ao Novo Banco (NB). Uma maioria parlamentar (BE, PSD, PCP e PAN) bloqueou a pretensão do governo e do ministro das Finanças de reservar uma dotação de despesa no OE para poder injetar mais dinheiro no NB.

Mas, na altura, o ministro avisou logo: o Estado é uma “pessoa de bem” e vai cumprir o contrato que assinou. E assim foi. Mesmo chumbado pelo Parlamento, em junho, o NB recebeu a primeira parte da ajuda (317 milhões) e, na semana passada, o resto que estava em dúvida, mais 112 milhões. No total os 429 milhões previamente acordados.

O dinheiro foi angariado com recurso a um sindicato bancário, mas depois foi vertido no Fundo de Resolução (uma entidade pública que conta para a despesa) que depois passou os milhões para o NB.

O Flop Mediático Do Ano

A alegada “CNN” Portugal é algo que ultrapassa a desilusão, para se ficar pelo mero golpe de publicidade com base numa “marca”. Começou com a selecção de marretas nos comentadores (os do costume, mais umas tias idas buscar ao baú do grupo de Balsemão) e continua com a forma como tudo é apresentado, desconchavado, sem um “olhar” próprio que não seja a vã tentativa de combater as audiências da CMTV.

Só isso explica que tenha desenterrado o “rosto novo” do Marinho Pinto para comentar o caso Rendeiro. O homem é o que é e não se pode esperar grande coisa de diferente, pelo que a escolha não pode ser inocente ou ingénua. Há bocado, desplantava-se o comentador que achava mal o “afã de Portugal” em fazer Rendeiro regressar a Portugal porque, na sua opinião pessoas como “o doutor Rendeiro” deviam fugir de Portugal, que ele acha que assim o país ficaria melhor. Eu percebo que ele tenha o chip de advogado de defesa e aquilo dispare em qualquer situação, mas há limites para a falta de senso. portanto, Um tipo comete crimes pelos quais é julgado, transitando em julgado a sua prisão efectiva (o que entre nós é o que se acha mais perto de um milagre natalício) e o comentador da “CNN” Portugal para o tema acha que ainda bem que fugiu e que deve ficar longe e as autoridades portuguesas nada devem fazer para que regresse e cumpra a pena. E como ele, quaisquer outros, só não percebendo se este ex-muita coisa estende a sua apreciação a todo o tipo de criminosos condenados se apenas aos endinheirados.

Até a dupla de pivôs ficou engasgada e, quando eu já estava a zarpar dali para fora, a tentar dar alguma seriedade à palhaçada.

(imagem sacada à página “Biblia mt engrasada”)