4ª Feira

Em regra, os alunos são extremamente generosos e este ano não foi excepção. Não vou por aqui fazer o elenco autoindulgente de qualidades/defeitos, mas apenas destacar que três alunos optaram por não me atribuir nota quantitativa no espaço destinado a responder à questão “O professor merecer ter?” e responderam “descanso”, “o professor precisa descansar de nós” e “o professor precisa de descanso”.

6ª Feira – Dia 47

E existem aquelas que são comuns a tantas outras condições, profissionais mas não só, que se relacionam com a necessidade de viver na incerteza, sem poder controlar o próprio futuro, ficando à mercê de humores alheios. E esse é um dos factores mais reconhecidos como determinantes para o aumento da desesperança e do cansaço: aquele amargo sentimento de impotência perante um futuro com que deixámos de nos identificar. Podemos de falar de muita outra coisa como determinante do stress docente (da indisciplina à pandemia da sobrecarga burocrática à incompreensão de alguns fazedores de opinião), mas, em termos pessoais, não há nada de mais desesperante e desanimador do que sentir que o nosso destino não está nas nossas mãos e, muito pior, está entregue aos desmandos alheios, de quem sabe pouco mas pode muito. 

3ª Feira – Dia 9

Estive a reler boa parte do que escrevi há quase um ano, durante a primeira vaga de E@D e a sensação de déjà- vu é incómoda. Parece que os problemas são quase os mesmos e ando a escrever em círculos, sem sentir que avançámos para algo diferente, aprendemos com as falhas ou repensámos práticas que provocaram um desnecessário desgaste.

Com Uma Final Eight Da Champions Isso Cura-se Num Instante

The Mental Health Fallout of Doctors After COVID-19

Over the past several months, the COVID-19 epidemic has dominated daily life, with wide-ranging impacts on the economy and public health. However, perhaps no one subset of the population has experienced the full brunt of the outbreak more acutely than the healthcare workers fighting to keep it at bay. Working long hours with oft-insufficient PPE (and in many cases isolated from loved ones), they must confront human suffering & death in a way that few civilians ever will, and the mental toll can be exorbitant.
Tired2

Em Termos Pessoais, Tenho Deixado Os Meus Parentes Em Paz

Só passaram dois meses e já está tudo exausto com a miudagem em casa. E o que dizer d@s professor@s que também são mamãs e papás? É o chamado “duplo impacto”, a lembrar um filme de culto duvidoso do velho Jean-Claude.

Estudo internacional avalia impacto da pandemia na exaustão parental

Um consórcio internacional, que reúne cientistas de 40 países, incluindo Portugal, está a estudar o impacto da pandemia da COVID-19 na satisfação e exaustão parental no mundo, anunciou hoje a Universidade de Coimbra (UC).

Tired3

O Nosso Tempo

E o mais importante para mim… que essas pausas sejam em ambiente calmo, não com o ruído ambiente em níveis insuportáveis. No meu caso, por “administradores” penso mesmo nos teorizadores (arianas, matiasalves, cert@s director@s que podem fechar a porta do seu gabinete quando acham por bem, secretários de gabinete e motorista à porta para as digressões) que consideram que os intervalos e tempos não ocupados em aulas devem ser só para planificar, cooperar, avaliar, balancear e todo o raio que os parta.

Dear School Administrators, Please Stop Taking Away Teacher Planning Periods

Dear School Administrators,

I realize that it’s been a while since you’ve been in the classroom, and you may have forgotten the sacred nature of teacher planning time. You’ve most likely buried the memory of having only 20–30 minutes of free time during the day. You know, the time used to plan lessons, go to the bathroom, eat lunch, call parents, cry if you need to, and clean out your inbox.

So I’m writing to remind you that teacher planning time is our lifeline to surviving the teaching day. Taking it away is like draining the oxygen from our lungs. When it’s stolen regularly, oxygen depletion settles in, and you’ll find yourself with frazzled, fatigued, and frustrated teachers.

As teachers, we feel disrespected when you take this time from us. It communicates that you don’t think we have anything better to do or that this time is optional—which it isn’t. Maybe if you knew how much this planning time contributed to the quality of our teaching, student assessment, professional development, relationships, extracurricular participation, and personal health, you’d feel differently about asking us to skip it or cut it short. Here are some of the vital reasons we need this time.

Burnout