Retoma A Propaganda

20.44 – MST começa por dizer que existem três actores da crise e que dois não quiseram falar, pelo que fica o PM. Ou seja, PCP, Bloco, professores, etc, não conta. O início de António Costa é um estribilho das vacuidades habituais. Não vale a pena. Isto é um simulacro de informação e jornalismo. São dois comparsas à solta, sem contraditório. António Costa está como peixe gordo em piscina cheia de algas lamacentas.

Basta ver a imagem seguinte para ser preciso um enorme controle para evitar chamar imediatamente o gregório.

IMG_0867

Desliguei. É demasiado mau. Nem eu aguento tamanha falta de decência.

 

A Cereja No Topo Do Bolo Mediático Da Isenção Informativa

Na TVI, hoje, Miguel Sousa Tavares “entrevista” António Costa. Em vez de cataplana será servido churrasco com cheiro a professor assado em brasa lenta.

Como garantia de isenção “jornalística”, leia-se um naco da última crónica do “entrevistador”, perante quem a aversão do entrevistado aos professores parecerá amor apaixonado.

E o que dizer do rigor com que usa os números?

 PSD e CDS à direita, e Bloco e PCP à esquerda, juntarão os seus votos para amarrarem o país a uma despesa acrescida de 680 milhões de euros anuais na folha salarial da função pública — ou um total de mais de 800 milhões, se, como é inevitável que suceda, a satisfação das exigências dos professores se tornar também extensiva aos demais “corpos especiais” da Função Pública. É o equivalente, explicou Mário Centeno, à despesa orçamentada para os aumentos normais anuais dos trabalhadores do Estado, despesa essa que assim duplicaria o seu montante. Explicação inútil: a cobiça dos votos dos professores, dos magistrados e dos polícias ultrapassa qualquer outra consideração

CristinaMST

A Ver

Anonymous Comes to Town

The sleepy rustbelt town of Steubenville, Ohio, was once best known for high school sports and as the birthplace of Dean Martin. But when a teen sexual assault committed by two members of the football team surfaced, the shadowy hacker group Anonymous caught wind of the story and decided to intervene. After publishing videos and social media from the night of the assault to their millions of online followers, they sparked viral outrage and demands for #JusticeforJaneDoe. They unleashed a passionate mob and their actions divided the small town, but in the process gave strength to generations of women forced to hide abuse. This film asks, when it seems like nothing will change, when is it OK for outsiders to intervene?

claustrofobia

5ª Feira

O mini-caos terminou, ainda não percebi bem com que saldo para quem. Mas vi a enorme pressa do governo em apagar a pira pré-pascal. Dando um salto, não completamente despropositado, penso no que seriam as consequências de um ataque digital feito aos sistemas informáticos da nossa administração pública e mais umas quantas empresas grandes de nome e lucros se meia dúzia de ruispintos se dessem ao trabalho, just for fun.

Tiro

Mais Um Dia Normal No Asilo Dos Lunáticos

Com jeitinho, safa-se com um pedido de desculpas, um “contrato-promessa” formal de não voltar a fazer o mesmo e a garantia informal que da próxima bate com mais força, que isto dos professores quererem cortar a liberdade e criatividade infantil é muito pouco flexível e deve ser castigado

A agressão aconteceu há uma semana, mas só nesta sexta-feira é que surgiu na estampa dos jornais: um aluno de 12 anos, agrediu a pontapé e a soco um professor de 63 anos depois deste o admoestar por estar a brincar com uma bola dentro da sala de aula.

Haddock

(que pena a jovem criança não ter a possibilidade de aplicar os seus dotes energéticos durante a visita de um qualquer dignitário ministerial… porque há sempre quem diga que nada tem a ver com estes assuntos, mesmo se colabora na implementação de políticas que amesquinham quotidianamente os professores)

Requintes De Malvadez

Um@ colega mandava-me hoje uma mensagem a explicar como, estando no 3º escalão e não havendo mais quem pudesse desempenhar essa função de acordo com a direcção/CP, há quem tenha de avaliar, para efeitos de reposicionamento, alguém que @ ultrapassará largamente na carreira, ascendendo ao 6º ou 7º escalão (conforme a aplicação de uma regras que são mais nebulosas do que parece) e se tornará, quase inevitavelmente sua “superior” na hierarquia do seu grupo disciplinar.

É a “justiça e equidade” do sistema a funcionar em pleno.

Tortura Azeite