Com A Champions E O Jesus A Arrasarem, Fica Tudo Bêêêêêm

Não estraguem o cenário ao costismo-marcelismo. Coloquem lençóis com arco-íris nas varandas e façam muita meditação que verão que tudo isto não passa de um sonho mau que, numa perspectiva cósmico-holística é um mero blip no radar da Criação.

Covid-19: perspectivas para o Outono

rainbow

(e quem morrer já nem se queixa…)

A Razão É A Mesma

Há uns anos praticamente parei de publicar fotos com repastos, iguarias e petiscos diversos do meu trajecto gastronómico. Porque, depois de variadas críticas iniciais (umas benignas e bem dispostas, outras nem tanto), reparei que grande parte das pessoas começara a fazer algo parecido, aderindo intensamente ao food porn, desaguando nas recentes e raramente agradáveis fotos de coisas que passam por ser pães (e derivados) de produção artesanal, que um mínimo de bom gosto deveria desaconselhar publicitação.

Agora, é aquela coisa de se dizer que o E@D falhou e que não se pode repetir tal como aconteceu nos últimos meses. Como desde a segunda quinzena de Março que fui escrevendo sobre as limitações de um “modelo” que não era mais do que um desenrascanço que deixava muita gente de fora, sinto-me agora mal acompanhado por algumas das pessoas que então me criticaram, embora nem sempre com a coragem da frontalidade (falo, claro e a título exemplificativo da flexibilidade vertebral, do doutor saudável, sem vinagre). E também noto que algumas críticas não são propriamente benignas, no sentido de se criarem bases sólidas para uma futura situação de crise (mantenha-se a actual ou surja nova), mas sim de evitarem passar pelo “inferno” de ser professores com 1, 2, 3 ou mesmo 4-5 crianças (são opções parentais, que parecem só se assumir até certo ponto) em casa.

O E@D foi uma espécie de coisa que aconteceu e de que muitos dos promotores andam agora a dizer coisas que outros escreveram meses antes, por perceberem em que terreno andamos e não aderirem à teoria das nuvens alvas em céus límpidos. Por isso, acho que vou deixar de dizer tão mal do ensino remoto porque (basta ver boa parte das ligações que o Livresco me envia sobre o tema) ainda posso ser confundido com alguns vira-casacões.

CatAlice

Podemos Encarar Isto Como Um Teste À Prática Da Autonomia E Flexibilidade

Vamos ser claros… ninguém está verdadeiramente preocupado com o que venha a passar no Básico, que agora é apenas via rápida para o 9º ano. Por isso, não me pareceria nada mal que este ano “apagassem” as provas de aferição do calendário. O problema é o Secundário. Não é só a questão dos exames, mas o acesso à Universidade que até querem mudar, mas que ficaria numa espécie de limbo caótico, a menos que a solução para o profissional (todos ao molho e ganha quem tiver mais vintes por assinar a folha de presença) se generalize.

Quanto aos conteúdos que fiquem por abordar se as aulas encerrarem, há muitas maneiras de ultrapassar isso, mas não pensem que em todo o país é possível resolver tudo online. Só se pensam que a cobertura da banda larga é mesmo a sério em todo o território e que a petizada tem toda equipamentos a preceito para o efeito. Sim, andam todos agarrados aos zingarelhos, mas em matérias de outras “competências digitais” a coisa é claramente deficitária.

Mas eu acredito que as luminárias pensantes da “autonomia e flexibilidade” encontrarão facilmente soluções, ou não fossem el@s versados em matérias diversas e contorcionismos diversos.

Ou fazem o costume… atiram para cima das “escolas” as responsabilidades e o que correr mal é porque os professores desentenderam as indicações superiores.

paf-paf_zpsvvr5ax64

Uma Espécie De Selecção Nacional…

… mas aparentemente sem o Ronaldo do pafismo educacional.

Inclusão e Flexibilidade na Escola reúne especialistas nacionais em Portimão

(…)

Serão oradores David Rodrigues, presidente e fundador da Pró-Inclusão/Associação Nacional de Docentes de Educação Especial, Adelino Calado, ex-diretor do Agrupamento de Escolas de Carcavelos, Dulce Gonçalves, doutorada em Psicologia da Educação, Ariana Cosme, doutorada em Ciências da Educação, Rui Correia, professor de História e vencedor do Global Teacher Prize Portugal 2019, Edson Natario, escritor e trainer, conhecido como “cientista da comunicação”, e ainda Carlos Neto, professor catedrático na Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa e autor de vários livros.

