A Ler

Vale mesmo a pena, para que se perceba que a hipocrisia tecnocrática não é de esquerda ou direita e que a incompreensão com os fenómenos de insatisfação desagua em simplistas ou mesmo completamente erradas concepções daquilo a que chamam “populismo” (que como pude constatar há não muito tempo campeiam mesmo em gente com muitos títulos académicos) ou então em qualificações de “mente fechada” e “arcaísmo” (por cá “velhos do Restelo”) a quem critica esta deriva tecnocrática . E sublinha muito bem que a diferença entre a esquerda e a direita mais próximas do centrão, em matéria de crença no mercado, é apenas de tom ou intensidade do discurso e que foi em grande parte a falência dos governos da 3ª via pglobalistaara solucionar as desigualdades que esteve na origem do sucesso eleitoral de algumas forças e fenómenos “populistas”. Ficam apenas alguns excertos das páginas 18-20.