(…)

A Câmara de Portimão adianta também que «é esperada a presença do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na sessão de encerramento do seminário, agendada para as 18h15, na qual também participarão a presidente da Câmara Municipal de Portimão, Isilda Gomes, e o presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais, Jorge Ascenção».

A menos que apareça em vez/nome de…

EscuteirosEscuteirosEscuteiros

Afinal Sempre Há Um Plano!

Comparar com o que o SE Costa disse ontem aos 3′ do programa Antena Aberta. Cá para mim, pensando que ia para outros ares, o homem deixou-se por uma vez ultrapassar pelo ministro que já tinha, na véspera, apresentado o plano inexistente. Que, claro, se dirá agora que é outro.

O programa ‘Includ-Ed’, que recorre a práticas pedagógicas inovadoras que envolvem a comunidade, foi elogiado pelo ministro da Educação: “É uma grande oportunidade para Portugal”

O programa ‘Includ-Ed’, para combate ao abandono e insucesso escolares através de práticas pedagógicas inovadoras que envolvem a comunidade, chega este ano a 50 agrupamentos de escolas do país, foi anunciado esta quarta-feira no Bombarral.

A inspiração foi colhida em Barcelona e a DGE tem até bastantes outros materiais online, traduzidos dos originais, porque parece que não há nada de novo por cá. Até aquilo das tertúlias que o ministro Tiago sugeriu não passa de uma cópia das Tertúlias Literárias Dialógicas dos anos 80 do século XX.

Não é a invenção da pólvora seca em pacotinhos, mas é do tempo áureo do Pisang Ambom com laranja.

sleepy

Amadorismo Legislativo Ou Simples Incompetência?

Os processos de mudança de género e nome, para existirem oficialmente, devem seguir uma tramitação que pode ser consultada aqui. Desde logo se percebe que dificilmente estarão em causa “crianças”, mas sim adolescentes, a menos que comecemos a tratar estas questões de modo informal.

Assim sendo, é possível ao Estado saber quantos são os casos, qual a idade das pessoas em causa e onde residem, sem que isso vá contra a privacidade seja de quem for. Pelo menos, da forma como o despacho recente do SE Costa acaba por ir. Mas o que está mesmo em causa é que é inadmissível que se declare que “quer pelo contacto com as associações e encarregados de educação, quer também por algumas queixas que nos têm chegado de situações de discriminação ou de falta de resposta do sistema estaremos no universo do país a falar de cerca de 200. Mesmo quando se legisla em tempos de férias há um trabalho preparatório. Se os jornais conseguem ter acesso a esses números como é possível que a secretaria de Estado da Educação não os tenha?

Preguiça?

Incompetência?

Amadorismo?

Displicência?

Inclusão a fingir?

E o que dizer do limbo jurídico sobre as escolas privadas?

O assunto é efectivamente demasiado sério para ser tratado por gente a carecer, de forma óbvia, de (in)formação mínima. E a mim não interessam os tuítes do rio como “cortina de fumo” ou as abencerragens argumentativas de certas personalidades mais chocadas com o fenómeno transgénero como justificação para governantes de saída quererem continuar a parecer os “bonzinhos da fita”.

village-idiot_mug

 

Como Está A Correr A ADD Em Tempos De Faseamento À Última Da Hora?

Porque a verdade é que pouca gente estaria preparada para recuperar os 9 anos e nem o governo percebeu. Com o faseamento (e a recuperação mitigada), a verdade é que se percebe que em muitos agrupamentos andava tudo a pensar em provas de aferição e que há anos as listas de antiguidade foram começando a ser esquecidas e com todas as coisas “extraordinárias” e reposicionamentos as listas que vão aparecendo têm vagas semelhanças com o que deveriam ser. Entretanto, e quase que subitamente, há uma enorme falta de créditos, de observação de aulas, de avaliação, interna e externa e etc. deixando tudo à beira de um ataque de nervos, excepto quando há certezas indubitáveis. Como é que se passa pelos vossos lados?

Correria? Estoiro da boiada?

Stampede

Quanto Aos Incêndios De Início de Primavera…

… algum começou ou se propagou por existir uma árvore à beira da estrada ou com a  copa a menos de x metros de uma casa?

Depois de uma ano com sorte, este é capaz de ser complicado e a prevenção por cá não passa pela detecção precoce dos fogos, mas quase só por abater árvores, as grandes malvadas, causadoras de incêndios.

Burnout